×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de junho de 2022

‘O seguro não precisa ser chato, pode ser sexy’, afirma CEO da Porto

‘O seguro não precisa ser chato, pode ser sexy’, afirma CEO da PortoFoto: Divulgação

“O seguro pode ser pop. Acreditamos que há um espaço para isso”, afirma. “Estamos até conseguindo atrair talentos que estão vendo que o seguro não precisa ser um troço chato, mas até sexy.”

Estadão Conteúdo - 12/06/2022 - 07:34:08

Perto de completar 80 anos, a ex-Porto Seguro fez a sua maior transformação da história. Desde abril, a empresa se chama somente de Porto, com a intenção de mostrar aos consumidores que deixou de ser apenas uma seguradora. Isso porque, com o crescimento de outras áreas de negócio, a participação do carro-chefe da empresa vem caindo, embora represente atualmente 67% do faturamento.


Isso não quer dizer, no entanto, que Roberto Santos, presidente da Porto, tenha deixado o principal produto da empresa de lado. Ao contrário: a ideia da companhia é fazer com que seguros sejam vistos como produtos mais populares e até mesmo "sexy".


“O seguro pode ser pop. Acreditamos que há um espaço para isso”, afirma. “Estamos até conseguindo atrair talentos que estão vendo que o seguro não precisa ser um troço chato, mas até sexy.”

Mesmo com alta de 21,4% no lucro do primeiro trimestre, ante o mesmo período do ano anterior, as ações da companhia têm queda de quase 30% em 12 meses. “Às vezes fico um pouco incomodado porque não tenho sangue de barata, mas acredito que o mercado ainda não conseguiu enquadrar a Porto.”

Leia, a seguir, os principais trechos da entrevista.


Como foi tomada a decisão de mudar o nome da empresa para Porto?

A mudança da marca Porto Seguro e a criação de outras é uma evolução do processo de reorganização iniciado em março do ano passado, quando criamos as verticais de negócios. Com isso, ter novas marcas se tornou algo natural. E o nome Porto foi uma forma de assumirmos nosso apelido. Foi algo que aconteceu com outras empresas, como a Vale do Rio Doce que virou Vale.


É possível tirar o foco dos seguros? Afinal, é o principal negócio da empresa há décadas.


É um grande desafio, mas essa reorganização já está trazendo resultados. No primeiro trimestre, por exemplo, tivemos um crescimento acima de 21%. Se olharmos isoladamente, a área de seguros subiu 16%, enquanto o banking (setor financeiro) subiu 37% e a área de serviços aumentou 35,6%.



O crescimento vai continuar mesmo com as incertezas da economia, como inflação e juros altos?

Um país com 78% de endividamento preocupa e impacta diretamente o poder de compra da população. Ainda há muita insegurança e volatilidade em relação às eleições, o que faz pessoas e empresas segurarem investimentos. Estamos preocupados com isso. Mas o nosso crescimento segue avançando. A pandemia ajudou o setor de seguros. Ela criou um conceito de necessidade de proteção, então o seguro acabou se destacando.



Mas os sinistros também aumentaram…

Alguns indicadores mexeram com o resultado. A sinistralidade de algumas áreas aumentou, como em automóveis e seguro fiança. No caso dos carros, nem foi a questão de roubos, mas o descolamento dos preços. Já nos serviços financeiros, o cartão de crédito acabou também tendo impacto da inadimplência. Houve um aumento dos atrasos acima de 90 dias, mas ainda está em um patamar aceitável.


Vocês estão enxergando alguma melhora nesses indicadores?

Já estão melhorando, mas o nível de inadimplência voltará de maneira mais lenta. Porém, tem a incerteza com o que vai acontecer com o desemprego e o endividamento. Mesmo assim, o mercado de seguros é muito resiliente, e reagimos bem a essas questões.


A ordem, então, é ser mais conservador? O setor de seguros é conhecido por isso.



O setor passa a imagem de conservadorismo nas apólices tradicionais, mas cada vez mais o mercado tem se modificado. No produto Azul por Assinatura, por exemplo, o consumidor compra e cancela o produto quando quiser, com um valor menor, o que ajuda a atrair donos de carros mais antigos. Mas também há o lado de que há coparticipação do usuário, que recebe 90% do valor do carro. Isso dá uma liberdade ao consumidor. Tem muita tecnologia embarcada e estamos conseguindo mudar até a imagem de empresa como empregadora. Estamos até conseguindo atrair talentos que estão vendo que o seguro não precisa ser um troço chato, mas até sexy.



O seguro pode ser pop?

