×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de agosto de 2022

Uma nova arca de Noé no Zoológico de Brasília

Uma nova arca de Noé no Zoológico de Brasília

Foto: Correio Braziliense

Zoológico investe na reprodução de animais num trabalho com parceria de outras entidades similares para evitar a extinção de espécies

Por Mariana Machado-correioweb - 27/06/2019 - 08:54:15

Tamanduá-bandeira, ararajuba, onça-pintada, mico-leão-da-cara-dourada. Com tamanhos, cores e formatos diferentes, esses animais têm um aspecto comum entre si: são ameaçados de extinção. Para preservar essas e outras espécies em risco, a Fundação Jardim Zoológico de Brasília investe na reprodução em cativeiro. O trabalho resultou no nascimento de 17 filhotes desde 2015.


Lobo-guará
Lobo-guará


Harpia
Harpia


Cobra jararaca
Cobra jararaca

Um dos casais mais recentes é de lobos-guará. Jair e Amanda vivem em um espaço onde estão se relacionando. Os biólogos do Zoo suspeitam de que a fêmea esteja prenha e, se isso for confirmado, a ninhada deve nascer no próximo mês. Ainda não é possível verificar a gestação porque animais silvestres conseguem esconder a barriga para se proteger de predadores, como explica o biólogo e diretor de mamíferos da instituição, Filipe Reis.


De acordo com ele, os casais são formados a partir das indicações de especialistas, os studbook keepers, responsáveis pelo manejo de certas espécies a nível nacional e internacional. “A ideia é de que o zoológico não seja mais visto como vitrine de animais, e sim como centro de conservação de fauna. Para isso, precisamos contribuir para a preservação das espécies”, declara Filipe.


O cruzamento não pode ser feito de qualquer maneira. Os bichos precisam ter uma composição genética específica (não podem ser parentes, por exemplo) para evitar que as próximas gerações tenham doenças. Entra a ação dos especialistas, que avaliam quais animais podem contribuir com a preservação. Graças a isso, a onça-pintada Gabriela foi levada ao Criadouro Conservacionista NEX, em Goiás, para conhecer o macho Ogun. “Amor à primeira vista”, comenta o biólogo.


Filipe é o studbook keeper dos tamanduás-bandeira no Brasil. Atualmente, três machos e duas fêmeas estão no Zoológico da cidade, mas outras três fêmeas devem chegar nos próximos dias. Quem também está à espera do par perfeito é o cachorro-vinagre Xingu. Sozinho no novo recinto, ele aguarda a chegada de uma companheira que virá da Rússia: A Sharapova, como foi carinhosamente apelidada pela equipe brasileira.


Tamanduá-bandeira
Tamanduá-bandeira


Bugio
Bugio


Cachorro-vinagre
Cachorro-vinagre


Prevenção

Por meio de parcerias com zoológicos e criadouros do mundo todo, a prevenção da ameaça de extinção pela reprodução tem sido feita. No entanto, conseguir a transferência de um animal de outro país não é tão simples. O biólogo e gerente de projetos educacionais do Zoo, Igor Morais, explica que são necessárias licenças dos dois países, além do cuidado no transporte. Até julho, Brasília receberá uma ariranha vinda da Alemanha.


Igor lembra que o incentivo internacional contribuiu muito para a preservação no Brasil. “Nos anos 1980, a população de micos-leões-dourados na Mata Atlântica no Rio de Janeiro era de 200 animais. Graças uma ação coordenada pelo zoológico de Washington (EUA), hoje há cerca de 1,2 mil.”


Ele explica que uma espécie pode se tornar ameaçada por diversos fatores: caça, tráfico de animais silvestres e destruição do habitat, por exemplo. “Reproduzir esses animais de forma coordenada, seguindo princípios de genética e ecologia de populações garante um futuro melhor”, conclui.


Filhotes

Com o trabalho, cada vez mais filhotes nascem nos ambientes da instituição. O Zoológico é o único no mundo a ter reproduzido com sucesso a cotiarinha, a menor espécie de jararaca encontrada no Brasil. Belinha nasceu em outubro de 2014 e acaba de alcançar a idade suficiente para também acasalar. Ela espera pela indicação para um namorado.


Entre as aves, as harpias, um dos maiores aves do mundo, podem ter filhotes a qualquer momento. A fêmea botou ovos férteis neste ano, mas até agora, nenhum vingou. A fêmea, chamada Baiana, chegou ao Zoo depois de ter sobrevivido a um tiro e os biólogos suspeitam que o trauma tenha contribuído para que ela não passe muito tempo chocando, o que prejudica os ovos.


