×
ContextoExato
Responsive image

Mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave crescem mais de 13.000% no Distrito Federal em 2020

Mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave crescem mais de 13.000% no Distrito Federal em 2020Foto: Breno Esaki/Agência Saúde

Em 2019, foram 37 óbitos; no ano passado, até 12 de dezembro, número passou para 4.979. Diagnóstico reúne sintomas graves de infecções virais; pacientes com Covid-19 entram nas estatísticas.

Por Brenda Ortiz, G1 Df - 08/01/2021 - 06:40:29

As mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) cresceram 13.702% no Distrito Federal em 2020, devido à pandemia do novo coronavírus. Em todo o ano de 2019, a Secretaria de Saúde (SES-DF) registrou 37 óbitos, enquanto, até 12 de dezembro do ano passado, o número havia subido para 5.070.

Quanto ao total de casos de SRAG, em 2019, foram registrados 1.633. Já em 2020, o número chegou a 17.715. O crescimento é de 1.084%.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a SRAG é um diagnóstico clínico que reúne sintomas graves de infecções virais – incluindo febre, dor de garganta e falta de ar. Por isso, entram nas estatísticas pacientes que morreram ou tiveram que ser hospitalizados devido a infecções por vírus, como os da gripe ou o que provoca a Covid-19.

As 5.070 mortes por SRAG ocorridas na capital até 12 de dezembro foram registradas com as seguintes causas:

  • SRAG não especificada: 986 mortes
  • SARS-CoV-2 (Coronavírus): 4.033 mortes
  • Em investigação: 21 mortes
  • Outros vírus respiratórios: 13 mortes
  • Outros agentes causadores de doenças: 11
  • Influenza: 6 mortes

Os óbitos por SRAG não especificados são aqueles em que a vítima faleceu devido a uma infecção respiratória, mas não houve diagnóstico sobre o vírus que causou o problema. Desse total, 831 deram negativo para o coronavírus. Outros 101 não tiveram material colhido para exame.

Aumentam os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Brasil

Aumentam os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave no Brasil

De acordo com o boletim, a maioria das vítimas (58,9%) que tiveram as mortes confirmadas por Covid-19, influenza ou outros vírus respiratórios era homem. Veja número de casos e óbitos por faixa etária abaixo:

Perfil de casos e óbitos de SRAG por vírus respiratórios em 2020, no DF — Foto: SES-DF/Reprodução

Perfil de casos e óbitos de SRAG por vírus respiratórios em 2020, no DF — Foto: SES-DF/Reprodução

Das 17.715 notificações de SRAG neste ano, 4.155 não tiveram o vírus especificado, o que representa 23,5% dos registros. Já entre as infecções diagnosticadas, os vírus mais frequentes são:

  • SARS-CoV-2 (Coronavírus): 12.700
  • Em investigação: 520
  • Outros vírus respiratórios: 272
  • SRAG por influenza: 41
  • Outros agentes etiológicos: 27

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Comentários para "Mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave crescem mais de 13.000% no Distrito Federal em 2020":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório