×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de outubro de 2021

Primeira ouvidora trans eleita no PR: “Quero dar visibilidade à população da qual faço parte”

Primeira ouvidora trans eleita no PR: “Quero dar visibilidade à população da qual faço parte”Foto: Arquivo pessoal

Karollyne Nascimento, 47 anos, mulher trans, foi eleita ouvidora da Defensoria Pública do Paraná para o mandato 2021/2023.

Ana Carolina Caldas - Brasil De Fato | Curitiba (pr) - 07/09/2021 - 09:53:19

Foi na luta por um ambulatório para população trans que Karollyne reconheceu a importância da Defensoria Pública

Karollyne Nascimento, 47 anos, mulher trans, foi eleita ouvidora da Defensoria Pública do Paraná para o mandato 2021/2023. É a primeira mulher trans a ser eleita para este cargo. Concorreram também ao cargo a líder popular e do movimento negro, Andreia Lima, e a advogada Eliza Ferreira. Durante a eleição (transmitida via YouTube), as candidatas tiveram a oportunidade de contar sobre suas trajetórias junto aos movimentos populares, além de responderem a questões levantadas pelos conselheiros sobre suas propostas.

A trajetória de Karollyne é marcada pela forte atuação em prol dos direitos de travestis e transexuais. De 2018 a 2021, foi coordenadora geral do Transgrupo Marcela Prado. Ao Brasil de Fato Paraná, ela disse que foi nesta entidade que ampliou relações e começou a se interessar pelo trabalho junto à Defensoria Pública. “Dentro desta instituição, tive a oportunidade de participar de vários espaços de representações e discussões de diversos movimentos dos quais hoje tenho muita proximidade e boa comunicação”, contou Karollyne.

No meio do caminho, Karollyne se envolveu na luta para conseguir implementar um ambulatório trans no Hospital de Clínicas. “Minha aproximação com a Defensoria se deu através das discussões para garantir o ambulatório. Desde então, permaneci em contato com a Defensoria para outros projetos”, disse.

:: Governo do Paraná dificulta acesso à saúde para população trans e travesti ::

Para ela, concorrer à vaga de ouvidora da Defensoria também teve como objetivo dar visibilidade às lutas especifica da população trans e travesti. “Eu resolvi me inscrever para me somar à luta das mulheres e também dar visibilidade à população da qual faço parte, que jamais imaginou poder ocupar tal espaço. Pretendo, em parceria com movimentos sociais, sociedade civil e com a estrutura da defensoria, garantir o atendimento ao público mais vulnerável e garantir seus direitos ”, explicou.

A ouvidora eleita destaca que sabe que também há problemas a serem enfrentados. "A Defensoria tem um papel relevante no que se refere ao acesso à justiça, sendo um órgão muito importante, principalmente, para a população de baixa renda. Mas como órgão público que é, entendo que tem suas deficiências e que acabam por refletir no atendimento ao público", argumentou Karollyne

:: Agenda anti-gênero de Bolsonaro torna população trans uma inimiga, diz ativista ::

Ativista de Direitos Humanos, Karollyne Nascimento também integrou o Conselho Permanente de Direitos Humanos do Paraná (COPED), representando o Transgrupo Marcela Prado, é conselheira Municipal de Saúde, conselheira Municipal dos Direitos da Mulher, membra consultiva da CDSG/OAB, membra consultiva da CEVIGE/OAB, membra do Comitê LGBTI da Sejuf, membra do GT LGBTQI da SESP e membra da Marcha Mundial das Mulheres, além de atuar também no grupo Desencarcerar PR e Pastoral Carcerária.

Fonte: BdF Paraná

Edição: Lia Bianchini

Comentários para "Primeira ouvidora trans eleita no PR: “Quero dar visibilidade à população da qual faço parte”":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Projeto promove educação antirracista em Taguatinga, no Distrito Federal

Projeto promove educação antirracista em Taguatinga, no Distrito Federal

‘Cidade Cor’ vai reunir estudantes de 34 escolas para bate-papo e show da cantora Ellen Oléria

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

'Nada pode me limitar ou definir', diz a modelo com síndrome de Down

O sonho de ser modelo, ela relata, começou aos 16 anos, quando foi internada com meningite bacteriana e ficou dez dias em coma.

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Inquérito que investiga loja da Zara por abordagem racista será enviado ao MP

Segundo as investigações da polícia, o gerente cometeu atitude discriminatória contra a delegada Ana Paula Barroso, que é negra no último dia 14 de setembro.

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.