×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 22 de outubro de 2021

Indígenas compram ações de empresa ferroviária para denunciar dano socioambiental

Indígenas compram ações de empresa ferroviária para denunciar dano socioambientalFoto: Pedro Biava

É a primeira vez que o chamado “ativismo societário” é utilizado no Brasil por representantes das comunidades afetadas

Por Pedro Biava-brasil De Fato | São Paulo (sp) - 26/04/2019 - 08:34:41

Representantes de cinco terras indígenas do extremo sul da cidade de São Paulo (SP) e do litoral paulista fizeram um protesto inédito na sede da empresa Rumo Logística, na última quarta-feira (24), em Curitiba (PR), exigindo compensação ambiental em obras de duplicação de ferrovias. Enquanto cerca de 100 representantes dos povos Guarani e Tupi ocupavam a entrada da empresa de forma pacífica, cinco lideranças puderam entrar e participar da Assembleia Anual da multinacional como acionistas.

O objetivo era levar, diretamente aos investidores, denúncias contra a diretoria da empresa, que tem se negado ao diálogo. A Rumo é uma empresa de capital aberto e, por isso, para participar da reunião, basta de ter adquirido uma única ação, como fizeram os Guarani. É a primeira vez que o chamado “ativismo societário” é utilizado no Brasil pelos próprios representantes das comunidades afetadas.

“A nossa intenção não é ganhar recursos, tendo ações dentro da empresa, mas sim ter direito a voz, de levar a realidade para dentro da assembleia”, relata Tiago Karai, liderança Guarani da Terra Indígena Tenondé Porã, de Parelheiros (SP).




Protesto pacífico aconteceu na última quarta-feira. (Foto: Pedro Biava)

Na reunião, os indígenas denunciaram a dificuldade de dialogar com a diretoria da empresa e leram uma carta exigindo que a Rumo Logística cumpra os trabalhos de compensação ambiental pelas obras de duplicação do trecho Itirapina–Cubatão, da malha ferroviária Paulista, realizada em 2011.

Adriano Karai vive na aldeia Tenondé, em Parelheiros (SP), e aponta alguns dos impactos sentidos pelos Guarani: “Tem o barulho do trem, que é a noite toda. Os animais não frequentam mais os locais de caça. A gente não tem mais uma noite calma. Eles também transportam muitos grãos que acabam se espalhando pelo território, e a gente sabe que aquele alimento não é de qualidade, é transgênico”, relata. “E a gente acaba convivendo com o perigo: o trem passa pelos nossos territórios, onde costumamos visitar as aldeias, nas trilhas. A gente corre o perigo de ser atropelado pelo trem, porque agora o trem passa a cada dez minutos”.





Cerca de 70% dos acordos de compensação ambiental estão paralisados na Justiça. (Foto: Pedro Biava)

A estrada de ferro, hoje sob comando da Rumo, corta o território tradicional dos Guarani desde a década de 1930, mas a duplicação do trecho afetou o meio ambiente e a vida das comunidades da região de maneira ainda mais contundente. O Ministério Público Federal (MPF) apurou as denúncias e confirmou o descumprimento das condicionantes ambientais determinadas pelo Ibama.

As comunidades afetadas já se organizaram em um Comitê Interaldeias e, entre as propostas apresentadas, está a de que parte das ações de mitigação passem a ser geridas pelos próprios indígenas.

Dos 101 acordos de compensação ambiental, 72 estão completamente paralisados.

A assembleia terminou sem nenhum acordo firmado, mas representantes da Rumo se comprometeram a levar as demandas dos Guarani e analisá-las para uma reunião da empresa que será realizada em maio.

Edição: Daniel Giovanaz

Comentários para "Indígenas compram ações de empresa ferroviária para denunciar dano socioambiental":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Segundo as investigações da polícia, o gerente cometeu atitude discriminatória contra a delegada Ana Paula Barroso, que é negra no último dia 14 de setembro.

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Em 2020, recusa à doação de órgãos por parentes ficou em 37,8%