×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

Personal trainer barrada em academia devido à roupa deve ser indenizada

Personal trainer barrada em academia devido à roupa deve ser indenizadaFoto: © Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios – TJDFT

Cabe recurso da sentença.

© Tribunal De Justiça Do Distrito Federal E Dos Territórios – Tjdft - 10/12/2021 - 17:39:54

A Bluefit Brasília Academias de Ginástica e Participações terá que indenizar uma personal trainer que foi impedida de entrar no estabelecimento, em virtude do cumprimento da roupa que vestia. A juíza do 5º Juizado Especial Cível de Brasília destacou que a abordagem dispensada à profissional foi realizada de forma e em local inadequados.

Narra a autora que, em julho de 2021, foi atender um aluno nas dependências da academia ré quando teve seu acesso barrado na entrada porque, segundo a recepcionista, estava com um short curto. Relata que estava vestida de acordo com o que prevê o contrato da empresa, que exige que os profissionais usem camisa preta lisa e calça ou bermuda. Conta ainda que foi impedida de entrar na academia na frente de alunos e funcionários, o que lhe causou constrangimento. Além disso, se viu obrigada a cancelar o contrato de personal trainer com a ré, e dispensar seus alunos, o que lhe gerou perdas financeiras.

Em sua defesa, a academia afirmou que o acesso da autora foi negado porque ela não estava usando roupa de acordo com o previsto no contrato. Sustenta que a profissional não foi obrigada a encerrar o contrato e que não há dano a ser indenizado.

Ao julgar, a magistrada destacou que, independente da forma como a autora estava vestida, “o que chama a atenção foi o local e a forma totalmente inadequada com que os colaboradores da ré abordaram a autora”. A julgadora observou ainda que as fotos mostram que o traje usado pela autora tinha o mesmo comprimento daquele usado por um dos profissionais da academia.

“A falta de tato do colaborador recepcionista derivou, sem dúvida, das orientações que lhe foram dadas pela nova gerente (...); não resta dúvida de que o contrato previa o uso de bermuda; contudo, como já dito, não consta no contrato o comprimento da aludida peça de roupa, o que deveria ser objeto de especificação detalhada a ser divulgada para profissionais, colaboradores e alunos - o que não ocorreu. Assim, a partir do momento em que haveria a aplicação de uma penalidade (impedimento de adentrar o estabelecimento), tanto a norma deveria ser aclarada, como também a própria penalidade em si, a qual, por sua vez, não consta no contrato”, registrou.

No caso, segundo a juíza, “a desconhecida proibição” impediu a professora de dar aula e a submeteu-a a constrangimento diante de diversas pessoas, o que configura dano moral. “Os atos praticados pelos colaboradores da ré foram inadequados e tiveram o condão de violar atributos da personalidade da autora, a qual foi submetida a um julgamento e condenação bem ali, na entrada da academia, sendo barrada à vista de todos os circunstantes, o que evidencia, inegavelmente, notório constrangimento”, explicou.

Dessa forma, a ré foi condenada ao pagamento de R$ 7.500,00 a título de danos morais. A academia terá ainda que pagar a autora a quantia de R$ 1.050,00 pelos lucros cessantes. Isso porque, segundo a juíza, a autora “viu-se obrigada a rescindir o contrato com a ré, ante a impossibilidade de ali retornar após o episódio humilhante a que fora submetida”, o que fez com que encerrasse o contrato de prestação de serviço com um dos alunos.

Cabe recurso da sentença.

Acesse o PJe1 e conheça o processo: 0745261-92.2021.8.07.0016


Comentários para "Personal trainer barrada em academia devido à roupa deve ser indenizada":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório

"Somos todos seres humanos incompletos e imperfeitos", diz escritor LGBT

Saulo Sisnando levanta a bandeira de que o amor é único e universal

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Vacinação infantil: Cada segundo conta, toda vida importa

Para Bolsonaro e Queiroga, tem mais valor a opinião de leigos do que o conhecimento da Anvisa e de sociedades científicas do mundo inteiro.

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Minas Gerais implementa carteira de identidade do autista

Estado usa assinatura eletrônica Gov.br para emissão do documento

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

União do mesmo gênero cresce e fica mais jovem

A maior aceitação das famílias aos LGBTI+, embora o preconceito ainda seja um problema grave, também está por trás do rejuvenescimento dos noivos

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A luta antirracista de Aranha: De goleiro chamado de macaco a escritor

A palavra ganhou um sentido ainda mais potente e atual no livro

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Vídeo: Desigualdade em vacinas pelo mundo atrasa fim da pandemia

Nações Unidas chamam atenção para desigualdade na distribuição das doses da vacina.

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

'A economia prateada já move R$ 1,6 trilhão por ano'

Apesar do crescimento, essa população não tem sido atendida de forma satisfatória, diz o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Operação foca em rede de extremistas que cultua racismo e homofobia

Os investigadores dizem ter identificado, a partir da quebra de sigilo de dados e telefônicos autorizados pela Justiça, grupos que "se autodeclaram nazistas e ultranacionalistas, associados para praticar e incitar atos criminosos".

Distrito Federal é condenado a indenizar mulher por excesso em abordagem policial

Distrito Federal é condenado a indenizar mulher por excesso em abordagem policial

A decisão foi unânime.

Luta contra a Aids: 5 personagens brasileiros históricos que não resistiram à doença

Luta contra a Aids: 5 personagens brasileiros históricos que não resistiram à doença

Para que esse objetivo seja alcançado, é preciso que o mundo continue investindo em prevenção, diagnóstico e tratamento

ONU Mulheres e prefeitura de Itabira firmam Termo de Compromisso para Enfrentamento ao Racismo

ONU Mulheres e prefeitura de Itabira firmam Termo de Compromisso para Enfrentamento ao Racismo

Com apoio técnico da ONU Mulheres, prefeitura de Itabira firma Termo de Compromisso para Enfrentamento ao Racismo no município mineiro