×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 28 de junho de 2022

Dia de Portugal: Conheça os Maiores Símbolos da Nação

Dia de Portugal: Conheça os Maiores Símbolos da NaçãoFoto: Divulgação

Por que os azulejos se tornaram símbolo nacional?

Redação Com Agência - 11/06/2022 - 09:58:00

Dia 10 de junho comemora-se o Dia de Portugal e é feriado no país. Marca a data de morte de Luiz Vaz de Camões, uma das maiores figuras da literatura lusófona, autor de Os Lusíadas. Mas não só. É também dia das comunidades portuguesas, da língua portuguesa, do cidadão nacional e das Forças Armadas.

Inspirados pela data, reunimos um pouco da história e curiosidades acerca dos principais símbolos nacionais.

Quando você pensa em Portugal, qual a primeira coisa que te vem à mente??

Pense em um símbolo de Portugal…

Bacalhau e Portugal: qual a relação?

Não tem alimento que seja mais rapidamente associado à identidade portuguesa quanto o bacalhau, que está presente em diversas receitas típicas locais. Mas de onde vem essa relação?

Desde a idade média já se consumia bastante bacalhau nesta região, grande parte dele importado do Norte da Europa. A afirmação de que o bacalhau teria se popularizado por ter sido usado nas viagens de expansão marítima, é tida como uma lenda por estudiosos. No entanto, sabe-se que o bacalhau salgado seco, por ser fácil de ser conservado, foi visto como uma solução para os dias de jejum e abstinência impostos pela religião católica. Apesar de possuir uma imensa costa, a dificuldade de abastecimento de peixe fresco às populações era uma realidade.

Inicialmente consumido apenas pelas classes mais abastadas, o bacalhau se popularizou no século XIX, a partir da criação de políticas de fomento à produção nacional do produto. Mais tarde, durante o Estado Novo, o modelo protecionista das indústrias de bacalhau levou a uma produção relevante de bacalhau que durou até a queda do regime, nos anos 1970.

Conhecido como “fiel amigo”, rico em Ómega 3 e Vitaminas A, D e B12, o bacalhau é mais nutritivo que um peixe fresco, graças aos métodos como é processada a salga. Apesar do declínio da produção portuguesa, o bacalhau continua muito presente na dieta do país. Estima-se que Portugal consome 20% do bacalhau capturado no mundo, o que representa 70 mil toneladas de bacalhau salgado por ano (uma média de sete quilogramas ‘per capita‘).

Fado de Lisboa

Nascido nos contextos populares da Lisboa do século XIX, esse estilo musical tipicamente português foi considerado patrimônio imaterial da humanidade em 2011, marcando para sempre a sua importância cultural.

A princípio, esteve associado ​​às esferas mais marginais da sociedade, cantado nas ruas e em lugares frequentados por prostitutas, marinheiros e indivíduos desordeiros. Aos poucos, foi absorvido pelo teatro revista, passando a ser cantado por famosas atrizes e por fadistas de renome, acompanhado pela guitarra portuguesa. Nas décadas de 40 e 60, o Fado teve os seus anos dourados, marcando presença na rádio, no cinema e na televisão, já através de companhias fadistas profissionais.

Ainda há quem questione a origem do Fado. O estudioso José Alberto Sardinha defende que o estilo descende diretamente do romanceiro, cuja origem remonta à Idade Média. Há quem considere que o Fado foi trazido por escravos africanos e adaptado a partir de uma dança da África Ocidental, no Brasil. Outros consideram que foi desenvolvido a partir de uma canção de lamento de marinheiros portugueses. A palavra Fado possivelmente advém do vocábulo latino “fatum”, de onde também surge a palavra inglesa “fate” (destino).

O que é certo é que esse estilo musical tornou-se bastante presente nos bairros históricos de Lisboa, especialmente no Bairro Alto e Alfama. Ganhou o mundo na voz de Amália e atualmente conta com uma nova geração de representantes, liderada pelo talento de cantores como Mariza, Camané, Ana Moura, entre outros.


Qual a origem do fado

Por que os azulejos se tornaram símbolo nacional?