O seguro pode ser pop. Há espaço para isso. O Azul por Assinatura, por exemplo, foi o nosso primeiro produto nativo digital e decidimos fazer o lançamento no Big Brother Brasil.


E como ficam os corretores com o crescimento dos seguros digitais?

Antes, a visão dentro da Porto Seguro era que o nosso cliente era o corretor, e não o segurado. Então, tudo era construído para conhecer o corretor. (Mas) vimos que precisávamos conversar com os segurados também. Perguntamos para os corretores se poderíamos falar com os clientes deles e oferecer ofertas no aplicativo, por exemplo. Aí eu construo uma jornada com o cliente e ofereço produtos que ele precisa a partir da análise de dados. E ainda assim eu comissiono o corretor.


Mesmo com essas novidades, o mercado ainda está com dúvidas em relação à Porto, as ações caem 30% em 12 meses...


Não perco meu sono por causa da precificação. Não tomamos atitudes em cima do que pode acontecer na Bolsa. Às vezes fico um pouco incomodado porque não tenho sangue de barata, mas acredito que o mercado ainda não conseguiu enquadrar a Porto, pois é uma empresa além de uma seguradora.



fonte: Estadão Conteudo


Comentários para "‘O seguro não precisa ser chato, pode ser sexy’, afirma CEO da Porto":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Logística verde reduz em 21% a emissão de gases de efeito estufa

Logística verde reduz em 21% a emissão de gases de efeito estufa

Agropalma implementa caminhão movido a gás natural em sua operação

Mercado de vinhos no país registra alta no primeiro quadrimestre do ano

Mercado de vinhos no país registra alta no primeiro quadrimestre do ano

Empresa registrou um mix de vendas estável em relação ao mesmo trimestre de 2021, com as categorias premium Principal e Invest respondendo por metade das receitas (49,9%).

Portal Solar Franquia planeja selecionar mais 200 unidades este ano

Portal Solar Franquia planeja selecionar mais 200 unidades este ano

Rede de microfranquias participa da feira de franchising ABF Expo 2022

Vivalá lança expedições de Volunturismo nas áreas de saúde, educação, meio ambiente e bioeconomia na Amazônia

Vivalá lança expedições de Volunturismo nas áreas de saúde, educação, meio ambiente e bioeconomia na Amazônia

Expansão faz parte da estratégia da organização em gerar cada vez mais impacto socioambiental positivo nos biomas e em comunidades tradicionais brasileiras.

Inscrições para o edital Revista TODOS Drogasil são prorrogadas para terça-feira

Inscrições para o edital Revista TODOS Drogasil são prorrogadas para terça-feira

Programa vai financiar ONGs de saúde com até R$ 500 mil, totalizando um investimento de até R$ 3,7 milhões

Mês do Meio Ambiente: Evento discute logística reversa na indústria farmacêutica

Mês do Meio Ambiente: Evento discute logística reversa na indústria farmacêutica

O evento, que serve ainda para celebrar o 50º aniversário da Conferência de Estocolmo e acelerar os esforços para cumprir a Agenda de 2030

Mastercard celebra o mês do orgulho LGBTQIA+ no metaverso

Mastercard celebra o mês do orgulho LGBTQIA+ no metaverso

A Mastercard participa pela primeira vez como patrocinadora oficial da Parada do Orgulho LGBTQIA+ de Decentraland Mastercard Pride Plaza, um espaço desenvolvido na Decentraland que sediará experiências que não têm preço.

Produção nacional de azeite já é recorde em 2022

Produção nacional de azeite já é recorde em 2022

Além disso, olivicultores das duas principais regiões produtoras do país, Rio Grande do Sul e Serra da Mantiqueira, após uma década de produção, já podem lidar com oliveiras mais desenvolvidas, que produzem mais frutos por pé

Feira reúne empreendedores do setor de reciclagem da América Latina

Feira reúne empreendedores do setor de reciclagem da América Latina

A 12ª Edição da Exposucata, que acontece no São Paulo Expo, de 12 a 15 de junho, reúne os principais fornecedores de tecnologia para este mercado

Com energia solar em crescimento,

Com energia solar em crescimento, "marketing verde" entra como ponto fundamental no planejamento estratégico das empresas

Empresas que estão conectadas com o coletivo estão um passo à frente, afirma Saulo Camelo

Fairmont Rio Copacabana é hotel-anfitrião da LGBT+ Turismo Expo

Fairmont Rio Copacabana é hotel-anfitrião da LGBT+ Turismo Expo

Associado da IGLTA e mais novo cinco estrelas de Copacabana, hotel abre seu espaço de eventos para receber a próxima edição da única feira dedicada ao Turismo LGBT+ no Brasil