×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de setembro de 2021

Olimpíada: Aída dos Santos eterniza pés no Hall da Fama do COBFoto: Divulgação/COB

Olimpíada: Aída dos Santos eterniza pés no Hall da Fama do COB

Ela é a primeira brasileira a disputar uma final olímpica

Por Juliano Justo - Repórter Da Tv Brasil E Rádio Nacional - São Paulo - 16/07/2021 - 09:33:02

Aída dos Santos, primeira mulher brasileira a disputar uma final olímpica e 4º lugar no salto em altura, nos Jogos de 1964 (Tóquio), eternizou os pés no Hall da Fama do Comitê Olímpico do Brasil (COB) nesta quinta-feira (15).

A cerimônia ocorreu de forma restrita na sede do COB, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. “Como mulher negra, e um dos maiores exemplos do Movimento Olímpico, Aída tem uma história que merece ser reverenciada, celebrada e honrada por todas suas lutas, conquistas e glórias. A primeira mulher do Brasil a disputar uma final olímpica e o 4º lugar dela no salto em altura, em Tóquio 1964, obtendo o melhor resultado individual de uma atleta brasileira nos Jogos Olímpicos até Pequim 2008 é, sem dúvidas, motivo de orgulho para todos nós”, afirmou o presidente do COB, Paulo Wanderley Teixeira.

“Quando entrei para o atletismo nem sabia que tinham competições como Sul-Americano e Jogos Olímpicos. Esporte individual tinha que ter índice. Eu não estava com índice. Fui competir por acaso e fiz o resultado. Hoje, os atletas têm psicólogo, nutricionista. Eu viajava de avião da FAB. Melhorou o material humano, mas não os resultados”, declarou a mais nova integrante do Hall da Fama. Se Aída pudesse dar um conselho aos atletas que participarão dos Jogos seria enfática: “Já que estão em Tóquio, é porque mereceram. Sejam perseverantes e pensem que são tão bons quantos os outros. Briguem pela medalha de ouro”.

Aída dos Santos estava em companhia da filha Valeskinha, campeã olímpica de vôlei nos Jogos de 2008 (Pequim), quando recebeu a homenagem. “Aída é uma referência. Hoje nós temos quatro atletas do atletismo no Hall da Fama e ela é a primeira mulher. Tem um simbolismo muito grande. Em 2012, a Confederação Brasileira de Atletismo instituiu uma medalha com o nome da Aída dos Santos. Nossas atletas medalhistas em mundiais e edições de Jogos Olímpicos recebem a medalha Aída dos Santos. Isso mostra a dimensão dela e sua referência para as mulheres. Ela era uma estrela solitária, e hoje ilumina com seu brilho todo o atletismo nacional”, concluiu o presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, Wlamir Leandro Motta Campos.



Comentários para "Olimpíada: Aída dos Santos eterniza pés no Hall da Fama do COB":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório