×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

Pronunciamento mais brando de Jair Bolsonaro foi vitória da ala moderada do governo

Pronunciamento mais brando de Jair Bolsonaro foi vitória da ala moderada do governoFoto: PR

Logo após o pronunciamento, Mandetta usou o Twitter para acenar com uma bandeira branca na guerra que trava com o presidente. “Ações integradas, união e patriotismo! Somos uma nação vencedora! Juntos venceremos o coronavírus!”, escreveu.

Estadão Conteúdo - 01/04/2020 - 00:05:04

Integrantes do governo e aliados atuaram para convencer o presidente de que era preciso passar uma imagem de 'serenidade' e 'união' para a população

O pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira, 31, sobre a pandemia do coronavírus foi considerado um alívio para integrantes do governo e aliados. Eles temiam que o chefe do Executivo ficasse cada vez mais isolado ao confrontar publicamente medidas do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta . Nos últimos dias, ministros atuaram para convencer o presidente que era preciso baixar o tom e passar uma imagem de “serenidade” e “união” para a população. Um dos argumentos é que as proporções da covid-19 ainda são incalculáveis, assim como prejuízos políticos.

O discurso anterior em cadeia nacional de rádio e televisão, que foi ao ar há uma semana, teve a participação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e foi considerado um “desastre” pelos principais auxiliares do governo. Na ocasião, Bolsonaro chamou a covid-19 de “ gripezinha ” e defendeu que as pessoas voltassem à “normalidade” em suas rotinas.

Embora nesta noite Bolsonaro tenha voltando a adotar o discurso de preservação dos empregos, dessa vez ele não defendeu o fim do isolamento social. Na avaliação de integrantes do governo, o presidente foi menos beligerante. A covid-19 já matou 201 pessoas no País e, nesta terça, registrou 42 morte em 24 horas. Já são 5.717 casos confirmados.

Nesta tarde, durante a reunião ministerial no Palácio do Planalto, Bolsonaro ouviu seus ministros saírem em defesa de Mandetta, com quem vinha travando uma disputa particular e sistematicamente contrariando orientações do próprio Ministério da Saúde. O presidente aproveitou o encontro e submeteu um rascunho do pronunciamento a alguns auxiliares.

Além dos ministros Walter Souza Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), que tomaram à frente nos últimos dias na condução da crise, foram consultados os ministros Fernando de Azevedo e Silva (Defesa), Jorge Oliveira (Secetaria-Geral), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e até Ricardo Salles (Meio Ambiente). O secretário de Assuntos Estratégicos (SAE), o almirante Flávio Rocha, também foi consultado.

De acordo com relatos feitos ao Estado, o presidente aceitou as sugestões em pontos que geraram desentendimento no próprio governo, como o isolamento vertical, no qual as medidas restritivas são aplicadas apenas a idosos e pessoas com doenças. Bolsonaro, por fim, se convenceu que deveria fazer a mudança no seu discurso.

Um auxiliar que acompanhou a gravação observou que Bolsonaro estava mais tranquilo que o discurso anterior, feito na véspera a reunião virtual com os governadores do Sudeste, que o colocou cara a cara com dois de seus principais adversários políticos, João Doria (PSDB), chefe do Executivo estadual de São Paulo, e Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro.

A mudança no tom no mesmo dia em que Carlos ganhou uma sala no terceiro andar no Planalto foi considerado uma vitória para os auxiliares da ala mais moderada. Apesar disso, este grupo receia que a virulência nas redes seguirá sob o comando de Carlos, considerado o mais radical dos filhos do presidente. O vereador é o responsável pelo chamado “ gabinete do ódio ”, que controla os perfis do presidente na internet, e tem estado presente em reuniões sobre a covid-19.

O discurso também foi apontado como um resultado imediato de uma mudança na estratégia de comunicação do governo, comandada pela Casa Civil. Como o Estado antecipou, um comunicado interno determinou que toda e qualquer divulgação saia do Palácio do Planalto. Desde esta segunda, até mesmo as coletivas diárias do Ministério da Saúde, com dados diários sobre a pandemia no Brasil, também passaram a ser realizadas na sede do governo.

O objetivo da mudança é coordenar os esforços para que a população não tivesse a impressão que havia dois governos: o do presidente Bolsonaro e outro do ministro da Saúde. O protagonismo de Mandetta é um incômodo , mas é consenso no governo que não é o momento de se cogitar a afastar o ministro que conquistou a credibilidade da população.

Logo após o pronunciamento, Mandetta usou o Twitter para acenar com uma bandeira branca na guerra que trava com o presidente. “Ações integradas, união e patriotismo! Somos uma nação vencedora! Juntos venceremos o coronavírus!”, escreveu.

Comentários para "Pronunciamento mais brando de Jair Bolsonaro foi vitória da ala moderada do governo":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Marco temporal, operações policiais e vacina: conheça os principais julgamentos do STF em 2022

Pauta do ano coloca Supremo Tribunal Federal novamente em evidência, apontam especialistas

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, crianças vacinadas contra a covid-19 ganham livro de presente

No Recife, quem recebe a vacina contra a covid leva um livro para casa

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Indígena é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19 no país

Em ato simbólico, xavante de 8 anos de Piracicaba recebeu imunizante

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Médicos da atenção primária decidem entrar em greve em São Paulo

Decisão pode ser revista caso prefeitura revise planejamento

Confirmado segundo caso de Candida auris em Pernambuco

Confirmado segundo caso de Candida auris em Pernambuco

Anvisa trata o caso como o terceiro surto do superfungo no país

Vacina brasileira contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez

Vacina brasileira contra a Covid-19 é aplicada pela primeira vez

Estudo clínico aplicará o imunizante em 90 voluntários

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Justiça Federal no Brasil se moderniza, mas tribunais ainda amargam demoras

Essa grandiosidade em termos de acesso à justiça, também vem ao encontro da morosidade com o que cidadão tem que enfrentar, em função ao tempo de decisão com relação a um processo

Estados voltam a ter medidas restritivas com aumento de casos de covid

Estados voltam a ter medidas restritivas com aumento de casos de covid

Aumento no número de infectados é resultado da variante Ômicron

Funai abandona proteção de um terço das terras indígenas, inclusive onde há isolados

Funai abandona proteção de um terço das terras indígenas, inclusive onde há isolados

Placa de demarcação crivada de balas na Terra Indígena Uru Eu Wau Wau em Rondônia

Comunidades do Ceará temem desastre ambiental com exploração da maior jazida de urânio do país

Comunidades do Ceará temem desastre ambiental com exploração da maior jazida de urânio do país

Novo pedido de licenciamento ambiental para explorar a jazida de Itataia está nas mãos do Ibama

Família de ambientalistas é assassinada a tiros no Sul do Pará

Família de ambientalistas é assassinada a tiros no Sul do Pará

A família de ambientalistas foi assassinada a tiros no Pará. Os motivos ainda são desconhecidos pela polícia