×
ContextoExato
Responsive image

Por que o governo Bolsonaro tem tanto medo assim?

Por que o governo Bolsonaro tem tanto medo assim?Foto: Marcelo Casal Jr/ Agência Brasil

O que mais tem no vídeo na reunião ministerial de 22 de abril de tão importante? O que mais tem no inquérito envolvendo o ex-ministro Sérgio Moro?

Baptista Chagas De Almeida - Estado De Minas - 09/05/2020 - 08:31:40

Por que tanto medo tem a Advocacia-Geral da União? O que mais tem no vídeo na reunião ministerial de 22 de abril de tão importante? O que mais tem no inquérito envolvendo o ex-ministro Sérgio Moro? É pergunta que ainda não quer calar.

“No ensejo da iminente entrega do registro audiovisual completo da reunião presidencial ocorrida no dia 22 de abril de 2020, vem rogar seja verificada a possibilidade de vir a ser definida, desde logo, a inteira cadeia de custódia do citado registro até que a autoridade policial designada por Vossa Excelência venha a realizar a segregação dos elementos que sejam pertinentes daqueles que não sejam pertinentes ao inquérito.”

Uai, por que a AGU quer se limitar ao caso envolvendo Sérgio Moro? O que mais de tão pertinente pode haver? Por que esconder o restante? Tem alguma coisa que o ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal (STF)deixou passar? Por que o governo Bolsonaro tem tanto medo assim além de Moro? Faltam respostas por enquanto.

Só que mais perguntas também estão por ser feitas envolvendo o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido). Por que esconder os laudos da COVID–19? O que tem no laudo que ele prefere esconder? Por que tantos recursos sobre isso? Que medo é este?

Melhor deixar a revista The Lancet , uma das mais respeitadas na área de saúde explicar: “The coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic reached Latin America later than other continents. The first case recorded in Brazil was on Feb 25, 2020”, começou assim. Só que tem mais...

“But now, Brazil has the most cases and deaths in Latin America (105.222 cases and 7.288 deaths as of May 4), and these are probably substantial underestimates.” E questiona os dados oficiais, que considera subestimados. Só que tem mais ainda.

“Yet, perhaps the biggest threat to Brazil's COVID-19 response is its president, Jair Bolsonaro. When asked by journalists last week about the rapidly increasing numbers of COVID-19 cases, he responded: 'So what? What do you want me to do?'” O que você quer que eu faça? Resposta rápida, dê exemplo, #fique em casa.

Nem precisa traduzir os demais registros em inglês da The Lancet. O maior número de casos do coronavírus na América Latina fala por si. Só mais um: Luiz Henrique Mandetta, the respected and well liked Health Minister. A revista dedica a ele uma série de registros sobre os avisos que fez.

Já basta né. Afinal, o Congresso Nacional promulgou ontem a Emenda Constitucional 106, que flexibiliza regras fiscais, administrativas e financeiras durante o período de calamidade pública decorrente do novo coronavírus. É o chamado “Orçamento de Guerra”.

Minas presente

Atrelado às novas ferramentas de gestão durante a crise de saúde pública, a emenda exige transparência das ações e permite ao Congresso anular as que achar irregulares. A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) partiu da iniciativa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O resultado final é fruto do trabalho dos relatores – deputado Hugo Motta (Republicanos-PB) e, como tudo tem de passar por Minas Gerais, do senador Antonio Anastasia (PSD-MG). Registro importante: as regras ficarão limitadas ao período de calamidade pública.

Data marcada

Jura dizer a verdade, somente a verdade e nada mais que a verdade? A pergunta deve ser feita, na quarta-feira, à deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) (foto), quando for depor na Polícia Federal no inquérito envolvendo o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro. A deputada já adiantou que “nada tem a esconder” e garantiu que vai prestar todas as informações necessárias. Nem precisa, pelo jeito, já que ela não escondeu que trabalharia para Moro ser indicado como ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

Faz sentido

A velha concordata. Quem traz de volta é o deputado Domingos Neto (PSC-CE). A ponderação feita por ele faz um certo sentido. Ele destaca que, “apesar de salvar vidas, a medida tem impactos na saúde financeira das empresas, sobretudo das micro e pequenas”. E ele acrescenta: “Diante do aumento de pedidos de recuperação judicial, por causa da pandemia, não se pode deixar de tomar medidas que, ao menos, contenham parte dos efeitos na vida econômica do país, em especial no processo de recuperação judicial das empresas”.

Virtualmente

O Projeto de Lei 873/20 inclui, pelo menos, 30 novas categorias na lista de beneficiários do auxílio emergencial, aquele de R$ 600. Entre os novos incluídos estão quilombolas, diaristas, garçons, cabeleireiros, agricultores familiares e por aí vai. Só que tem um porém. E é o próprio ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM), quem dá o aviso: “Não há garantia de que o presidente Jair Bolsonaro sancionará sem vetos o projeto de lei que amplia a lista”. Tudo isso na reunião virtual em comissão mista do Congresso, a que acompanha os gastos do governo que tratam da COVID-19.

Dia da Vitória

Há 75 anos o símbolo de coragem, sacrifício e devoção de homens e mulheres das nações aliadas que combateram a opressão, a tirania e o totalitarismo. Atualmente, “celebramos, honramos e agradecemos àqueles que contribuíram para o triunfo da democracia. Em 8 de maio de 1945, acabava a Segunda Guerra Mundial na Europa, a paz e a liberdade eram restabelecidas. O Brasil foi parte desse esforço. Nossas Forças Armadas estiveram presentes nas águas do Atlântico, nos campos de batalha e nos céus da Europa, lutando pela justiça, pela liberdade e por um mundo melhor”. Só para ressaltar: “O triunfo da democracia”.

PingFogo

Em tempo: ainda do ministro Onyx Lorenzoni, só que sobre as filas nas portas dos bancos. Ele alegou aos deputados e senadores que já existe um acordo operacional da Caixa com 50 bancos para permitir que o pagamento do auxílio seja feito rapidamente.

Ele não desiste, ao contrário, insiste. Ontem, voltou a insistir o senador Carlos Viana (PSD-MG), e fez novo apelo ao presidente do Senado, senador Davi Alcolumbre, para cobrar do presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia, a votação do projeto que cria o TRF-6.

Para deixar claro, é o Tribunal Regional Federal da 6ª Região, para atender a população de Minas Gerais (PL 5.519/2019). Carlos Viana lembra que a medida não vai gerar despesas e foi sugerida pelo próprio Judiciário.

“Está todo mundo convidado aqui: 1.300 pessoas no churrasco amanhã!” O presidente da República, Jair Bolsonaro, insiste em criar aglomerações, contrariando a maior parte do mundo que defende o isolamento social por causa da pandemia da COVID–19.

Sendo assim, só resta encerrar por hoje. E sem confirmar a minha presença, como o presidente sugeriu aos seus seguidores. Um bom sábado a todos.

Comentários para "Por que o governo Bolsonaro tem tanto medo assim?":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório