×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

Máscaras não afetam respiração ou trazem risco à prática de exercícios

Máscaras não afetam respiração ou trazem risco à prática de exercíciosFoto: © Rovena Rosa/Agência Brasil

Pesquisa da Faculdade de Medicina da USP avaliou adultos saudáveis

Por Daniel Mello – Repórter Da Agência Brasil - São Paulo - 08/01/2022 - 17:54:44

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo aponta que o uso de máscaras não afeta a respiração ou traz riscos para pessoas saudáveis na prática de exercícios físicos. Para o estudo foram avaliados 17 homens com idade média de 30 anos e 18 mulheres com faixa etária média de 28 anos, todos saudáveis.

“A gente fez com o objetivo de investigar se o uso das máscaras durante o exercício atrapalhava o desempenho, o funcionamento do corpo em pessoas que fazem atividade física regular, mas não são atletas”, explica o professor Bruno Gualano, responsável pelo estudo. Para isso, os participantes da pesquisa correram em uma esteira com e sem máscara de proteção, com monitoramento da respiração, oxigenação do sangue e função cardíaca.

Para o trabalho, os participantes usaram uma máscara de pano com três camadas, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Os exercícios foram realizados em diversas intensidades.

Nos níveis de esforço moderado e intenso foi verificada apenas uma pequena alteração no esforço de inspiração. “Nós observamos, especificamente, com o uso da máscara um aumento na capacidade inspiratória. O indivíduo tinha que inspirar mais com a máscara do que sem ela”, explica Gualano. Fora isso, porém, o corpo se adapta ao item de proteção e não houve mudanças na resposta do corpo das pessoas. “Não alterou débito cardíaco ou saturação de oxigênio, que era uma preocupação que se tinha”, acrescenta o professor.

No esforço considerado crítico, que é a máxima carga de exercício que a pessoa consegue desenvolver, o estudo apontou que houve perda de desempenho. De acordo com Gualano, ao contrário do que acontece nas outras intensidades, o corpo não consegue compensar a dificuldade adicional que a máscara impõe à respiração. Assim, as pessoas acabam chegando ao limite mais rápido do que chegariam sem o uso da proteção facial.

Porém, nem mesmo nesse nível de esforço foram constatadas alterações significativas na oxigenação do sangue ou na função cardíaca. “Não tem nenhuma alteração fisiológica sugestiva que possa incorrer em risco à saúde do praticante”, enfatiza o professor da Faculdade de Medicina.

O nível chamado de crítico de esforço é quando, explica Gualano, a pessoa que está se exercitando é incapaz de falar durante a tarefa. Nos níveis moderado e intenso, o praticante conseguiria falar, ainda que ofegante.

Para manter a boa saúde e até por razões estéticas, os níveis moderado e intenso são, segundo o professor suficientes. “Essa intensidade é suficiente para promover todos os benefícios que a gente conhece do exercício físico”, ressalta.

Apesar dos resultados dos testes mostrarem que o uso de máscara afeta pouco fisicamente os praticantes de exercício, no questionário aplicado aos participantes foram registradas diversas queixas em relação ao item de proteção.

“No geral eles se sentiam muito mal com o uso da máscara. As pessoas reclamavam que com a máscara sentiam mais calor, desconforto, maior fadiga, resistência”, enumera o pesquisador.

Comentários para "Máscaras não afetam respiração ou trazem risco à prática de exercícios":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Entenda por que a Candida auris foi apelidada de superfungo

Entenda por que a Candida auris foi apelidada de superfungo

De 18 casos identificados no Brasil, dois resultaram em morte

Saúde mental: Quando procurar ajuda?

Saúde mental: Quando procurar ajuda?

Rede pública de saúde oferece atendimento de acordo com a demanda do usuário

Atendimentos a dependentes químicos crescem 54% em 1 ano de pandemia

Atendimentos a dependentes químicos crescem 54% em 1 ano de pandemia

Aumento do atendimento aos dependentes químicos durante a pandemia da COVID-19

Saúde mental deve ser debatida de forma permanente

Saúde mental deve ser debatida de forma permanente

Os Centros de Atenção Psicossocial (Caps) são serviços especializados de saúde mental inseridos na comunidade e funcionam sem a necessidade de encaminhamento

Anac diz que monitora cancelamento de voos por Covid-19

Anac diz que monitora cancelamento de voos por Covid-19

Em casos de uma hora de atraso ou cancelamento, a empresa deverá prestar medidas para facilitar a comunicação

Covid-19 no Brasil: Saúde reduz prazo de isolamento para assintomáticos

Covid-19 no Brasil: Saúde reduz prazo de isolamento para assintomáticos

Bolsonaro diz que não admitirá ser banido das redes

Pele oleosa: Duas dicas importantes para quem quer controlar a oleosidade

Pele oleosa: Duas dicas importantes para quem quer controlar a oleosidade

Limpeza e esfoliação devem fazer parte de qualquer skincare, independentemente do tipo de pele, contudo, as peles mais oleosas precisam de um cuidado redobrado com estes dois passos

Agorafobia atinge 150 mil brasileiros, aponta estudo

Agorafobia atinge 150 mil brasileiros, aponta estudo

Adoção de estratégias pode ajudar a vencer agorafobia

Câncer cervical pode ser primeiro tipo cancerígeno a ser eliminado, diz OMS

Câncer cervical pode ser primeiro tipo cancerígeno a ser eliminado, diz OMS

Jovem recebe primeira dose da vacina contra o HPV na Mauritânia.

Confira as regiões do DF com doses de vacina contra a gripe

Confira as regiões do DF com doses de vacina contra a gripe

Quem ainda não se vacinou contra a gripe pode procurar uma unidade na região onde ainda há doses disponíveis. A vacina contra a influenza é segura e previne contra as formas mais graves da doença |

Dia do Hemofílico no Brasil é lembrado hoje

Dia do Hemofílico no Brasil é lembrado hoje

Brasil deve investir R$ 1,8 milhão em medicamentos para hemofílicos