×
ContextoExato
Responsive image

Entrevista. Wasny de Roure

Entrevista. Wasny de RoureFoto: Correio Braziliense

CPI do Feminicídio desfalcada

Ana Maria Campos-correio Braziliense - 17/11/2019 - 08:34:34

À QUEIMA-ROUPA

Wasny de Roure - Ex-deputado distrital (PDT)

Depois de mais de 30 anos no PT, por que mudar de partido?

Minha desfiliação se deu face às dificuldades internas enfrentadas na última campanha. Percebi falta de engajamento de parte da militância em defender meu nome diante do pleito que enfrentamos.

Por que escolheu o PDT?

Optei pelo PDT pela sua história e identidade de democracia participativa, educação de qualidade para crianças e jovens e, ainda, o compromisso e envolvimento na luta dos trabalhadores e por seus direitos.

Houve outros convites?

Sim, do PCdoB, PSol, Rede, PDT, PSDB, PPL e PTB.

Acha que o PT erra ao manter um projeto em torno
do Lula, que está condenado e inelegível, embora livre da prisão?

O PT, com a condenação de Lula e sua prisão, não tinha outra opção senão manter total solidariedade e defesa do seu principal líder. Mas falhou ao secundarizar a pauta da sociedade em momento crucial de nossa história. Vide a demora do surgimento da candidatura de Haddad. Lula tem habilidades suficientes para entender a angústia da sociedade.

Por que o PT de Brasília perdeu tantos eleitores?

O PT-DF tem permitido o protagonismo da luta interna, esquecendo-se da rica militância e do seus experientes quadros, e se afastando da vida cotidiana da cidade e dos movimentos sociais.

O distanciamento do diálogo com as igrejas, setor produtivo e outras formas de organização tem

impedido um conhecimento mais aprofundado do povo.

Deixa a legenda com mágoa?

De forma alguma. Foi um aprendizado. Já havia ocorrido outros momentos em que o meu nome não era interesse do comando partidário, no entanto, a vida continua. Agradeço e acredito que honrei o partido e seu compromisso com os trabalhadores.

Ainda votaria em Lula?

Em toda minha vida pública, sempre fui fiel aos preceitos partidários construídos de forma democrática. Hoje no PDT tenho o compromisso de apoiar aquilo que for decidido em colegiado. Primeiro precisamos construir um projeto nacional com prioridades claras e reaglutinar a esquerda em condições de dialogar com partidos do centro onde não sejam meros coadjuvantes.

Por que o eleitor do DF se tornou tão
conservador, a ponto de
Bolsonaro reinar no DF?

Para meu espanto, o conservadorismo, hoje, não é privilégio do DF, trata-se de uma tendência global. Ao ler "1968 Eles só queriam mudar o mundo", de Regina Zappa e Ernesto Soto, percebemos a preocupação desses jornalistas em divulgar a luta daqueles jovens e por tudo que passaram em busca de um estado democrático de direito. O intuito era não permitir que outras gerações retrocedessem, no entanto, o atual momento em que vivemos mostra que há grande risco de vivermos "anos de chumbo".

Siga em frente ou vire à direita... Talvez uma guinada à esquerda...

As eleições municipais do próximo ano serão um qualifying para o futuro político do governador Ibaneis Rocha (MDB). Com antigos caciques nacionais do MDB fora do jogo político, ele se tornou um nome mais forte na legenda. Como a coluna mostrou ao longo da semana passada, Ibaneis já começou a participar de eventos em municípios administrados por seu partido, principalmente onde há potenciais candidatos à reeleição. Esteve em Petrolina e confirmou presença amanhã em Cuiabá. Ibaneis defende um projeto de poder alternativo a Lula e Bolsonaro que se fortalecerá se o MDB conseguir votação expressiva nas prefeituras. O humor do eleitorado nas urnas em 2020, mais à direita, à esquerda, ou moderado, vai indicar o rumo do MDB.


 (Ed Alves/CB/D.A Press - 2/5/18)

CPI do Feminicídio desfalcada

Sem a presidente, Telma Rufino (Pros), que deixou a Câmara com o retorno de Fernando Fernandes ao mandato, a CPI do Feminicídio começa capenga. Apenas uma mulher, a deputada Arlete Sampaio (PT), está na composição. É preciso definir quem vai para a presidência e se o Deputado Hermeto (MDB) será membro. Em meio a uma separação conflituosa da mulher que o acusa de agressão, Hermeto deseja participar das investigações.

Expectativa na PM

A semana será de expectativa para policiais e bombeiros militares com a proposta de reajuste equiparado aos de policiais civis. Várias planilhas circulam entre integrantes das forças de segurança. Mas vale o que chegar à mão do presidente Jair Bolsonaro.


 (Tv Brasilia)

Elogios

O secretário de Governo, José Humberto Pires, tem conquistado elogios até da oposição. Em entrevista ao programa CB.Poder na última segunda-feira, a deputada Arlete Sampaio (PT) comentou a eficiência do braço direito do governador Ibaneis Rocha (MDB).


Mandou bem

A brasiliense Ana Paula Nunes pode ser a primeira astronauta brasileira. Engenheira aeroespacial formada na UnB, ela faz mestrado na China e foi selecionada para integrar missão que simula ambiente lunar.

Mandou mal

A Embaixada da Rússia em Londres cometeu uma gafe ao publicar foto do ex-presidente Michel Temer no lugar do atual, Jair Bolsonaro, numa referência à Cúpula do Brics em Brasília.


A pergunta que não quer calar….

O presidente do STF, Dias Toffoli, pode ter acesso a dados de mais de seis mil contribuintes sem uma justificativa legal?


As mulheres no marketing político

Com dois painéis sobre mandatos midiáticos e mobilização, será realizado, nesta segunda-feira, o “Fórum Política por Elas”. O objetivo é debater e ampliar o entendimento e a visibilidade do mercado de profissionais de assessoria, marketing e comunicação política, além dos desafios a serem superados por mulheres que atuam nessa área. A iniciativa é organizada pela escola de marketing político Presença On-line, com o apoio do gabinete da deputada federal Perpétua Almeida, da Associação Brasileira dos Profissionais de Comunicação e Marketing Político (Abracomp) e do Correio Braziliense. O evento será realizado no plenário 1 do Anexo II da Câmara dos Deputados e as inscrições são gratuitas no endereço politicaporelas.com.br.


 (Miguel Schincariol/AFP)

“Quero agradecer de coração toda solidariedade que tenho recebido. Aqui e no mundo inteiro. Nunca imaginei essa acolhida. Até brinquei que estava mais popular no mundo do que o presidente eleito”

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

 (Ed Alves/CB/D.A Press)

“Lula sofre de amnésia seletiva. Derrotei seu pupilo Fernando Haddad em SP, mesmo com o apoio dele. Isso ele não lembra. Pausa e menopausa é a passagem do Lula pela cadeia. Quando você menos esperar, ele volta: para o presídio”

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB)

Comentários para "Entrevista. Wasny de Roure":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório