×
ContextoExato

Investigação na Câmara Legislativa do Distrito Federal

Investigação na Câmara Legislativa do Distrito FederalFoto: Carlos Honorato

Força tarefa

Carlos Honorato - 06/08/2020 - 21:16:05

A Câmara Legislativa do DF poderá ser abalada em breve com uma investigação do “grampo” de uma conversa entre dois importantes parlamentares. Pelo que se sabe até o momento, a conversa tem alto teor explosivo e poderá comprometer para sempre a vida política de vários parlamentares. A especulação até o momento é a de que os assuntos tratados nas conversas envolvem acordos e benesses para “alguns protegidos”. Vamos aguardar…

Força tarefa

O presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), quer acertar a viola com o GDF para dar mais celeridade a votação de projetos e evitar confusão nos vetos do Executivo. O líder do Governo na CLDF, Cláudio Abrantes (PDT), disse também ver “absurdos” em alguns vetos. O parlamentar vai requerer junto ao Executivo a criação de uma “força tarefa” para análise minuciosa das proposições.

Porta-voz

O senador Flavio Bolsonaro depois da entrevista ao jornal O Globo deverá funcionar como uma espécie de porta-voz do governo. O senador atacou a Lava Jato e elogiou o comportamento do PGR Augusto Aras. Atacar a Lava Jato é atirar na possível candidatura do ex-ministro Sergio Moro à Presidência da República em 2022.

Sonegação

O deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos) fez um pedido de auditoria especial na arrecadação do ISS de bancos e financeiras do DF. É que o parlamentar ficou “abismado” com investigação da CPI da Sonegação Tributária da Câmara de Vereadores de São Paulo, que revelou que diversos bancos, a exemplo o Itaú e do Santander, sonegaram algo em torno de R$ 3,8 bilhões em ISS. Delmasso lembra que existem cerca de 296 agências bancárias no DF e caso haja sonegação tributária, vai sugerir a abertura de uma CPI para investigar o assunto.

Politicamente

A Segunda Turma do STF autorizou a defesa de Lula a ter acesso os dados dos sistemas Drousys e MyWebDay, da Odebrecht, e retirou a delação do ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, do processo contra o ex-presidente. Para a presidente do PT Gleisi Hoffmann (PR) diz que o STF reconheceu que o ex-juiz Sérgio Moro atuou politicamente ao vazar a delação em 2018 às vésperas da eleição. Apesar de Moro ter negado tudo, a impressão que se tem é que o então juiz errou.

Desmatamento

Sem reconhecimento internacional, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, vem recebendo críticas de todos os lados, menos do presidente Jair Bolsonaro até o momento. Ele quer mudar as metas intermediárias do Plano Plurianual (PPA) do governo para reduzir o desmatamento ilegal no país. Só para lembrar a meta de redução do desmatamento e incêndios ilegais em 90% em todo país até 2023 está prevista no Plano Plurianual do governo.

Queimadas

O Boletim Queimadas, relatório produzido pelo Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo) mostra que a Região Sudoeste de Goiás, apenas nos dois primeiros dias de agosto, teve 16 focos de queimadas, enquanto que, nos 31 dias do mesmo mês do ano passado, foram 92 registros. O Estado de Goiás já alcança 70 dias sem chuvas e umidade relativa do ar está em queda.

Fogos

Bom para animais e humanos, a Câmara Legislativa derrubou o veto e será proibido o manuseio, a queima e a soltura de fogos ou qualquer artefato pirotécnico que produza estampidos nos limites do DF. A comercialização não está proibida para os demais tipos de fogos. Segundo o autor do projeto, Reginaldo Sardinha (Avante), a medida visa proteger a saúde humana e de animais que são afetados por esses barulhos de grande intensidade.

Favelas

O STF manteve a decisão liminar que proibiu operações policiais nas favelas do Rio de Janeiro durante a epidemia da Covid-19. A divergência ficou com ministro Alexandre de Moraes, que acredita que a falta de atuação policial sem prazo definido provocará riscos à segurança pública com consequências imprevisíveis. O ministro Luiz Fux acompanhou a divergência de Moraes.

Comentários para "Investigação na Câmara Legislativa do Distrito Federal":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório