×
ContextoExato
Responsive image

Thamea Danelon diz que afastamento de Witzel vai impedir outros atos de desvios

Thamea Danelon diz que afastamento de Witzel vai impedir outros atos de desviosFoto: Reprodução//CNN

Procuradora da República, Thamea Danelon

Da Cnn - 29/08/2020 - 19:05:18

A procuradora República Thamea Danelon comentou, em entrevista à CNN, o afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

Para ela, não há duvídas do potencial das evidências que afastaram o governador do cargo, por 180 dias. Ela avalia ainda que afastamento cautelar vai ajudar a impedir outros atos de desvios.

"Infelizmente é muito comum que réus investigados por corrupção tentem politizar as acusações e as medidas processuais. Seria mais interessante que eles se defendessem dos fatos contra eles apresentados e tentassem afastar as evidências. Mas como é muito difícil, porque as provas são fartas, os investigados e réus partem para o ataque aos investigadores", pontuou a procuradora.

E acrescentou: "Portanto, não há dúvidas de que as provas são muito robustas e suficientes para embasar as prisões decretadas. O afastamento cautelar de Witzel já vai ajudar para impedir que outros atos de desvios ou de corrupções sejam praticados".

O governador alegou inocência nesta sexta-feira (28), disse que não existe "um papel" de prova contra ele e acusou a subprocuradora-geral da República, Lindora Araújo, de influenciar na decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Assista e leia também:

STJ afasta Wilson Witzel do governo do RJ e manda prender Pastor Everaldo

Políticos do Rio temem risco de intervenção federal no estado

‘Parece que a corrupção se enraizou no Rio de Janeiro’, diz Mourão

"Até me admira Witzel, um ex-juiz federal, se indignar com uma decisão monocrática que é a regra. Na Lava Jato, por exemplo, inúmeras decisões foram proferidas pelo ministro Edson Fachin, que é o relator da operação", disse.

"É até mais recomendável que decisões que envolvam esse sigilo sejam monocráticas, porque quanto menos pessoas envolvidas tendo acesso à informação sigilosa, melhor. Portanto, não há problema algum nesta decisão", avaliou Danelon.

Em seu discurso durante coletiva, Witzel também criticou as delações premiadas. A procuradora garantiu que os acordos não existem sem elementos probatórios e que há um processo rigoroso de apuração por parte dos investigadores que conduzem o caso.

"A delação premiada nunca pode vir sem estar carregada de elementos probatórios. Não é apenas a palavra do réu colaborador que será suficiente para desencadear uma busca e apreensão, por exemplo. A própria lei diz que a colaboração deve vir com evidências. Em um primeiro momento, o réu apresenta sua versão, depois, os investigadores vão analisar este material para checar se há evidência", finalizou.

Assista e leia também:

STF exclui delação de Palocci de ação contra Lula na Lava Jato

STF decide que delatados podem questionar acordos de delação premiada

(Edição: Sinara Peixoto)

Comentários para "Thamea Danelon diz que afastamento de Witzel vai impedir outros atos de desvios":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório