×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 16 de maio de 2022

Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos

Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anosFoto: Deutsche Welle

Decisão deixará o país de fora dos Jogos Olímpicos de 2020 e da Copa do Mundo de Futebol de 2022. Agência Mundial Antidoping (Wada) conclui que Moscou manipulou dados laboratoriais de seus atletas.

Deutsche Welle - 09/12/2019 - 10:49:49

Atletas russos não envolvidos nas fraudes poderão participar de eventos internacionais, mas com bandeira neutra

A Rússia está banida dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 e de todos os grandes eventos esportivos mundiais por um período de quatro anos, anunciou nesta segunda-feira (09/12) a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês).


O Comitê Executivo da Wada tomou essa decisão ao concluir que Moscou adulterou dados laboratoriais ao utilizar evidências falsas e apagar arquivos ligados aos resultados positivos de testes antidoping, que poderiam ter identificado o uso de substâncias ilegais em seus atletas.

O período de punição inclui também os Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, em 2020, e a Copa do Mundo de Futebol de 2022 no Catar. A decisão de banir a Rússia dessas competições foi consenso entre os membros do comitê. "A lista completa de recomendações foi aceita em unanimidade", disse um porta-voz da entidade.

A Rússia está no centro do escândalo envolvendo doping por parte de seus atletas desde 2015, quando um relatório de uma comissão independente criada pela Wada alertou para provas de dopagem em grande escala e pediu que a Federação Russa de Atletismo fosse banida da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) por desrespeitar códigos antidoping.

Vários atletas russos tiveram que ficar de fora dos últimos Jogos Olímpicos, e o país não pôde participar das últimas Olimpíadas de Inverno de 2018, como punição pelos casos de acobertamento promovido pelo Estado aos casos de doping nos Jogos de Inverno de 2014, na cidade russa de Sóchi. Os atletas russos puderam competir individualmente, sem representar oficialmente a bandeira de seu país.

A decisão divulgada nesta segunda-feira foi recomendada pelo comitê de análise de compliance, em resposta aos dados laboratoriais fornecidos neste ano por Moscou à entidade.

Uma das condições para a readmissão da agência antidoping russa Rusada – suspensa em 2015 em razão do escândalo, mas readmitida no ano passado – teria sido a entrega de cópias autênticas dos dados de laboratório, que acabaram sendo comprovados como adulterados.

A partir de agora, a Rusada perde novamente as suas credenciais. Caso a agência apele contra as sanções impostas pela Wada, o caso será encaminhado à Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Assim como na última edição dos Jogos de Inverno, a punição permite que atletas russos não envolvidos nas fraudes em testes de doping participem dos principais eventos internacionais, mas sem representar sua bandeira e sem a execução do hino nacional.

Autoridades russas afirmam que a punição é injusta e falam em supostas tentativas dos países ocidentais de deter a Rússia. O ministro russo dos esportes, Pavel Kolobkov, atribuiu no mês passado as discrepâncias nos dados de laboratório a questões técnicas.

A vice-presidente da Rusada, Margarita Pakhnotskaya, afirmou que a decisão da Wada "já era aguardada" e que não foi surpresa ter sido tomada em consenso entre os integrantes do comitê, uma vez que nenhum de seus membros expressou qualquer apoio à Rússia.

RC/rtr/afp/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Siga a Deutsche Welle no Facebook | Twitter | YouTube
| App | Instagram | Newsletter

Comentários para "Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Engenheiros de Uberlândia criam cadeira de rodas especializada para paralímpicos

Engenheiros de Uberlândia criam cadeira de rodas especializada para paralímpicos

"Quando é bem construída, bem modelada, adequada, ela pode favorecer o desempenho esportivo. Oferece melhor condição mecânica, de exercício, além de uma sensação de segurança e liberdade", diz o engenheiro.

Messi apoia turismo na Arábia Saudita, recebe críticas e gera desconforto com PSG

Messi apoia turismo na Arábia Saudita, recebe críticas e gera desconforto com PSG

A publicação de Messi no Instagram recebeu mais de 6 milhões de curtidas. Os comentários, no entanto, são diversos, com mensagens neutras, favoráveis ao craque e críticas ao seu posicionamento.

Brasil é campeão geral do Pan-Americano de Taekwondo

Brasil é campeão geral do Pan-Americano de Taekwondo

Equipe brasileira conquista o total de 13 medalhas na competição

Surdolimpíada: Brasil conquista bronzes no judô e na natação

Surdolimpíada: Brasil conquista bronzes no judô e na natação

Medalhas vieram com Guilherme Maia (foto) e Alexandre Fernandes

Turma da Mônica terá a primeira personagem surda que é fã de esportes

Turma da Mônica terá a primeira personagem surda que é fã de esportes

Sueli vai estrear em postagens do Instituto Mauricio de Sousa em parceria com a 24ª Surdolimpíadas de Verão

Caxias do Sul sedia primeira edição da Surdolimpíada na América Latina

Caxias do Sul sedia primeira edição da Surdolimpíada na América Latina

Evento reúne mais de 5 mil atletas representando 77 países

Sertões lança roteiro comemorativo, aumenta percurso e vira maior rali do mundo

Sertões lança roteiro comemorativo, aumenta percurso e vira maior rali do mundo

O roteiro de 14 cidades e oito estados brasileiros foi divulgado em evento no Museu do Ipiranga

Triatlo: Miguel Hidalgo e Djenyfer Arnold faturam ouro em Copa América

Triatlo: Miguel Hidalgo e Djenyfer Arnold faturam ouro em Copa América

Brasileiros foram os melhores entre atletas de 16 países participantes

Barcelona recebe o maior público da história do futebol feminino

Barcelona recebe o maior público da história do futebol feminino

91.648 pessoas acompanharam goleada pela Liga dos Campeões

Gabriel Medina diz estar 100% e confirma retorno no surfe na Indonésia

Gabriel Medina diz estar 100% e confirma retorno no surfe na Indonésia

Aos 28 anos, Medina perdeu as cinco primeiras etapas da Liga Mundial de Surfe (WSL) e precisará de um wildcard para poder competir

Com grafite, italiano faz homenagem a Senna em carro a ser exibido em Ímola

Com grafite, italiano faz homenagem a Senna em carro a ser exibido em Ímola

O carro é dividido entre duas pinturas