×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 23 de setembro de 2021

Superexploração e impostos zerados: Quem é Jeff Bezos, o bilionário que foi passear no espaçoFoto: Wikipedia

Superexploração e impostos zerados: Quem é Jeff Bezos, o bilionário que foi passear no espaço

Com fama de empreendedor genial, o homem mais rico do mundo mandou R$ 5 bilhões para o espaço em plena pandemia

Por Murilo Pajolla - Brasil De Fato - 21/07/2021 - 22:15:19

No clássico do cinema Blade Runner, o Caçador de Androides (Ridley Scott, 1982), somos apresentados a um futuro distópico, em que milionários foram viver em colônias espaciais paradisíacas, deixando para trás uma Terra em colapso socioambiental.

Se é verdade que a vida imita a arte, as recentes aventuras pela órbita terrestre do homem mais rico do planeta, Jeff Bezos, mostram que esse cenário dramático está mais próximo do que se poderia imaginar.

:: Quem são os bilionários brasileiros que seguem na lista da Forbes apesar da pandemia ::

R$ 5 bilhões para o espaço

Enquanto o mundo amarga uma crise econômica e sanitária sem precedentes, o fundador da Amazon decidiu construir uma nave para dar uma “voltinha” na borda da terra que durou, ao todo, 10 minutos.

Nesta terça-feira (20), o foguete sem piloto produzido pela sua empresa de turismo espacial, a Blue Origin, decolou e trouxe de volta, em segurança, a tripulação.

O projeto custou uma "pequena" fortuna: US$ 1 bilhão (R$ 5,2 bilhões). Embora alta, a despesa nem arranha seu patrimônio, estimado em US$ 202,7 bilhões (R$ 1,05 trilhão).

O excêntrico milionário tem fama de self-made man , expressão cunhada pelos norte-americanos para designar o empreendedor que trilhou o próprio caminho até o sucesso.

:: Mercado Livre, Alibaba e Amazon: a quem interessa a privatização dos Correios? ::

Se “por detrás de uma grande fortuna há um crime”, como escreveu o francês Honoré de Balzac, a trajetória de Bezos está marcada pela superexploração da mão de obra, manobras fiscais para não pagar impostos e práticas antissindicais.

De que é feito Jeff Bezos

Enteado de um funcionário da multinacional de petróleo e gás Exxon, Bezos cursou Engenharia Elétrica e Ciência da Computação na Universidade de Princeton, uma das mais prestigiadas e caras do país.

Formado, trabalhou no setor financeiro em Wall Street, mas decidiu abrir uma loja virtual. A criação da empresa que se tornaria a gigante Amazon contou com capital inicial de US$ 245 mil vindo do bolso dos pais do empreendedor.

A Amazon começou como uma empresa de vendas e entregas e hoje oferece streaming de música e vídeo, produção própria de cinema e televisão, produção de eletrônicos e inteligência artificial. É a marca mais valiosa do mundo, avaliada em mais de US$ 1,5 trilhão (R$ 7,85 trilhões).

Se quisesse poupar uma cifra como essa, um brasileiro ganhando salário mínimo teria que trabalhar por 550 milhões de anos, sem gastar nada.

Além da Amazon e da Blue Origin, Bezos também é dono do jornal Washington Post , adquirido em 2013 por US$ 250 milhões em dinheiro, que celebrou com destaque nesta terça-feira (20) o feito espacial de seu proprietário.

Leia também: Ambev arrasta multa de R$ 2,5 bilhões há 17 anos

A Amazon é acusada de praticar dumping, que significa chegar em um país e vender os produtos a preços muito abaixo dos praticados no mercado, com objetivo de "quebrar" a concorrência local.

A prática vem condenando o mercado editorial brasileiro ao declínio, com o fechamento de livrarias. Por isso, a França chegou a aprovar em 2013 uma lei contra a Amazon para proteger a economia nacional.

A sonegação de impostos através de manobras legais é outro fator que explica o sucesso da marca. A ProPublica , agência de jornalismo norte-americana, revelou um esquema dos bilionários para se evadir do fisco. Segundo a reportagem, Bezos não pagou um centavo em impostos federais nos anos de 2007 e 2011.

Como é trabalhar na Amazon

Os preços baixos são consequência direta dos péssimos salários. A Amazon é apontada como uma fábrica de exploração e acusada de violar leis trabalhistas. Em 2014, Bezos ganhou o “prêmio” de “Pior Chefe do Mundo” da Confederação Sindical Internacional.

Embora tenha cerca de 800 mil funcionários, não existe sequer um sindicato de trabalhadores da Amazon. Segundo o site Intercept, o patrão chegou a contratar um “consultor anti-sindical” com o objetivo de impedir a criação da primeira organização no estado do Alabama.

Leia também: Fabricante do Club Social e da Oreo tem dívida de R$ 90 mi em SP

Enquanto isso, acumulam-se denúncias de más condições de trabalho. Os relatos incluem a negativa de pausas para o almoço e a ordem de urinar em garrafas para atender as pesadas demandas de atendimento.

O site The Verge , dos Estados Unidos, denunciou que a Amazon usa um software que rastreia a produtividade e usa os dados para demitir funcionários. Ela teria demitido centenas de pessoas entre 2017 e 2018 por não ter cumprido metas, que incluem embalar centenas de pacotes por hora, por exemplo.

Em outro caso, funcionários denunciaram a falta de protocolos sanitários durante a pandemia, e o resultado foi a demissão. A empresa também já ameaçou demitir trabalhadores que são contra as políticas ambientais da Amazon.

Utopia

Ainda jovem, o bilionário afirmou que “gostaria de retirar todas as pessoas da Terra e transformá-la em um grande parque nacional”. O discurso foi feito na formatura do colégio, que teve Bezos como orador, segundo uma reportagem do Infomoney .

Hoje, a fome atinge pelo menos 10% da população mundial, aponta a Organização das Nações Unidas (ONU). No Brasil, assistimos à erradicação da floresta que dá nome à gigante multinacional.

Enquanto brinca de perseguir sua utopia juvenil, Bezos contribui para transformar o planeta em um ambiente inóspito, onde só os milionários têm salvação.

Edição: Leandro Melito

Comentários para "Superexploração e impostos zerados: Quem é Jeff Bezos, o bilionário que foi passear no espaço":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório