×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de agosto de 2022

Atraso nas ações de saúde mental

Atraso nas ações de saúde mental

Foto: CorreioWeb

“Temos buscado fortalecer as ações de prevenção e promoção da saúde, justamente para criar condições e dar estrutura para que as pessoas não adoeçam mentalmente”

Ana Maria Da Silva* - Correioweb - 10/07/2020 - 08:13:46

Em entrevista ao CB.Saúde, edição especial do programa CB.Poder — parceria do Correio Braziliense com a TV Brasília —, a psicóloga e diretora de Atenção à Saúde da Universidade de Brasília (UnB) Larissa Polejack comentou a quarta onda, fase relatada por estudiosos como pós-pandêmica. Segundo a especialista, a etapa retratará os efeitos da atual realidade que a sociedade vive, com pressão, estresse, angústia e sem o cuidado mental necessário. “Temos buscado fortalecer as ações de prevenção e promoção da saúde, justamente para criar condições e dar estrutura para que as pessoas não adoeçam mentalmente”, explica.

Durante a pandemia, como está a saúde mental da população? Tem afetado muito as pessoas?

Está afetando por várias razões. Na UnB, nós temos um subcomitê de saúde mental e apoio psicossocial, que é vinculado ao comitê gestor do plano de contingência da universidade. Estamos acompanhando a questão da saúde mental antes de a pandemia ter sido considerada comunitária aqui no DF. Fizemos um plano de contingência e percebemos que, nas últimas duas semanas, houve um aumento nos pedidos de atendimento. Isso se dá por várias razões. Primeiro, pelo tempo que temos de isolamento. Então, é natural que sintamos esse cansaço, seja pelo relato de home office, seja pelas preocupações financeiras. É importante entender que falamos de saúde de forma integral. Têm muitas pessoas sentindo esse impacto, com medo. Tivemos, recentemente, a ameaça de volta às aulas para as crianças, e isso também gera ansiedade enorme.


Sabemos que, para o governo tomar decisões durante a pandemia, é difícil. Mas pelo que a senhora está falando, a comunicação é um aspecto fundamental para tranquilizar as pessoas.

Um dos aspectos importantes é compreender o que estamos vivendo e qual tipo de precaução ou comportamento devemos ter para se sentir mais segura e resguardar a minha saúde. Estamos no momento agora da fase de transmissão comunitária acelerada. É importante entendermos o que precisamos fazer e por qual motivo precisamos ter essa informação correta, à medida que o cenário de epidemia pede distanciamento físico, uso da máscara e higiene. Mas o que isso traz para a saúde mental? Quanto mais eu entendo o que está acontecendo no cenário e tenho elementos para reagir a isso, mais eu me sinto seguro e confiante. O tipo de informação contraditória pode gerar mais ansiedade.


Como está o atendimento aos pacientes? Como a UnB colabora para que esses pacientes internados e isolados tenham maior conforto emocional?

Desde o início, nós estamos trabalhando próximos à gerência de psicologia da Secretaria de Saúde, que faz parte do nosso comitê. Uma preocupação nossa, em especial à covid-19, é que, ao ser internada, a pessoa fica sem a oportunidade de ter um acompanhante, o que gera angústia para todos. Para resolver a situação, conseguimos alguns tablets para que ocorresse a visita familiar virtual. Foi superempolgante e importante, deu supercerto. Dentro da campanha “Você não está sozinho”, abrimos uma outra, em parceria com a Secretaria de Saúde, que é a UnB Solidária. Nessa campanha, pedimos doações de tablet, celulares ou chips para serem oferecidos aos hospitais da rede pública.


O quanto descobrimos da importância da psicologia nos hospitais?

Independentemente da pandemia, o fato de estarmos internados e passarmos por algum problema de saúde já nos deixa vulneráveis psicologicamente, pois sentimos isso no nosso corpo. Então, é importante que haja esse acompanhamento psicológico e, dependendo da patologia, mais ainda. No caso da covid-19, temos aprendido muito, pois ela trouxe para nós uma série de questões que precisamos adaptar na própria psicologia. Também estamos aprendendo novas formas de intervenções. É muito importante, nesse momento, fortalecer o cuidado dos profissionais que estão na linha de frente. É preciso ter condições para estar ali. Não só o adoecimento físico, mas temos ouvido muita queixa de adoecimento psicológico, de não aguentar ver tanto sofrimento e perder tanto paciente. É importante que, dentro do plano de ação do governo, exista o eixo do cuidado psicológico com os profissionais da saúde.


Houve sempre uma preocupação psicológica no atendimento às pessoas e aos profissionais de saúde, ou ainda estamos começando a ir atrás disso?

Estamos vivendo uma emergência, então, precisamos correr atrás de respiradores. Mas, do ponto de vista geral, estamos atrasados nas ações de saúde mental, e vamos pagar um preço por isso. Se aprendermos com a realidade dos outros países que estão um pouco mais à frente na situação, alguns artigos vão chamar de quarta onda, que é a da saúde mental. São os efeitos de como vivemos isso, com pressão, estresse, angústia e sem o cuidado necessário. Por isso, buscamos olhar os possíveis níveis de intervenção nas nossas ações. Temos buscado fortalecer as ações de prevenção e promoção da saúde, justamente para criar condições e dar estrutura para que as pessoas não adoeçam mentalmente. Sabemos que há pessoas que estavam adoecidas e que uma das questões importantes de saúde mental é sentir que fazemos parte de algo, que podemos ser protagonistas de algum processo. Então, temos fortalecido ações e solidariedade. Tudo é feito com base na ciência, na leitura sobre saúde coletiva, nos estudos realizados em outros países. A ciência vem em nosso favor.

ANA MARIA DA SILVA*
* Estagiária sob supervisãode Guilherme Goulart


LARISSA POLEJACK, DIRETORA DE ATENçãO à SAúDE DA UNB

Comentários para "Atraso nas ações de saúde mental":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro