×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de outubro de 2021

Racismo e patriarcado determinam cuidados com a saúde da mulher e mortalidade materna

Racismo e patriarcado determinam cuidados com a saúde da mulher e mortalidade maternaFoto: Repórter SUS

"A mulher morre mais que os homens por ser mulher", denuncia pesquisadora

Por Ana Paula Evangelista - Repórter Sus - Brasil De Fato - 27/05/2019 - 11:04:41

Mulheres negras morrem numa proporção de 3 a 7 vezes maior na gestação, parto e puerpério.

Essa semana celebra-se, em 28 de maio, o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna.

Cerca de 830 mulheres morrem todos os dias por complicações relacionadas à gravidez ou ao parto em todo o mundo, conforme boletim informativo de 2018 da Organização Pan-Americana (Opas/OMS). Estima-se que, em 2015, cerca de 303 mil mulheres morreram durante e após a gravidez e o parto. A maioria delas poderia ter sido evitada.

Segundo o levantamento, 99% das mortes maternas ocorrem em países em desenvolvimento. A mortalidade materna é maior entre mulheres que vivem em áreas rurais e comunidades mais pobres.

Entre 1990 e 2015, a mortalidade materna no mundo caiu cerca de 44%. Entre 2016 e 2030, como parte dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a meta é reduzir a taxa global de mortalidade materna para menos de 70 por cada 100 mil nascidos vivos.

As mulheres morrem como resultado de complicações que ocorrem durante ou depois da gestação e do parto. As principais complicações, quase 75% de todas as mortes maternas, são por hipertensão arterial, hemorragias graves (principalmente após o parto), infecções (normalmente depois do parto), complicações no parto e abortos inseguros. As demais estão associadas a doenças como malária ou infecção pelo HIV durante a gravidez.

O Repórter SUS dessa semana, programa produzido em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz), traz a enfermeira Isabel Cruz, professora do Núcleo de Estudos sobre a Saúde e Etnia Negra da Universidade Federal Fluminense (UFF). Um dos focos que resultam em mortes maternas é o machismo e o racismo no setor saúde, produtores de iniquidades segundo a pesquisadora.

"A mulher morre mais que os homens por ser mulher. Isso pesa, no setor saúde, na questão da mortalidade materna. Embora a maternidade seja um fenômeno cultural biológico natural, dentro da questão de gênero esse fenômeno tem provocado a morte das mulheres numa taxa absurda", denuncia a pesquisadora. A mortalidade materna entre mulheres negras, segundo ela, tem uma taxa de 3 a 7 vezes maior.

A negligência também é evidenciada com relação às doenças cardiovasculares, uma das principais causas de morte. "Geralmente quando chegamos com queixa proveniente do sistema cardíaco e não são poucos os profissionais que dizem se tratar de nervosismo, desconsiderando um quadro que leva a mulher a morrer de infarto de forma precoce", cita.

Diante disso, ela enfatiza a importância de chamar a atenção dos profissionais e gestores de saúde em relação às discriminações que impedem a oferta do cuidado adequado às mulheres nos sistemas público e privado.


Edição: Cecília Figueiredo

Comentários para "Racismo e patriarcado determinam cuidados com a saúde da mulher e mortalidade materna":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Unesco premia Brasil e Moçambique em projetos para educação de mulheres

Unesco premia Brasil e Moçambique em projetos para educação de mulheres

Cada um dos premiados receberá US$ 50 mil para ajudar a continuar seu trabalho no avanço da educação de mulheres e meninas

Governo do DF dá abrigo a juízas refugiadas do Afeganistão

Governo do DF dá abrigo a juízas refugiadas do Afeganistão

As juízas foram selecionadas para receber acolhimento no Brasil pelo grau de risco que corriam permanecendo no Afeganistão

Sob ameaça do terror Talibã, juízas afegãs chegam ao Brasil

Sob ameaça do terror Talibã, juízas afegãs chegam ao Brasil

Segundo Clara Motta, diretora da entidade, a chegada ao Brasil é o início do processo de acolhida das juízas, uma vez que elas possuem um visto humanitário.

Polícia do Rio investiga assassinato de autor de livro sobre Marielle Franco

Polícia do Rio investiga assassinato de autor de livro sobre Marielle Franco

Olivero foi velado no cemitério do Catumbi, na zona norte do Rio e depois seu corpo foi enviado para os Estados Unidos

Outubro Rosa e prevenção ao câncer de mama é destaque em podcast do TJDFT

Outubro Rosa e prevenção ao câncer de mama é destaque em podcast do TJDFT

Rotinas que devem ser adotadas para prevenção da doença

Feminicídio: Mais duas mulheres perdem a vida no DF

Feminicídio: Mais duas mulheres perdem a vida no DF

Ato reuniu mais de cem mulheres contra os feminicídios no DF

Peng Liyuan participa da cerimônia de premiação da UNESCO para a educação de mulheres e meninas

Peng Liyuan participa da cerimônia de premiação da UNESCO para a educação de mulheres e meninas

Peng parabenizou os vencedores do Brasil e de Moçambique por vídeo

Conheça relação entre agrotóxicos e o câncer que mais mata mulheres no Brasil

Conheça relação entre agrotóxicos e o câncer que mais mata mulheres no Brasil

Contaminação por agrotóxicos se dá geralmente por meio da pele e do aparelho respiratório

Sônia Braga está em filme sobre a Virgem Maria

Sônia Braga está em filme sobre a Virgem Maria

No dia 13 de maio de 1917, Lúcia dos Santos, de 10 anos, Francisco Marto, de 9, e sua irmã, Jacinta, de 7, afirmaram ter visto

Tiffany diz que Tandara 'errou nas palavras' e minimiza novas declarações

Tiffany diz que Tandara 'errou nas palavras' e minimiza novas declarações

Tiffany voltará às quadras na próxima terça-feira, para o segundo jogo da decisão do Campeonato Paulista, em Barueri

Tandara critica mais uma vez a presença de transexuais: 'Minha opinião não muda'

Tandara critica mais uma vez a presença de transexuais: 'Minha opinião não muda'

Em 2018, eu dei uma entrevista, inclusive eu estava aqui em Osasco, quando eu disse que não concordava.