O azulejo é utilizado em vários países no mundo, como Espanha, Itália, Turquia e Marrocos. Desse modo, por que Portugal é tida como a Capital Mundial do Azulejo?? A resposta é relativamente simples: porque é utilizado nas fachadas de edifícios do país há mais de 500 anos, sem interrupções, sendo extremamente numerosos.

O azulejo chegou a Portugal, por volta de 1.500, através do Rei Manuel. Ele teria se encantado com os azulejos da Espanha e decidido trazê-los para o país. A partir de então, passou a ser utilizado na decoração de muitas construções. A cor azul, que é a mais presente no país, foi inspirada na porcelana chinesa. A superfície vidrada impermeável ajudava a proteger as paredes das casas da umidade e das temperaturas baixas, a um baixo custo e alta durabilidade. E as Igrejas utilizavam-nos como forma de contar histórias de santos e fazer relatos bíblicos.

A imensa quantidade de azulejos em Portugal também se deve muito ao chamado “Ciclo dos Mestres”, quando foi feito um grande investimento na formação de artistas locais, que passaram a produzi-lo em larga escala. Por fim, durante a ditadura, o azulejo tornou-se símbolo nacional e de status econômico, sendo difundido por todo país.

Há belos exemplos de paredes azulejadas em Portugal. A estação de trem de São Bento, no Porto, possui mais de 20 mil azulejos e já foi considerada por inúmeras publicações renomadas (com o The Guardian e a Condé Nast Traveller) como uma das mais belas do mundo.


Dia de Portugal: conheça 6 símbolos dessa nação

Pastel de Nata: dos conventos para o mundo

Uma história bastante curiosa permeia a invenção do famoso Pastel de Nata, ou Pastel de Belém, como é conhecido no mundo inteiro. Esta é uma das mais populares especialidades da doçaria conventual portuguesa.

Os doces conventuais começaram a ser produzidos, como sugere o nome, em conventos, a partir do século XV. As claras de ovos eram usadas como clarificante na produção de vinho branco e também para engomar os ternos dos homens ricos e de padres. Desse modo, havia um excedente de gemas, que passaram a ser usadas na confecção desses doces, juntamente com o açúcar produzido em quantidade nas colônias.

Com a extinção, em 1834, das ordens religiosas em Portugal, os conventos femininos puderam manter-se em funcionamento até que morresse a última freira e começaram a vender os doces conventuais a particulares. Outras freiras venderam as receitas a pastelarias.

Os Pastéis de Belém foram criados no Mosteiro dos Jerónimos e, a partir de 1834, começaram a ser vendidos ao lado do mosteiro, na Pastelaria de Belém, que supostamente detém a sua receita original. A designação Pastel de Belém só pode ser usada por essa pastelaria. Fora dela o doce é conhecido como Pastel de Nata.


Dia de Portugal: Conheça os Maiores Símbolos da Nação

Sardinha, patrimônio em conserva

A sardinha é um peixe abundante na costa portuguesa e bastante apreciada pela comunidade local, especialmente durante o verão. Fica deliciosa quando preparada na brasa e está muito presente nas festas dos Santos Populares portugueses: São Pedro, São João e Santo Antônio. Muito nutritiva, tem o poder de melhorar os níveis de colesterol, reduzir a pressão alta e minimizar os riscos de acidentes cardiovasculares, podendo ser incluída no cardápio diário.

No início do século XVII houve falta de sardinhas em Portugal. Foi quando surgiu a ideia de comer o peixe com pão.

O consumo na versão em conserva começa em fins do século XIX e em poucas décadas Portugal se torna o maior exportador mundial neste setor. Estima-se que, em 1925, já existiam 400 fábricas diferentes de sardinha enlatada no país, 50 delas somente na pequena cidade de Matosinhos, no distrito do Porto. Atualmente existem apenas 15 delas, com um rigoroso controle de qualidade e alta produtividade. Exportam para todo o mundo.

A sardinha em conserva foi bastante consumida sobretudo durante a Segunda Guerra Mundial, para alimentar soldados dos dois lados do confronto. Nos anos 1950, a administração da empresa Ramirez foi informada que no antigo bunker de Hitler tinham sido encontradas três latas de sardinhas em azeite daquela marca portuguesa. Seis anos depois, o seu conteúdo estava perfeitamente comestível com o seu sabor intacto. Os produtores defendem que as conservas têm uma durabilidade elevada e há quem diga que são como o vinho do Porto: ficam melhor com o passar dos anos.

Vinho do Porto: Português ou Britânico?

No dia 10 de setembro de 1756 o Marquês de Pombal criou a mais antiga região vitícola demarcada do mundo: o Douro Vinhateiro, região de onde vêm as uvas usadas para a produção deste Néctar dos Deuses! Em 2001, a região foi classificada pela Unesco como patrimônio da humanidade.

O Vinho do Porto é doce e forte, pois a fermentação das uvas não é completa, sendo interrompida após dois ou três dias, com a adição de aguardente vínica. Possui quatro categorias principais: Branco, Ruby, Tawny e, mais recentemente, o Rosé.

Os produtores ingleses garantem que foram os mercadores britânicos que criaram o Port Wine, adicionando brandy ao vinho comum para evitar que ele azedasse. Os portugueses, por outro lado, destacam que a técnica já era usada muito antes, na época dos Descobrimentos. Independentemente da autoria, sabe-se que foram os ingleses que tornaram a bebida famosa mundialmente.


Porque o galo é símbolo de Portugal?

A maioria dos turistas que visita Portugal não volta pra casa sem adquirir o símbolo mais célebre do país: o Galo negro de crista vermelha. É vendido em muitas lojas, em variados formatos: como peça de artesanato, normalmente em barro ou metal, ou em souvenirs (ímãs de geladeira, aventais, toalhas de mesa, panos de prato…).

Tanta popularidade nos leva, inevitavelmente, à pergunta: como essa associação começou?

A fama do Galo de Barcelos surgiu a partir de uma lenda. Na época medieval, ocorreu um crime na cidade de Barcelos que ninguém conseguia desvendar. Um jovem galego que passava pela região a caminho de Santiago de Compostela, para cumprir uma promessa, foi acusado pelos moradores. Acabou condenado à forca por isso. O jovem jurava ser inocente e pediu uma audiência com o juiz. O encontro se deu na casa do juiz, durante um banquete. Lá ele reafirmou que não havia cometido crime algum, sendo ignorado. Diante do descaso, apontou para um frango assado que estava na mesa do tal banquete e disse: “É tão certo eu ser inocente, como certo é esse galo cantar quando me enforcarem.”

Ninguém levou o rapaz a sério, porém, na hora do enforcamento, o galo português se levantou e cantou! O juiz foi até à forca para tentar evitar a injustiça e chegou a tempo de ver o rapaz sobreviver por conta de um nó mal feito na corda. Solto e inocentado, o galego voltou anos depois e construiu, no local onde existia a forca, o Cruzeiro do Senhor do Galo, em louvor à Virgem Maria e a São Tiago. O monumento está localizado no atual Paço dos Condes de Barcelos, na cidade velha de Barcelos, no norte de Portugal.

Curiosamente, a popularização desse símbolo também aconteceu durante a ditadura. António Salazar, que esteve no comando do país até 1970, apostou no galo como representante do folclore de Portugal em feiras turísticas internacionais e oficializou o galo como um símbolo nacional.

Esquecemos de algo?

Rico em história e cultura, Portugal reúne muitos símbolos que não cabem numa lista. Enumeramos aqui os mais referidos, mas existem muitos outros ícones, personalidades, monumentos, saberes e sabores que não podem ser esquecidos.

Cabe ainda mencionar:

Andorinhas – a versão em cerâmica está presente na decoração de muitos lares portugueses por simbolizar o amor, a fidelidade e a chegada da primavera (época em que elas chegam ao país em busca de alimento e calor).

Cortiça – importante produto de exportação nacional usado para fabricação de rolhas e outros produtos.

Azeite – Portugal é o sexto maior produtor mundial, mas usa esse ouro líquido em quase todas as receitas típicas.

Cruz de Cristo – estampada nas caravelas das grandes navegações, também é bastante vinculada aos portugueses.

