×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 24 de janeiro de 2022

Enquanto famosos ostentam, pobres anônimos morrem sem ar

Enquanto famosos ostentam, pobres anônimos morrem sem arFoto: Ilustração: Blog Sala de TV

Há dois Brasis: o ‘fake’ das celebridades alienadas e o da gente comum que luta para sobreviver à pandemia

Jeff Benício - Portal Terra - 15/01/2021 - 11:17:30

Em qual Brasil você vive? O do Instagram, onde muitos artistas e subcelebridades se promovem a partir de fotos milimetricamente posadas que exibem felicidade exagerada e sensualidade vulgar, ou o da realidade alarmante, no qual um vírus mata no País mais de mil pessoas por dia — algumas delas por falta de um simples cilindro de oxigênio?

Todos têm o direito de se divertir um pouco na pandemia, mas espera-se ação solidária de quem se diz influenciador de milhões de pessoas

Todos têm o direito de se divertir um pouco na pandemia, mas espera-se ação solidária de quem se diz influenciador de milhões de pessoas

Você está no Brasil da máscara e do álcool em gel, do distanciamento social e da torcida pela vacinação, ou na terra das festas clandestinas, do desprezo pelo risco de se infectar e contaminar a outros, do negacionismo a respeito da eficácia e imprescindibilidade da imunização coletiva? Onde você se encontra?

Ok, a vida precisa seguir. Faz-se necessário abstrair, enxergar e usufruir o lado bom da existência em plena pandemia. A saúde mental exige olhar positivo acima do caos. No entanto, quem acompanha as notícias do universo artístico pode se intoxicar com a alienação desavergonhada e o excesso de futilidade. Sucumbir à frivolidade é uma tentação.

Enquanto desconhecidos morrem asfixiados em hospitais lotados de Manaus, ‘personalidades de mídia’ postam o look patrocinado do dia, o prato do restaurante badalado, selfie (com filtro de beleza artificial) no destino turístico exclusivo de ricos e famosos. Risos forçados, legendas vazias.

Nenhuma mensagem de solidariedade. Zero iniciativa de mobilização dos milhões de seguidores para oferecer alguma ajuda. Inexistente exercício básico de empatia. Falar de pandemia pra quê? Vai começar um novo ‘Big Brother’. Vamos fingir que não há uma guerra mortal lá fora, no Brasil feio e triste, sem Photoshop e desinteressante para ‘likes’.

Esse Brasil onde ninguém mereceria estar, mas onde nos encontramos e precisamos sobreviver. Cada um, e todos.

Comentários para "Enquanto famosos ostentam, pobres anônimos morrem sem ar":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Resolução da Assembleia Geral pede atuação de redes sociais contra negação ao Holocausto

Resolução da Assembleia Geral pede atuação de redes sociais contra negação ao Holocausto

Resolução da Assembleia Geral elogia nações que se envolveram ativamente na preservação dos locais que serviram como campos de extermínio nazistas

Estudantes brasileiros analisam impacto da pandemia na alimentação escolar

Estudantes brasileiros analisam impacto da pandemia na alimentação escolar

Com o fechamento das escolas, em março passado, bilhões de merendas deixaram de ser distribuídas em todo o globo

Vara da Infância e da Juventude do DF lança campanha para arrecadar material escolar

Vara da Infância e da Juventude do DF lança campanha para arrecadar material escolar

A ação é coordenada pelo programa social da VIJ-DF, Rede Solidária Anjos do Amanhã

Polícia divulga suspeito pela morte de Beatriz Mota; saiba quais os próximos passos do processo

Polícia divulga suspeito pela morte de Beatriz Mota; saiba quais os próximos passos do processo

Beatriz foi encontrada sem vida após golpes de faca no momento em que ocorria uma festa na escola onde estudava

TJDFT: Maria da Penha Vai à Escola é incluído em Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

TJDFT: Maria da Penha Vai à Escola é incluído em Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

Como parceiro institucional, o TJDFT participou, ainda, da instalação dos Núcleos Integrados de Atendimento à Mulher – NUIAMs, uma iniciativa da Polícia Civil do DF, que também consta no Plano Nacional de Enfrentamento ao Feminicídio

Funai de Bolsonaro é pior que a de 1968, diz indigenista que enfrentou a ditadura militar

Funai de Bolsonaro é pior que a de 1968, diz indigenista que enfrentou a ditadura militar

Egydio Schwade:

Família Acolhedora: Cuidado para as crianças que mais precisam

Família Acolhedora: Cuidado para as crianças que mais precisam

O acolhimento, previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, não deve ultrapassar os 18 meses e tem como objetivo a reintegração familiar ou o encaminhamento para família substituta

Solidariedade: Esperança e alimento para milhões de brasileiros que não têm o que comer

Solidariedade: Esperança e alimento para milhões de brasileiros que não têm o que comer

De acordo com a Rede Penssan, 55,2% das pessoas no país vivem algum nível de insegurança alimentar

América Latina e Caribe podem cortar consumo pela metade e reduzir pobreza

América Latina e Caribe podem cortar consumo pela metade e reduzir pobreza

Algumas propostas do relatório incluem medidas já testadas em cidades como Fortaleza, no Brasil, com o sistema de transporte público

E se você tivesse o poder de mudar o futuro? Você pode salvar uma vida

E se você tivesse o poder de mudar o futuro? Você pode salvar uma vida

Por onde você começaria?

Solidariedade e mobilizações de rua marcam o ano de 2021

Solidariedade e mobilizações de rua marcam o ano de 2021

As lutas contra a venda das estatais e a favor do serviço público também marcaram o ano de 2021