×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 27 de novembro de 2021

Promotor do TPI abre investigação sobre crimes contra a humanidade na Venezuela

Promotor do TPI abre investigação sobre crimes contra a humanidade na VenezuelaFoto: ICC- CPI

Sede do Tribunal Penal Internacional, TPI, em Haia.

Agência Onu News De Noticias - 05/11/2021 - 19:47:22

Karim A.A. Khan firma memorando de entendimento com presidente Nicolás Maduro para que haja uma colaboração efetiva no processo; meta é investigar uso da força durante manifestações e protestos ocorridos desde 2017.

O promotor-chefe do Tribunal Penal Internacional, TPI, decidiu abrir uma investigação sobre o uso da força durante protestos e manifestações ocorridos na Venezuela desde 2017.

A decisão de Karim Khan acontece após denúncias de que as forças de segurança do Estado “teriam usado frequentemente a força excessiva para dispersar e reprimir manifestações” no país.

Em busca da verdade

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Foto: UNTV screen grab

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

O promotor do TPI anunciou a decisão em Caracas, onde firmou um memorando de entendimento com o presidente venezuelano, para que exista uma colaboração efetiva, “apesar das diferenças de opinião sobre o assunto.”

O memorando esclarece que ainda não foi identificado “nenhum suspeito nem objetivo”, mas a investigação tem como meta “esclarecer a verdade e se existem ou não motivos para acusar alguém”.

Durante o anúncio da investigação, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou que “respeita a decisão enquanto Estado, apesar de não concordar”. Segundo Maduro, o acordo firmado garantirá “a cooperação, o apoio mútuo e o diálogo construtivo entre a Venezuela e a promotoria do Tribunal Penal Internacional”.

O promotor do TPI afirmou estar ciente “das linhas divisórias políticas e das divisões geopolíticas”. Khan explicou que é guiado pelos “princípios da legalidade e do Estado de direito” e lembrou a importância do seu escritório ter o espaço necessário para poder realizar o trabalho.

Sem politização

Karim Khan disse ainda que irá “reprimir qualquer esforço em politizar” o seu trabalho e lembrou que qualquer “pessoa justa deveria aplaudir quem está ao lado da lei e trabalhar com todos que estão buscando erguer a bandeira da Justiça”.

Segundo o TPI, a abertura da investigação formal acontece após um exame preliminar, feito em 2018, para analisar as denúncias de que “as forças de segurança do Estado fizeram um uso frequente da força excessiva para dispersar e reprimir manifestações na Venezuela”.

Na análise consta ainda que teriam sido presos “milhares de supostos integrantes da oposição, sendo que muitas dessas pessoas teriam sido vítimas de maus-tratos e de abusos durante a detenção”.

Em 2020, a promotoria do TPI concluiu que havia uma base razoável de evidências sobre crimes contra a humanidade desde abril de 2017. Agora, acontece a investigação formal. Segundo Khan, sua visita oficial a Caracas foi marcada por quatro dias intensos de reuniões.

Comentários para "Promotor do TPI abre investigação sobre crimes contra a humanidade na Venezuela":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Bullying é realidade entre escolares, alerta pesquisa

Bullying é realidade entre escolares, alerta pesquisa

Segundo a especialista, convive-se em meio a uma geração analógica que ainda não compreendeu a gravidade dessa forma de violência.

Nova pesquisa constata: Situação das crianças do Líbano piora de forma dramática, revela Unicef

Nova pesquisa constata: Situação das crianças do Líbano piora de forma dramática, revela Unicef

Médica do Unicef trata crianças no Líbano.

Laureados com o Tang Prize buscam justiça ambiental e judicial por meio de litígios de interesse público

Laureados com o Tang Prize buscam justiça ambiental e judicial por meio de litígios de interesse público

A Tang Prize Foundation convida todos a visitar nosso canal oficial no YouTube para assistir a essas palestras e aprender sobre algumas das questões mais urgentes.

Assembleia Geral adota plano global contra tráfico de pessoas

Assembleia Geral adota plano global contra tráfico de pessoas

Assembleia Geral da ONU adotou nesta segunda-feira uma declaração política que reúne ações para combater o tráfico de pessoas

Falta de saneamento básico mata 700 crianças abaixo de cinco anos por dia

Falta de saneamento básico mata 700 crianças abaixo de cinco anos por dia

Mais de 3,6 bilhões de pessoas vivem sem saneamento básico, o que representa quase 50% da população global

MPDFT lança cartilha que esclarece sobre crimes de racismo e injúria racial

MPDFT lança cartilha que esclarece sobre crimes de racismo e injúria racial

No Dia da Consciência Negra, o Ministério Público do DF e Territórios lança a cartilha “Você foi vítima de um crime racial? Conheça seus direitos” em conjunto com uma campanha que será iniciada amanhã nas redes sociais.

Parlamentares entregam carta a embaixador de El Salvador para pedir liberdade de Vanda Pignato

Parlamentares entregam carta a embaixador de El Salvador para pedir liberdade de Vanda Pignato

Brasileira, a ex-primeira-dama de El Salvador, Vanda Pignato, está há mais de três anos cumprindo prisão domiciliar no país da América Central

Distritais aprovam projeto de lei que institui Política pela Primeira Infância

Distritais aprovam projeto de lei que institui Política pela Primeira Infância

A primeira infância compreende o período da gestação até os primeiros 6 (seis) anos de idade das crianças.

Mais um muro no Texas, desta vez contra pessoas trans no esporte

Mais um muro no Texas, desta vez contra pessoas trans no esporte

Lei texana impede transgêneros de competir junto a times e equipes correspondentes à sua identidade de gênero

Em vídeo, homem desesperado implora por comida no DF:

Em vídeo, homem desesperado implora por comida no DF: "É fome, por favor, é fome!"

Homem desesperado implora por comida em estacionamento de prédio no Distrito Federal

FAO pede liderança firme para erradicar trabalho infantil na agricultura

FAO pede liderança firme para erradicar trabalho infantil na agricultura

Menino trabalha em Catmandu, no Nepal.