Lenço dos namorados – típicos da região do Minho e bordados por mulheres com idade para casar.

Filigrana – trabalho artesanal feito com fios muito finos de metal (ouro e prata, principalmente) presente na confecção de diversos objetos, principalmente jóias (sendo o coração de Viana o modelo mais famoso).

Entre os monumentos, atenção especial para Torre de Belém (em Lisboa) e a Ponte Luiz I (no Porto), imagens constantemente estampadas em souvenirs. Na literatura, podemos citar Camões, Fernando Pessoa, José Saramago, Florbela Espanca. No esporte, temos o craque do futebol, Cristiano Ronaldo. Na arquitetura, destacamos a importância do Siza Vieira. Na ciência, António Damásio. Na história, nomes como o de Vasca da Gama, Pedro Álvares Cabral e Dom Pedro I. Nas artes, Alexandre Farto, conhecido como Vhils.

Não é à toa que Portugal conquista os expatriados tão rapidamente, na medida em que os códigos culturais contribuem na construção de vínculos e memórias afetivas. Será que esquecemos de algo nessa lista?

Venha viver Portugal em toda a sua essência! Se deseja residir, estudar ou investir no país, fale com um de nossos consultores ! Faça parte do Atlantic Lovers!

Comentários para "Dia de Portugal: Conheça os Maiores Símbolos da Nação":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Dicionário Brasileiro-Português é lançado para turista que vai para Portugal

Dicionário Brasileiro-Português é lançado para turista que vai para Portugal

Após anos morando em Portugal escritor cria guia com mais de 2 mil palavras divergentes

Portugal angaria 32,7 milhões de euros para clima, energia e mobilidade

Portugal angaria 32,7 milhões de euros para clima, energia e mobilidade

"Nestas áreas do clima, energia e mobilidade, somos muito competitivos e capazes de atrair muito financiamento", disse a presidente da ANI, Joana Mendonça, à agência de notícias Lusa.

Procurar trabalho em Portugal poderá ficar mais fácil

Procurar trabalho em Portugal poderá ficar mais fácil

O governo português quer criar um novo visto que possibilite a entrada legal de estrangeiros que desejam vir ao país para procurar emprego

Quatro experiências dignas de realeza no Alentejo

Quatro experiências dignas de realeza no Alentejo

Destino português proporciona vivências imperdíveis aos seus visitantes

Número de brasileiros morando em Portugal é recorde, diz SEF

Número de brasileiros morando em Portugal é recorde, diz SEF

Mais brasileiros imigrando

Portugal recebe Mundial de Goalball 2022, competição será disputada entre 5 e 17 de dezembro

Portugal recebe Mundial de Goalball 2022, competição será disputada entre 5 e 17 de dezembro

Competição será disputada entre 5 e 17 de dezembro

Lei da Nacionalidade: Novo regulamento estabelece regras mais simples para a nacionalidade portuguesa

Lei da Nacionalidade: Novo regulamento estabelece regras mais simples para a nacionalidade portuguesa

Com o objetivo de facilitar o processo de busca documental, os especialistas desenvolveram um banco de dados inédito, com mais de um milhão de metadados

Na ONU, Portugal apresenta desafios e avanços na igualdade de gênero

Na ONU, Portugal apresenta desafios e avanços na igualdade de gênero

Mãe e seu bebê recém-nascido.

Portugal expressa apoio à chegada de Moçambique ao Conselho de Segurança

Portugal expressa apoio à chegada de Moçambique ao Conselho de Segurança

Moçambique e Suíça eram parte de um grupo de 62 Estados-membros que nunca tiveram assento no Conselho

Juventude percebe que recursos naturais não são infindáveis, diz Portugal

Juventude percebe que recursos naturais não são infindáveis, diz Portugal

Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, João Cravinho

Pedidos de cidadania portuguesa via sefardita aumentam após mudanças no lei

Pedidos de cidadania portuguesa via sefardita aumentam após mudanças no lei

Em março, o governo português publicou regulamento que endurece as exigências para os descendentes de sefarditas, que, a partir de 1º de setembro