Apesar dos esforços maiores serem para as 25 espécies em risco iminente de extinção, animais em estado de alerta também são incentivados a acasalar. É o caso do bugio-ruivo. O casal Riquinha e Choquito vive há quatro anos na fundação, mas, apenas em 2019, trouxe ao mundo o primeiro bebê. Ainda não foi possível identificar o sexo do pequeno que não larga da mãe em momento algum, mas se for macho, será Tutu, e se for fêmea, Tuca.


Você sabia?

Desde 2015, o Zoológico de Brasília conseguiu reproduzir com sucesso 17 espécies ameaçadas de extinção:


12 mamíferos

1 réptil

4 aves


Atualmente, 19 casais estão formados:


3 mamíferos

16 aves



Confira no site do Correio , depoimento do diretor de mamíferos do Zoo sobre o trabalho de preservação das espécies.




Comentários para "Uma nova arca de Noé no Zoológico de Brasília":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
STF decide que mudanças na lei de improbidade não retroagem para condenações definitivas

STF decide que mudanças na lei de improbidade não retroagem para condenações definitivas

Cerco de pistoleiros, tiros e ameaças:

Cerco de pistoleiros, tiros e ameaças: "Não andamos mais livres", dizem Pataxós no Sul da Bahia

DF não tem previsão para retomar vacinação de crianças a partir de 3 anos

DF não tem previsão para retomar vacinação de crianças a partir de 3 anos

Damares terá de remover vídeos em que diz que Lula 'ensinava jovens a usar crack

Damares terá de remover vídeos em que diz que Lula 'ensinava jovens a usar crack

Simulador virtual ajuda eleitor a treinar o voto na urna

Simulador virtual ajuda eleitor a treinar o voto na urna

Jovens são chamados a combater Fake News nas eleições

Jovens são chamados a combater Fake News nas eleições

Inpa abre inscrições para curso sobre tecnologia de bioflocos para criação de peixes amazônicos

Inpa abre inscrições para curso sobre tecnologia de bioflocos para criação de peixes amazônicos

Cinco atividades imperdíveis para fazer com crianças no Alentejo

Cinco atividades imperdíveis para fazer com crianças no Alentejo

Dia do Ciclista: 4 rotas imperdíveis para pedalar em Brasília

Dia do Ciclista: 4 rotas imperdíveis para pedalar em Brasília

Jericoacoara e praias de São Paulo são tendência de viagem entre agosto e setembro

Jericoacoara e praias de São Paulo são tendência de viagem entre agosto e setembro

Marketing local: Como fazer a divulgação e lucrar com a revenda de gás e água

Marketing local: Como fazer a divulgação e lucrar com a revenda de gás e água

Presença de mulheres nas urnas é maior desde pleito de 2014

Presença de mulheres nas urnas é maior desde pleito de 2014

Brasil vende menos para China e eleva volume de exportação para UE, diz Índice de Comércio Exterior

Brasil vende menos para China e eleva volume de exportação para UE, diz Índice de Comércio Exterior

Entidades da sociedade civil no Brasil buscam apoio para vida marinha e oceanos

Entidades da sociedade civil no Brasil buscam apoio para vida marinha e oceanos

Em Pernambuco, Missa do Vaqueiro celebra a fé do povo sertanejo

Em Pernambuco, Missa do Vaqueiro celebra a fé do povo sertanejo

85% das famílias atingidas pela barragem, em Mariana, sofrem com deslocamento compulsório

85% das famílias atingidas pela barragem, em Mariana, sofrem com deslocamento compulsório

Crise no sistema de assistência social do DF segue sem solução

Crise no sistema de assistência social do DF segue sem solução

Distrito Federal e dez estados recebem novas ambulâncias do Samu

Distrito Federal e dez estados recebem novas ambulâncias do Samu

Camex torna definitivo corte de 10% de tarifa comum do Mercosul

Camex torna definitivo corte de 10% de tarifa comum do Mercosul

PF diz ao STF que vê crime de Bolsonaro por associar vacina ao vírus da aids

PF diz ao STF que vê crime de Bolsonaro por associar vacina ao vírus da aids

PGR recorre para arquivar investigação sobre inquérito vazado por Bolsonaro

PGR recorre para arquivar investigação sobre inquérito vazado por Bolsonaro