×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de novembro de 2021

Jair Bolsonaro, ao manter “juiz de garantias”, mostrou-se um frouxo

Jair Bolsonaro, ao manter “juiz de garantias”, mostrou-se um frouxoFoto: Antônio Cruz-Agencia Brasil

Bolsonaro ficou a favor de Marcelo Freixo, autor da emenda, e contra o seu próprio ministro Sergio Moro

J.r. Guzzo-portal Metrópoles - 27/12/2019 - 11:45:58

Você ainda se lembra da bomba de hidrogênio que foi jogada uns meses atrás na política brasileira e que, naturalmente, iria “mudar tudo” nesse país? Foram as “gravações das conversas” do ministro Sergio Moro, obtidas através do crime de furto de comunicação telefônica, e publicadas na mídia com um veredito quase unânime dos “analistas”: Moro teria cometido ilegalidades de natureza “gravíssima” nos processos da Lava Jato e, portanto, estava liquidado, morto e enterrado como homem público.

As decisões da Lava Jato seriam anuladas. As centenas de ladrões do erário que foram condenados por corrupção na justiça seriam prontamente reabilitados. O próprio Moro, segundo os “juristas” chamados a falar sobre o caso, poderia, imaginem só, ser processado, condenado e preso.


E o que aconteceu, na vida real? Sérgio Moro não só continua ministro e uma das figuras mais populares do Brasil, como acaba de ser eleito como uma das “ 50 personalidades da década ” pelo Financial Times britânico, órgão de comunicação tido pelo mundo afora como portador do dom da infalibilidade – sobretudo quanto senta a pua no governo Bolsonaro e suas adjacências, ocasiões em que suas bulas de condenação são avidamente reproduzidas pela mídia mundial.

“Sergio Moro liderou uma investigação anti-corrupção que abalou as estruturas políticas da América Latina”, diz o Financial Times. Não há nenhum outro brasileiro entre essas 50 personalidades mais importantes da década – nada mal para quem, uns poucos meses atrás, era amaldiçoado nas mais altas esferas d saber brasileiro como um “ juiz de linchamentos ”.

O resto é o resto. Nenhuma das decisões de Moro, depois de examinadas com lupa nas instâncias superiores, foi modificada por conta das “gravações”. Nenhuma ilegalidade foi encontrada em nada do que ele fez durante seus quatro anos no comando da Lava Jato. Não se achou nada de errado, nem nas conversas furtadas, nem em lugar nenhum.

A única verdade que ficou provada, além de qualquer dúvida, foi o crime praticado contra ele por hackers e aproveitado por um jornalista que teve seus 15 minutos de fama – e desde então sumiu do mapa Os criminosos que furtaram suas conversas estão sendo processados na Justiça. Deu tudo errado – menos para Sergio Moro.

É verdade que o presidente Jair Bolsonaro se recusou a vetar a aberração do “ juiz de garantias ”, invenção da Câmara para proteger criminosos de todos os tipos – segundo Marcelo Freixo, parceiro numero 1 da bandidagem no Brasil, é “um aprimoramento” da justiça para evitar “abusos” contra acusados presos.

Moro pediu, com todos os argumentos, que Bolsonaro vetasse mais essa agressão às vítimas dos criminosos. Bolsonaro ficou a favor de Freixo e contra o seu próprio ministro. Mas isso só engrandece Sergio Moro e justifica a distinção que recebeu do Financial Times. Quem sai do episódio como frouxo é o presidente da República.

Comentários para "Jair Bolsonaro, ao manter “juiz de garantias”, mostrou-se um frouxo":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho

A defesa dos acusados alegou que, na denúncia apresentada pela Promotoria, há elementos que indicam interesse jurídico da União na ação. É o caso de possíveis danos a sítios arqueológicos, que são bens da União.

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Vale a pena criar novo Fundo Amazônia? Especialista responde

Criado em 2008, Fundo Amazônia financiado majoritariamente por Alemanha e Noruega não recebe repasses desde 2019. Em entrevista com Sputnik Brasil, especialista analisou o que governo poderia fazer com a estrutura.

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Pesquisa mostra brasileiros mais preocupados com pobreza e pandemia

Poluição e escassez de água potável também preocupam

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

Segundo dia de aplicação do Enem é amanhã

É recomendado que se leve o Cartão de Confirmação da Inscrição

Dos pasquins à internet: Jornalismo negro atravessou séculos em luta contra o racismo

Dos pasquins à internet: Jornalismo negro atravessou séculos em luta contra o racismo

Anos à frente da mídia tradicional na cobertura das desigualdades do Brasil, mídia preta enfrenta desafios históricos

Vale, Tüv Süd e 19 pessoas são indiciadas pela Polícia Federal pela tragédia de Brumadinho

Vale, Tüv Süd e 19 pessoas são indiciadas pela Polícia Federal pela tragédia de Brumadinho

Inquérito segue agora para o MPF; gestores e diretores das empresas multinacionais estão entre os indiciados

Brasil ‘não pode ser atraente para o turismo antivacina’, diz diretor da Anvisa

Brasil ‘não pode ser atraente para o turismo antivacina’, diz diretor da Anvisa

“Agora, o Brasil não pode ser atraente para o turismo antivacina. Isso não é razoável, não é aceitável, e nós iremos às ultimas consequências defendendo as nossas posições embasadas em ciência para proteger o nosso cidadão”, complementou o diretor da Anvisa.

Campanha Natal Sem Fome do MST arrecada recursos para doação de alimentos; Saiba como ajudar

Campanha Natal Sem Fome do MST arrecada recursos para doação de alimentos; Saiba como ajudar

Para contribuir com a campanha, é possível doar recursos financeiros que irão auxiliar na produção das cestas

Decisão do STJ impede obra de resort em Restinga de Maricá no Rio

Decisão do STJ impede obra de resort em Restinga de Maricá no Rio

A ação suspende qualquer empreendimento nesta área ambiental

Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco

Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco

Novas modalidades estarão disponíveis na próxima segunda-feira

Senado aprova BR do Mar, projeto que visa impulsionar navegação em portos nacionais

Senado aprova BR do Mar, projeto que visa impulsionar navegação em portos nacionais

A proposta foi aprovada pelos senadores, mas voltará à Câmara dos Deputados uma vez que o texto sofreu alteração. Posteriormente, segue para sanção do presidente, Jair Bolsonaro.