×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 04 de dezembro de 2021

Operação Lava Jato suíça faz buscas na Vitol e na Trafigura

Operação Lava Jato suíça faz buscas na Vitol e na TrafiguraFoto:

Traders de petróleo e de commodities são suspeitas de terem usado operadores para pagar propinas no escândalo de corrupção da Petrobrás.

Agência Petrobrás - 21/11/2019 - 19:15:40

A pedido do Ministério Público Federal no Paraná, base da grande operação, que chega à sua fase 68, procuradores do país europeu recolheram nesta quarta, 20, documentos nos escritórios das gigantes do mercado de commodities de petróleo e derivados ligadas a esquema de propinas a ex-dirigentes da Petrobrás

A força-tarefa da Lava Jato deflagrou nesta quarta, 20, em parceria com o Ministério Público da Suíça uma nova etapa da operação, a 68ª, cumprindo mandados de busca e apreensão em endereços de Genebra ligados às empresas Vitol e à Trafigura, gigantes do mercado de commodities de petróleo e derivados. Trata-se da terceira etapa da Lava Jato realizada no exterior. A ação é um desdobramento das fases 44 e 57 – Abate e Sem Limites – que investigavam o propinas supostamente pagas pelas empresas a funcionários da Petrobras, entre 2009 e 2014.

As informações foram divulgadas pelo Ministério Público Federal.

Segundo a Procuradoria, as provas apreendidas durante medidas realizadas em face das empresas no Brasil – em especial um documento coletado na fase 57 que apontava para a existência de provas eletrônicas no exterior – indicam suposto envolvimento de integrantes da cúpula das empresas no pagamento das vantagens indevidas.

A contrapartida dos repassem seriam as facilidades na estatal brasileira, diz a Lava Jato, entre elas preços mais vantajosos e contratos com maior frequência. As negociações eram relacionadas à compra e venda de óleos combustíveis (produtos utilizados para geração de energia térmica em fornos e caldeiras), gasóleo de vácuo (produto intermediário utilizado na produção de gasolina e diesel), bunker (combustível utilizado nos motores de navio), petróleo cru e asfalto.

Entre 2004 e 2015, a Vitol e a Trafigura realizaram negócios com a Petrobras em valores superiores a US$ 14 e US$ 9 bilhões, respectivamente. As operações tinham como foco a compra e venda de petróleo e derivados.

No Brasil, a força-tarefa da Lava Jato já apresentou denúncias no âmbito dos supostos crimes cometidos por funcionários da Trafigura e da Vitol.

No caso da primeira, a acusação da Procuradoria foi apresentada no dia 14 de dezembro de 2018 , contra dois ex-executivos da empresa que estariam envolvidos em irregularidades em 31 operações de trading de óleo combustível com estatal petrolífera e propina de US$ 1,5 milhão.

Já com relação à Vitol, a denúncia foi apresentada pelo Ministério Público Federal do Paraná em 20 de dezembro de 2018 , contra 12 investigados, tendo relação com irregularidades em 20 operações de compra e venda de óleos combustíveis e outros derivados. As negociações teriam envolvido o pagamento de propinas de aproximadamente US$ 2,85 milhões – mais de R$ 11 milhões.

COM A PALAVRA, AS EMPRESAS

A reportagem busca contato com a Vitol e a Trafigura. O espaço está aberto para manifestações.

Comentários para "Operação Lava Jato suíça faz buscas na Vitol e na Trafigura":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Pesquisa do IBGE mostra enfraquecimento do mercado de trabalho em 2020

Pesquisa do IBGE mostra enfraquecimento do mercado de trabalho em 2020

Dados são da Síntese de Indicadores Sociais

Após investigação, PF culpa navio grego por derramamento de óleo no litoral brasileiro em 2019

Após investigação, PF culpa navio grego por derramamento de óleo no litoral brasileiro em 2019

A Polícia Federal (PF) concluiu as investigações sobre a origem das manchas de óleo que atingiram o litoral brasileiro entre agosto de 2019 e março de 2020.

População local do Rio Madeira vê o drama por trás da rotina do garimpo

População local do Rio Madeira vê o drama por trás da rotina do garimpo

“Tinha mulher, criança de colo. O povo estava sem ter o que comer nem lugar para dormir. Passaram a noite ali no flutuante. No outro dia, arrumaram umas doações. Depois, deram um jeito de ir embora.”

Como o acesso facilitado a armas de fogo beneficia as milícias no Rio de Janeiro?

Como o acesso facilitado a armas de fogo beneficia as milícias no Rio de Janeiro?

Acesso a armamentos está ocorrendo em contexto que não houve nenhum avanço com relação as regras de controle

Gov.Br envia mensagens para ofertar serviços públicos digitais

Gov.Br envia mensagens para ofertar serviços públicos digitais

Notifica Gov.Br, do Ministério da Economia, entrou em fase de testes

Anvisa defende transparência e cooperação entre agências reguladoras

Anvisa defende transparência e cooperação entre agências reguladoras

Diretor-presidente disse que notícias falsas matam tanto quanto vírus

Capes: Mais pesquisadores deixam cargos e número de renúncias chega a 80

Capes: Mais pesquisadores deixam cargos e número de renúncias chega a 80

Os motivos são parecidos com os apresentados pelos pesquisadores da Matemática e da Física, que já haviam pedido renúncia.

ONG no DF vende farofa para ajudar crianças que vivem com vírus HIV

ONG no DF vende farofa para ajudar crianças que vivem com vírus HIV

Organização foi criada no Dia Mundial de Luta Contra a Aids

Mulheres convocam manifestação nacional “Bolsonaro nunca mais” para 4 de dezembro

Mulheres convocam manifestação nacional “Bolsonaro nunca mais” para 4 de dezembro

A lista de locais e horário das cidades confirmadas será divulgada na página @forabolsonaronacional

Com a crise, já são 12 milhões os beneficiários da Tarifa Social

Com a crise, já são 12 milhões os beneficiários da Tarifa Social

A nota técnica aponta que o aumento está relacionado ao agravamento da crise econômica por conta dos efeitos da pandemia.

MST finca raízes na produção agroecológica e projeta crescimento de vendas para 2022

MST finca raízes na produção agroecológica e projeta crescimento de vendas para 2022

Adenildo Souza colhe morangos em canteiro construído ao lado de outras frutas, verduras e legumes