×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 21 de maio de 2022

Países sem acesso ao mar representam apenas 1% das exportações globais

Países sem acesso ao mar representam apenas 1% das exportações globaisFoto: Unicef/Ashley Gilbertson

Onu News - 05/12/2019 - 17:47:11

Esses e outros desafios estão sendo discutidos durante a revisão periódica do Programa de Ação de Viena; secretário-geral da ONU e presidente da Assembleia Geral pediram mais apoio internacional; grupo de 32 países abriga 500 milhões de pessoas.

Cinco anos de progresso para os 32 países sem acesso ao mar estão sendo discutidos na sede da ONU em Nova Iorque essa quinta e sexta-feira.


Em 2016, a subnutrição nesses países atingiu uma taxa alarmante de 23,2%.

O debate marca a revisão periódica do Programa de Ação de Viena, que tem uma duração prevista de 10 anos e foi adotado em 2014 na cidade austríaca.

Bolívia é um dos 32 países sem acesso ao mar. Foto: /Robert Brockmann

Desafios

Mais de 500 milhões de pessoas vivem nestes Estados-membros. Na África, a lista inclui países como Chade, Níger, Zâmbia e Zimbabué. Nas Américas, Bolívia e Paraguai.

Entre as 32 nações, 17 estão entre os países menos desenvolvidos.

Na abertura do encontro, o secretário-geral, António Guterres, disse que “todos estão cientes das desvantagens geográficas enfrentadas” por esses Estados. Além da falta de acesso ao mar, também existe a falta de outras formas de conectividade, como estradas, meios de transporte e ligações de internet.

Segundo ele, “tudo isso se combina para aumentar custos, diminuir oportunidades e impedir sua integração nas economias global e regional.”

De acordo com Guterres, “com parcerias, esses desafios podem ser superados.”

Soluções

O secretário-geral disse que é necessária uma maior coordenação de políticas, investimento, melhores infraestruturas, operações alfandegárias e uso da tecnologia. Para ele, o Programa de Ação de Viena é a ferramenta que a comunidade internacional precisa para resolver esses problemas.

Guterres defende que o documento é “um plano abrangente e ambicioso”, mas que ainda “há muito mais trabalho para ser feito.” Ele acredita que esta revisão periódica é “a oportunidade de avaliar e renovar o trabalho feito e criar maior coerência e sinergia” entre vários planos internacionais.

Progresso

Já o presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, disse que deve ser dada prioridade ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 1, sobre erradicação da pobreza. Um terço da população destes países vive em pobreza extrema.

Lembrando que o crescimento econômico caiu nos últimos cinco anos, Muhammad-Bande disse que eles “correm o risco de serem deixados para trás.”

Estes países representam menos de 1% das exportações globais. Mais de 80% de suas exportações são de bens primários e recursos naturais.

O presidente da Assembleia Geral, Tijjani Muhammad-Bande, disse que deve ser dada prioridade ao Objetivo de Desenvolvimento Sustentável número 1, sobre erradicação da pobreza. , by Foto: ONU/Mark Garten

No Índice de Desenvolvimento Humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, o ranking dessas nações melhorou 1,5% entre os anos de 2014 e 2018.

Ainda assim, a classificação deles fica 20% atrás da média mundial. Dos dez países com a classificação mais baixa, sete não têm acesso ao mar.

População

O presidente da Assembleia Geral apontou ainda outros desafios. Ele disse que “muitas dessas nações continuam lutando nas sombras de injustiças históricas” e que são altamente vulneráveis ​​à mudança climática, enfrentando desertificação, seca e perda de biodiversidade.

Em 2016, a subnutrição atingiu uma taxa alarmante de 23,2%. Já a insegurança alimentar afeta 51,6% da população. Cerca de 40% das pessoas não têm acesso à eletricidade.

Indicadores de saúde, educação e igualdade de gênero mostraram alguns progressos. O índice de meninas inscritas em escolas primárias, por exemplo, subiu de 34,2% em 2010 para 43,4% em 2016.

Em áreas como infraestrutura e conectividade, o número de voos aumentou 8,4% desde 2014.

Comentários para "Países sem acesso ao mar representam apenas 1% das exportações globais":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
10 artistas que emplacaram apenas uma música de sucesso

10 artistas que emplacaram apenas uma música de sucesso

Ter uma carreira estável na música é bastante difícil, e esses artistas, infelizmente, não conseguiram manter o sucesso com novos trabalhos

Relançamento da coletânea 'Exílios e Poeiras' traz obra menos conhecida de Joyce

Relançamento da coletânea 'Exílios e Poeiras' traz obra menos conhecida de Joyce

Há notas melancólicas também nos 36 poemas que Joyce publicou em seu primeiro livro

Livro reúne 70 obras do pintor José Antonio da Silva

Livro reúne 70 obras do pintor José Antonio da Silva

Trata-se de uma obra fundamental para conhecer aspectos da vida e obra de Silva raramente explorados em outras publicações.

Revista portuguesa publica artigo de Juiz do TJDFT sobre inovação

Revista portuguesa publica artigo de Juiz do TJDFT sobre inovação

No texto, o magistrado do TJDFT trata da abordagem do New Public Service, no âmbito dos estudos ligados à Administração

Verdades que ninguém te conta: A importância de falar sobre a maternidade real

Verdades que ninguém te conta: A importância de falar sobre a maternidade real

Livro recém-lançado pela Editora MOL em parceria com a Tip Top reúne relatos de mulheres sobre os desafios reais que chegam com a vida de mãe, como as mudanças no corpo e os julgamentos externos

Bolsonaro veta integralmente Lei Aldir Blanc, que previa R$ 3 bilhões anuais ao setor cultural

Bolsonaro veta integralmente Lei Aldir Blanc, que previa R$ 3 bilhões anuais ao setor cultural

Texto de autoria da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) calcula que medida alcançaria 4.176 municípios brasileiros

Cópia restaurada de 'Deus e o Diabo na Terra do Sol' será exibida em Cannes

Cópia restaurada de 'Deus e o Diabo na Terra do Sol' será exibida em Cannes

A última versão digitalizada do filme é de 2002 e tem qualidade inferior à atual

Autora estreante lança livro criado a partir do desejo de se comunicar durante a pandemia

Autora estreante lança livro criado a partir do desejo de se comunicar durante a pandemia

“Quando escrevo, é para me lembrar da esperança que eu mesma sei que tenho”, diz Nathália Ferreira

Eu acredito no livro!

Eu acredito no livro!

Numa necessidade rápida, até podemos contar com um trago de águas quase podres, mas para a vida, para beber água viva, o livro é o único lugar onde nos encontraremos com a civilização, com o melhor dela

Ribeirão Preto celebra a literatura nacional com o 'Revolução Poética na Fábrica'

Ribeirão Preto celebra a literatura nacional com o 'Revolução Poética na Fábrica'

Serão cindo dias de programação gratuita, reunindo 14 autores de referência do universo cultural brasileiro

Capas influenciam quase 30% das crianças na escolha do livro

Capas influenciam quase 30% das crianças na escolha do livro

Diante das diversas motivações que podem influenciar na escolha de um livro antes da compra, a capa é uma das mais citadas pelos entrevistados, em especial entre as crianças