×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 04 de dezembro de 2021

Mercado livre de energia: Solução para um setor mais competitivo e eficiente

Mercado livre de energia: Solução para um setor mais competitivo e eficienteFoto: Divulgação

Para aumentar a geração de energia por fontes mais sustentáveis, é preciso mais investimentos, uma legislação que dê segurança jurídica aos investidores e liberalização do mercado livre para ganhar competitividade.

*por Claudio Ribeiro - 26/10/2021 - 15:42:18

O período de seca dos últimos meses, sem o registro de chuvas significativas nos reservatórios de todo o país, reacendeu o debate no setor elétrico sobre a matriz energética brasileira. Será que vamos depender eternamente das hidrelétricas? Não é possível investir em outras fontes limpas de energia e ter um sistema mais eficiente? Ou vamos precisar sempre recorrer às térmicas?

O País passa por um momento crítico, o que abre espaço para discussões extremamente necessárias, como o bom uso das matrizes energéticas, tecnologia aplicada ao setor elétrico, novas oportunidades ao consumidor e preços não abusivos. É preciso olhar todos esses pontos e buscar por uma solução mais eficiente, que acarrete um sistema moderno de norte a sul do país, com tarifas a preço justo.

O Brasil tem um imenso potencial para energia renovável e é possível dar mais eficiência a todo sistema que já temos. O primeiro passo é incentivar a geração de energia limpa, como eólica e solar. Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), em setembro de 2021, de toda a geração de energia no país, apenas 10% foi proveniente de usinas eólicas e míseros 2% de usina solar fotovoltaica; as fontes hídricas correspondem a quase 60%.

Para aumentar a geração de energia por fontes mais sustentáveis, é preciso mais investimentos, uma legislação que dê segurança jurídica aos investidores e liberalização do mercado livre para ganhar competitividade.

Os investimentos via mercados de capitais têm sido uma alternativa importante para essa nova onda que se inicia no setor energético, pois possibilitou a entrada da 2W Energia no setor de produção de energia limpa. Estamos construindo nosso primeiro parque eólico localizado no Rio Grande do Norte, e início de projeto do segundo localizado no Ceará

É importante ressaltar que a liberalização do mercado livre traz mais benefícios aos consumidores, pois acarreta em um mercado mais competitivo e eficiente, com mais oferta e uma energia mais limpa, promovendo um sistema mais sustentável com uma conta de luz mais barata.

E, se dentro deste sistema, tivermos condições de aproveitar toda energia produzida, redistribuindo o que for excedente de um ou de outro lado, balanceando produção versus consumo, seria o ideal.

O Brasil está em risco iminente de racionamento de energia e, até mesmo, de um apagão, por conta das secas dos reservatórios, o que eleva a cada dia os preços da energia. Grandes corporações estão investindo na autoprodução de energia para garantir o próprio abastecimento, e isso acontece porque as empresas buscam alternativas para baratear o gasto na conta de luz. Hoje, parte dos consumidores acredita no equilíbrio entre mercado livre a e geração de parte de sua demanda.

A partir do momento em que existe um sistema eficiente, é possível organizar o uso das diferentes matrizes energéticas. Afinal, a energia solar só é gerada durante o dia e os ventos também não geram energia a todo o momento. Quando se tem uma organização das fontes de energia, não há sobrecarga em nenhuma das matrizes, pois o Operador Nacional do Sistema poderia direcionar o tipo de energia a ser consumido em determinado horário, aproveitando cada fonte energética de acordo com a necessidade do sistema.

Esse modelo já é usado na Europa há muito tempo. Lá, a liberalização do mercado de energia está ao acesso de todos, como acontece em países como Inglaterra e Portugal, por exemplo. Consumidores comuns, aqueles que chamamos de mercado cativo, compram a energia de forma muito simples, por meio de aplicativo.

