×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de maio de 2022

Governador do Rio considera "maldade" retirada do estado do Regime de Recuperação Fiscal

Governador do Rio considera Foto: Carlos Magno/ Governo do Rio

Governador alega que o plano está em conformidade com a lei

Brasil De Fato | Rio De Janeiro (rj) - 19/01/2022 - 09:27:31

Na quarta-feira (19), Cláudio Castro se reúne com o ministro da economia, Paulo Guedes, para discutir a situração do Rio

Na última segunda-feira (17), o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), criticou a retirada do estado do Rio do Regime de Recuperação Fiscal (RRF). A decisão do Ministério da Economia em recusar o plano foi tachada de “maldade” por Castro.

Durante a coletiva de imprensa, ao lado do secretário de Fazenda, Nelson Rocha, o governador reiterou que o plano está dentro da lei e que cumpriu todas as exigências feitas por técnicos do Ministério da Economia.

“O estado do Rio está fazendo sua parte sim, mas sem dizimar o servidor público e afins. Que má vontade é essa. Isso aqui é serviço público, ninguém tem que ser amigo de ninguém. Tem que estar na lei. A gente pede ao Ministério da Economia que respeite a lei”, afirmou.

Leia mais: Análise | Regime de Recuperação Fiscal: o Rio fez a sua parte, por André Ceciliano

O governador e o secretário de Fazenda ressaltaram que o Rio cumpriu vários pontos do acordo estabelecido entre o estado do Rio e a União, como a aprovação da venda da Companhia de Águas e Esgotos (Cedae) e o aumento da contribuição previdenciária de servidores.

Em xeque

O plano de Recuperação Fiscal do Rio de Janeiro foi analisado por três instituições: a Secretaria do Tesouro Nacional, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e o Conselho Supervisor do Regime de Recuperação Fiscal do Rio, que aprovou o projeto com ressalvas.

De acordo com informações obtidas pelo Blog da Ana Flo r e divulgadas pelo G1 , entre os pontos destacados nos pareceres estão o fato do estado do Rio calcular que teria um crescimento significativo de resultado primário - o cálculo das receitas menos as despesas - apenas no último ano de vigência do regime, antes, pretende usar valores arrecadados para investir no estado.

De acordo com o portal de notícias, de R$ 10 bilhões em 2022, o resultado cairia até R$ 2,5 bi em 2029. E, para 2030, pularia para R$ 15 bilhões.

Leia mais: Deputados do RJ questionam edital e querem adiar leilão do bloco 3 da Cedae

Na análise, a Secretaria do Tesouro Nacional avalia que para esse aumento no último ano ocorrer “o estado prevê reduzir seus investimentos em 83%, levando-os para patamar inferior ao observado em 2018 e 2019, quando o próprio estado afirmou ter realizado investimentos criticamente baixos”.

Outro ponto de divergência apresentado no parecer é a securitização da dívida - ou seja, o estado quer vender títulos no mercado tendo como remuneração o valor arrecadado da dívida.

Segundo o G1, a expectativa do governo do Rio é arrecadar 19,6 bilhões em 10 anos, mas o Tesouro Nacional considerou esse número alto já que desde 2012, a soma de todos os valores arrecadados com companhia de securitização por todos os estados da federação foi de R$ 10,5 bilhões.

A preocupação do governo do estado é que fora do RRF, o Rio teria que lidar com uma dívida anual de R$ 24 bilhões. A arrecadação de 2021 foi de pouco mais de R$ 53 bilhões.

Na quarta-feira (19), o governador se reúne com o ministro da economia Paulo Guedes para discutir os pareceres negativos do Tesouro Nacional e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

O Regime de Recuperação Fiscal foi criado em 2017 para estados em situação financeira muito grave, o regime libera o estado de pagar suas dívidas com a União em troca de uma série de contrapartidas de arrocho fiscal.

*Com informações da CNN e G1

Edição: Jaqueline Deister

Comentários para "Governador do Rio considera "maldade" retirada do estado do Regime de Recuperação Fiscal":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
PL tem dificuldade para atender Bolsonaro e contratar auditoria privada nas eleições

PL tem dificuldade para atender Bolsonaro e contratar auditoria privada nas eleições

Bolsonaro defendeu a contratação de auditoria privada ao falar em suas redes sociais há duas semanas

Brasil deve mostrar que rejeita

Brasil deve mostrar que rejeita "aventuras autoritárias", diz ministro

País serve como vitrine para comunidade global, afirma Fachin

Supremo Tribunal Federal dá 120 dias para Ministério Público concluir inquérito contra Lindbergh Faria

Supremo Tribunal Federal dá 120 dias para Ministério Público concluir inquérito contra Lindbergh Faria

Ex-senador Lindbergh Farias foi acusado de receber vantagens

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022

Brasil não tolera 'aventuras autoritárias'

STF cria ferramenta para classificar processos em diretrizes da ONU

STF cria ferramenta para classificar processos em diretrizes da ONU

Objetivos e metas fazem parte da Agenda 2030 das Nações Unidas

Aprovada lei que amplia tratamento de cânceres pelo Sistema Único de Saúde

Aprovada lei que amplia tratamento de cânceres pelo Sistema Único de Saúde

A publicação da lei foi feita no Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira (10) e entrará em vigor em 180 dias

A arte e cultura são raios de esperança tecendo o amanhã com o fim do bolsonarismo

A arte e cultura são raios de esperança tecendo o amanhã com o fim do bolsonarismo

O veto a Lei Aldir Blac 2 deve ser medo ou retaliação diante do poder da arte que desenvolve pensamento crítico do povo

Pecuarista que pediu doação para presidente visitou Palácio do Planalto 11 vezes

Pecuarista que pediu doação para presidente visitou Palácio do Planalto 11 vezes

Participaram da audiência pecuaristas que se declararam dispostos a doar dinheiro para a futura campanha do presidente.

Aliados de Lira pressionam por desobediência a decisão do TSE e derrubada do vice-presidente da Câmara

Aliados de Lira pressionam por desobediência a decisão do TSE e derrubada do vice-presidente da Câmara

Se afastar Marcelo Ramos, Lira poderá abrir nova frente de conflito entre Poderes

STF e TSE decidem assinar termo de cooperação para combater ameaça às eleições no Brasil

STF e TSE decidem assinar termo de cooperação para combater ameaça às eleições no Brasil

Órgãos terão reunião nesta semana para formar aliança a fim de combater os riscos em torno do pleito deste ano, visto que uma parcela da população e uma ala do governo põe, cada vez mais em xeque, o sistema eleitoral brasileiro.

'Tem mais coisa pra acontecer na questão da Petrobras', diz Bolsonaro

'Tem mais coisa pra acontecer na questão da Petrobras', diz Bolsonaro

As declarações foram feitas pela manhã, em Brasília, antes da viagem do presidente a São Paulo, mas só divulgadas no período da tarde por um canal bolsonarista no YouTube - e com cortes.