×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de janeiro de 2022

Com eficácia da Coronavac, Brasil precisa vacinar 99% do público-alvo para ter imunidade coletiva

Com eficácia da Coronavac, Brasil precisa vacinar 99% do público-alvo para ter imunidade coletivaFoto: Pixabay

Seriam necessários dez meses para que todos recebam a primeira dose do imunizante, calcula especialista da USP; menores de 18 anos, inicialmente, não receberão a vacina

Estadão Conteúdo - 14/01/2021 - 09:42:50

O Brasil precisará aplicar a Coronavac em praticamente toda a sua população apta a recebê-la (99%) para alcançar a imunidade coletiva – e deter a circulação do novo coronavírus no País. O cálculo é do microbiologista Luiz Gustavo de Almeida, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP) e do Instituto Questão de Ciência. Segundo Almeida, seriam necessários dez meses para que todos recebessem a primeira dose. Ou seja, se tudo der certo, a vacinação, considerando que são necessárias duas doses para imunização, só terá detido totalmente o vírus no 2º semestre de 2022.

A eficácia global da vacina produzida pelo Instituto Butantã e pelo laboratório chinês Sinovac é de 50,4%, como anunciado nessa terça-feira. Por isso, para alcançar a imunidade de rebanho, será necessário imunizar 160 milhões de brasileiros (dos 162 milhões que podem receber a vacina). Segundo o IBGE , o País tem 211 milhões de habitantes. No entanto, os menores de 18 anos, inicialmente, não receberão a vacina.

Especialistas consideram que a imunidade coletiva é obtida quando entre 60% e 70% da população está imunizada. O porcentual da população vacinada e o tempo para atingir a meta seriam menores com vacinas de eficácia mais alta.

Almeida calcula ainda que, no caso da vacina da Pfizer/BioNtech , cuja eficácia é de 95%, seria necessário imunizar metade do público, 81 milhões, em aproximadamente cinco meses. No caso da vacina de Oxford (produzida no País pela Fiocruz e que também deve estar disponível no Brasil), com uma eficácia de 62,1%, o porcentual teria de chegar a 80%. Seriam 129 milhões vacinados em aproximadamente oito meses.

Ele lembra também que, dependendo da disponibilidade de imunizantes e do tipo de campanha criada pelo Ministério da Saúde, os períodos de vacinação poderiam ser abreviados. “Fiz o cálculo com base na estrutura de vacinação que temos, usada na vacinação da gripe do ano passado”, explica. “Mas com certeza isso pode ser acelerado, se o governo capacitar mais técnicos de saúde e abrir postos de vacinação em estádios e escolas", defende o pesquisador. Até agora, o governo federal não confirmou o calendário para a vacinação no País.

“Uma campanha de vacinação tem dois objetivos muito claros: gerar a imunidade de rebanho e a proteção individual”, disse Flávio Guimarães, presidente da Sociedade Brasileira de Virologia. “A Coronavac não consegue cumprir muito bem o primeiro objetivo, mas o segundo objetivo se cumpre muito bem. Diante da emergência e das circunstâncias, é uma ferramenta muito importante.”

A epidemiologista Cristiana Toscano, que integra o comitê de vacinação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e a câmara técnica que assessora o Ministério da Saúde, concorda com o colega. “Neste momento, o objetivo não é evitar a transmissão viral na população. Isso vai vir depois”, explica Cristiana. “O objetivo de saúde pública agora é reduzir o número de óbitos e os casos de doença grave; tanto é assim, que estamos priorizando os grupos mais vulneráveis.”

Segundo ela, reduzir a circulação do vírus é um objetivo de saúde pública que virá mais para frente quando, inclusive, já haverá outras vacinas disponíveis. O maior desafio agora, conforme cientistas, é planejar bem a campanha de imunização (sobretudo se o Brasil dispuser de duas ou mais vacinas diferentes ao mesmo tempo). Será necessário estabelecer critérios rígidos sobre a distribuição das vacinas por grupos vulneráveis ou região do País, por exemplo.



Comentários para "Com eficácia da Coronavac, Brasil precisa vacinar 99% do público-alvo para ter imunidade coletiva":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Em 24 horas, o Brasil registrou mais 135.080 casos de Covid-19

Em 24 horas, o Brasil registrou mais 135.080 casos de Covid-19

Total de óbitos chegou a 296 no mesmo período

Nova Zelândia impõe novas restrições em meio a avanço da variante Ômicron

Nova Zelândia impõe novas restrições em meio a avanço da variante Ômicron

A chamada fase vermelha da resposta do país à pandemia inclui medidas como exigência do uso de máscaras e limites de pessoas em encontros. As restrições entram em vigor nesta segunda-feira.

Brasil tem mais de 200 mil novos casos de covid e 332 mortes nas últimas 24 horas

Brasil tem mais de 200 mil novos casos de covid e 332 mortes nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde informou que no total, segundo a pasta, são 21.848.302 pessoas recuperadas.

Brasil registra mais de 168 mil novos casos de covid e 392 mortes nas últimas 24h

Brasil registra mais de 168 mil novos casos de covid e 392 mortes nas últimas 24h

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h

Infecções pela covid disparam no Brasil; mortes também registram alta

Infecções pela covid disparam no Brasil; mortes também registram alta

Em várias partes do Brasil, gestores públicos e laboratórios privados têm dificuldades para conseguir mais exames.

Brasil registra 350 óbitos por Covid-19 em 24h ante 174 há uma semana, diz Conass

Brasil registra 350 óbitos por Covid-19 em 24h ante 174 há uma semana, diz Conass

A média móvel de novos registros nos últimos sete dias chegou a 110.047 casos.

Nicolelis: “Com a taxa de transmissão que ela tem, a ômicron vai sufocar os sistemas de saúde

Nicolelis: “Com a taxa de transmissão que ela tem, a ômicron vai sufocar os sistemas de saúde

Médico e cientista, Nicolelis coordenou o Comitê Científico do Consórcio Nordeste

Brasil atinge recorde ao superar 200 mil casos diários de Covid-19 em 24h

Brasil atinge recorde ao superar 200 mil casos diários de Covid-19 em 24h

O total de casos de covid-19 chega a 23.416.748 desde o início da pandemia, de acordo com o Conass.

Pressão da Ômicron em seguradoras dependerá de gravidade da cepa diz Fitch

Pressão da Ômicron em seguradoras dependerá de gravidade da cepa diz Fitch

Um cenário adverso, segundo a Fitch, teria um aumento do número de internações por covid no País ao mesmo tempo em que procedimentos eletivos continuariam. Essa combinação elevaria a sinistralidade do setor.

França aprova passaporte vacinal e Djokovic poderá ser barrado em Roland Garros

França aprova passaporte vacinal e Djokovic poderá ser barrado em Roland Garros

A lei foi aprovada no domingo pela Assembleia Nacional da França

Covid abalou democracia em mais da metade dos países da América Latina

Covid abalou democracia em mais da metade dos países da América Latina

A América Latina concentra um terço das mortes por covid no mundo