A 2W Energia vem trabalhando em soluções para que pequenas e médias empresas possam fazer essa migração para o mercado livre de energia. A experiência nos mostra que consumidores que migraram para o mercado livre têm obtido excelentes resultados, com diminuição dos gastos na conta de luz e chancela da sustentabilidade com o consumo verde. Isso pode ser estendido a todos os clientes.

O Brasil avançou bastante nos últimos 20 anos no setor de energia elétrica, caminha para uma liberalização do setor de energia, mas ainda temos muito a fazer. A crise veio nos lembrar que o tema é urgente e precisa estar na pauta governamental o quanto antes. Ou vamos esperar

*Claudio Ribeiro é CEO da 2W Energia

Comentários para "Mercado livre de energia: Solução para um setor mais competitivo e eficiente":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Zoomlion divulga 16 novos produtos de energia, adotando totalmente a fabricação verde e capacitando o crescimento global sustentável

Zoomlion divulga 16 novos produtos de energia, adotando totalmente a fabricação verde e capacitando o crescimento global sustentável

A Zoomlion Heavy Industry Science & Technology Co., Ltd. ("Zoomlion"; 1157 HK) lançou 16 novos produtos de energia em oito grandes categorias em 26 de novembro em seu Parque Industrial Lugu, em Changsha, na China.

Já estão disponíveis: Produtos de TI mais sustentáveis

Já estão disponíveis: Produtos de TI mais sustentáveis

Rumo a produtos de TI sustentáveis

Sessão reúne especialistas para discutir a jornada do Open Banking no Brasil

Sessão reúne especialistas para discutir a jornada do Open Banking no Brasil

Mas, ainda há muito a ser feito e as iniciativas estão só começando a surgir.

Mercado PET se prepara para retomada e prevê mais investimentos

Mercado PET se prepara para retomada e prevê mais investimentos

Preparando-se para mais uma alta no mercado, empresários do setor aguardam pelas novidades para o próximo ano. A expectativa é que os consumidores estejam atentos aos produtos para entreter e cuidar da saúde dos animais

Marcas apostam em celebridades para criar engajamento e novas conexões

Marcas apostam em celebridades para criar engajamento e novas conexões

Dom Perignon fez uma garrafa com Lady Gaga, a vodka Stolichnaya criou rótulo comemorativo estampando Harvey Milk, ativista que defendia direitos da comunidade LGBT.

Sequestro de carbono, uma solução à vista

Sequestro de carbono, uma solução à vista

Um dos entraves para a captura e armazenamento de carbono onshore no Brasil é a falta de regulamentação

Nova foodtech de carne vegetal investe na proteína de jaca

Nova foodtech de carne vegetal investe na proteína de jaca

A Fábrica Meatz quer fazer frente a concorrentes com distribuição nacional

Inflação, alta de juros, câmbio depreciado e dúvida fiscal desafiam a economia brasileira no pós-pandemia

Inflação, alta de juros, câmbio depreciado e dúvida fiscal desafiam a economia brasileira no pós-pandemia

16º SIAC - Seminário internacional Acrefi 2021 reúne economistas para debater prognósticos e desafios no pós-pandemia

4 Hábitos é indicada como uma das seis melhores startups de empresas ambientalmente responsáveis

4 Hábitos é indicada como uma das seis melhores startups de empresas ambientalmente responsáveis

A startup brasiliense tem se destacado entre aceleradoras e fundos de investimentos por ser uma empresa ambientalmente responsável e economicamente rentável

Vacinação tem possibilitado normalização da atividade no País, diz diretora do BC

Vacinação tem possibilitado normalização da atividade no País, diz diretora do BC

Participante do evento Itaú Macro Vision 2021, Fernanda Guardado ponderou, contudo, que há países defasados no processo de vacinação, o que faz com que o risco de desenvolvimento de novas variantes permaneça.

BNDES quer arrecadar R$ 500 mi para restaurar florestas nativas

BNDES quer arrecadar R$ 500 mi para restaurar florestas nativas

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, apresentou o novo programa no pavilhão do Brasil durante a Conferência do Clima das Nações Unidas (COP-26).