×
ContextoExato
Responsive image

Países da UE dependentes do turismo anseiam pela reabertura das fronteiras

Países da UE dependentes do turismo anseiam pela reabertura das fronteirasFoto: Deutsche Welle

Restaurante em Veneza aguarda a chegada de clientes antes do início da temporada de férias na Europa

Deutsche Welle - 26/05/2020 - 16:41:12

Dia 15 de junho, provável data para volta do trânsito de turistas entre os países do bloco, será o Dia D para o setor no continente, antes do início das férias de verão. Algumas nações já adotam medidas nesse sentido.

O dia 15 de junho será o Dia D para o turismo europeu, afirmou o ministro italiano do Exterior, Luigi Di Maio, se referindo à provável data da reabertura das fronteiras entre os países do continente, pouco antes do início das férias de verão.

Os países europeus planejam a reabertura após três meses de medidas de confinamento e do fechamento das fronteiras para tentar conter a disseminação do novo coronavírus. O setor do turismo é um importante gerador de renda para muitos dos países do Mediterrâneo, como Itália, Espanha, Portugal, Croácia e Grécia.

"Estamos trabalhando para que no dia 15 de junho possamos estar aptos a reiniciar todos juntos na Europa", afirmou Di Maio. "Será como um Dia D europeu para o turismo", afirmou nesta segunda-feira (25/05) à emissora estatal RAI, se referindo à data sugerida pela Alemanha para a reabertura das fronteiras aos cidadãos da UE.

O governo alemão planeja suspender o alerta de viagem a 31 países europeus no dia 15 de junho. Além dos 26 membros da União Europeia (UE), também estão na lista Reino Unido e os outros quatro países do espaço Schengen que não são membros da UE: Islândia, Noruega, Suíça e Liechtenstein.

A informação consta em um projeto intitulado "Critérios para permitir o turismo interno na Europa", que será debatido pelo gabinete da chanceler federal Angela Merkel nesta quarta-feira.

Para o Ministério alemão do Exterior, o retorno das viagens às vésperas do verão e da temporada de férias na Europa será importante para o setor do turismo e para a estabilidade econômica das demais nações do continente.

Segundo o projeto, a advertência de viagem deve ser substituída por informações individuais, destinadas a mostrar os riscos de cada país. A fim de garantir a melhor proteção possível aos turistas, o governo alemão sugere que a UE adote critérios comuns.

O governo da Itália negocia com as autoridades austríacas que se recusam a abrir a fronteira entre os dois países. Di Maio, porém, disse ter recebido garantias de Viena de que os turistas alemães terão a passagem liberada.

Países como a Eslovênia, Croácia e Grécia já anunciaram o alívio nas restrições de viagens e revelaram estratégias reforçar a reabertura com base em acordos bilaterais e na situação epidemiológica de cada país.

No dia 15 de maio, a Eslovênia se tornou o primeiro país a declarar o fim da epidemia de covid-19 em seu território. Nesta terça-feira o governo removeu as restrições para cidadãos da UE e do espaço Schengen, permitido a entrada de qualquer pessoa que tenha reserva em hotéis.

A Grécia, país dependente do turismo cuja economia ainda sofre os efeitos de uma grave recessão, publicou uma lista de países – alguns destes de fora da Europa – cujos cidadãos terão a entrada no país permitida após o dia 1º de junho sem a necessidade de serem testados ou submetidos a um período de isolamento.

A Croácia já anunciou que abrirá suas fronteiras sem restrições aos cidadãos da UE a partir desta sexta-feira.

Na Europa Central, a República Tcheca, Eslováquia e Hungria permitirão o livre trânsito de seus cidadãos entre suas fronteiras, na condição de que retornem a seus países de origem dentro de 48 horas. Caso esse período seja excedido, as pessoas terão de passar por duas semanas de quarentena. Os estrangeiros ainda não terão a entrada permitida.

Com as diferentes condições impostas nas diversas regiões da Europa, a Alemanha tenta avançar uma proposta para estabelecer critérios comuns para as nações do bloco europeu, e poderá propor um método já em prática no país.

Na Alemanha, uma localidade deve retomar as medidas mais rígidas de restrição se forem registrados mais de 50 casos de covid-19 em 100 mil habitantes durante um período de sete dias. Entretanto, segundo fontes próximas ao governo em Berlim, o país deverá manter as regras de distanciamento social até o dia 29 de junho.

RC/dpa/rtr

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
| App | Instagram | Newsletter

Comentários para "Países da UE dependentes do turismo anseiam pela reabertura das fronteiras":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório