×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de janeiro de 2022

Saiba como contribuir com a Campanha Natal Sem Fome do MST

Saiba como contribuir com a Campanha Natal Sem Fome do MSTFoto: Wellington Lenon/MST Paraná

Ações de solidariedade do MST no Paraná

Brasil De Fato | Recife(pe) - 13/12/2021 - 18:37:25

A ação solidária levará cestas com alimentos da reforma agrária para indígenas e comunidades periféricas

As doações para a C ampanha Natal Sem Fome - cultivando a solidariedade para alimentar o povo - começaram nesta sexta-feira (10) e seguem até 6 de Janeiro. A inciativa é do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em parceria com coletivos, sindicatos e outras organizações populares. A prioridade da campanha é ajudar famílias desempregadas, pessoas que moram nas ocupações, populações indígena e em situação de rua. Veja os detalhes para participar da campanha no final desta matéria.


As cestas de natal do MST são formadas por alimentos produzidos em assentamentos da reforma agrária. A proposta é que cada cesta consiga suprir a demanda de uma família com até quatro pessoas por um mês. Para isso, a coordenação da campanha está reforçando a importância das doações, de modo que o movimento consiga levar o maior número possível de itens para as famílias beneficiadas.

"O foco da nossa campanha este ano é a gente poder arrecadar alimentos das nossas áreas, mas também doações, recursos financeiros, para que a gente possa montar cestas da reforma agrária e possa entregar para população que se encontra em situação mais vulnerável", explicou Luana Carvalho, da direção nacional do MST.

O Natal Sem Fome do MST estará presente em diversos estados, como São Paulo, Pernambuco, Paraná e Mato Grosso do Sul. Há pontos de arrecadação nos 15 Armazéns do Campo e áreas parceiras. A lista completa dos espaços está disponível no site do MST.


Além das doações das cestas básicas, o MST também pretende levar, por meio da campanha, informações sobre o processo de desmontes de políticas do governo Bolsonaro que levaram a população à situação de fome. A campanha conta com o apoio de artistas e figuras públicas, como a apresentadora Xuxa Meneghel e o economista Eduardo Moreira.

Solidariedade

A campanha foi lançada no dia 10 de dezembro, quando é o comemorado o Dia Internacional dos Direitos Humanos. A solidariedade, desde o início da pandemia, tem sido uma característica do MST na luta pelos direitos humanos no Brasil.

"Há 72 anos, as organizações de todo o mundo declararam esse dia, como o dia de luta pelos direitos humanos. Agora, tem coisa mais fundamental para o ser humano do que o alimento? É disso que nós estamos falando, por isso o MST, a CUT, intelectuais, professores estão mobilizados nessa campanha do Natal Sem Fome”, afirmou o dirigente do movimento, João Pedro Stedile, em convocatória para participar da campanha.


Desde o início da pandemia, o MST já doou 5 mil toneladas de alimentos saudáveis, 1 milhão de marmitas e 50 mil máscaras. Os dados da conta bancária para doação estão logo abaixo:

CONTA BANCÁRIA

Caixa Econômica
AG 1231
CC 2260-1 OP 003
CNPJ 11.586.301/0001-65
PIX: campanha@institutocultivar.org.br

Edição: Mauro Ramos

Comentários para "Saiba como contribuir com a Campanha Natal Sem Fome do MST":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório

"Que seja transparente”, diz Erika Hilton sobre regulamentação do Fundo de Combate à Fome

Em entrevista ao Brasil de Fato, Hilton afirmou que a importância da legislação é “gigantesca”

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Projeto leva atividades esportivas para pessoas com deficiência no DF

Inscrição é gratuita e pode ser feita pela internet

Resolução da Assembleia Geral pede atuação de redes sociais contra negação ao Holocausto

Resolução da Assembleia Geral pede atuação de redes sociais contra negação ao Holocausto

Resolução da Assembleia Geral elogia nações que se envolveram ativamente na preservação dos locais que serviram como campos de extermínio nazistas

Estudantes brasileiros analisam impacto da pandemia na alimentação escolar

Estudantes brasileiros analisam impacto da pandemia na alimentação escolar

Com o fechamento das escolas, em março passado, bilhões de merendas deixaram de ser distribuídas em todo o globo

Vara da Infância e da Juventude do DF lança campanha para arrecadar material escolar

Vara da Infância e da Juventude do DF lança campanha para arrecadar material escolar

A ação é coordenada pelo programa social da VIJ-DF, Rede Solidária Anjos do Amanhã

Polícia divulga suspeito pela morte de Beatriz Mota; saiba quais os próximos passos do processo

Polícia divulga suspeito pela morte de Beatriz Mota; saiba quais os próximos passos do processo

Beatriz foi encontrada sem vida após golpes de faca no momento em que ocorria uma festa na escola onde estudava

TJDFT: Maria da Penha Vai à Escola é incluído em Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

TJDFT: Maria da Penha Vai à Escola é incluído em Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

Como parceiro institucional, o TJDFT participou, ainda, da instalação dos Núcleos Integrados de Atendimento à Mulher – NUIAMs, uma iniciativa da Polícia Civil do DF, que também consta no Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

Funai de Bolsonaro é pior que a de 1968, diz indigenista que enfrentou a ditadura militar

Funai de Bolsonaro é pior que a de 1968, diz indigenista que enfrentou a ditadura militar

Egydio Schwade:

Família Acolhedora: Cuidado para as crianças que mais precisam

Família Acolhedora: Cuidado para as crianças que mais precisam

O acolhimento, previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, não deve ultrapassar os 18 meses e tem como objetivo a reintegração familiar ou o encaminhamento para família substituta

Solidariedade: Esperança e alimento para milhões de brasileiros que não têm o que comer

Solidariedade: Esperança e alimento para milhões de brasileiros que não têm o que comer

De acordo com a Rede Penssan, 55,2% das pessoas no país vivem algum nível de insegurança alimentar

América Latina e Caribe podem cortar consumo pela metade e reduzir pobreza

América Latina e Caribe podem cortar consumo pela metade e reduzir pobreza

Algumas propostas do relatório incluem medidas já testadas em cidades como Fortaleza, no Brasil, com o sistema de transporte público