×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 08 de dezembro de 2021

Relatora diz que pessoas com albinismo no Brasil vivem “perdidas nas entrelinhas”

Relatora diz que pessoas com albinismo no Brasil vivem “perdidas nas entrelinhas”Foto: Reprodução

Ikponwosa Ero terminou esta sexta-feira uma visita de 12 dias ao país, a convite do governo brasileiro.

Onu News - 10/11/2019 - 09:53:03

Embora não existam dados completos, a prevalência do albinismo é maior entre populações indígenas e afrodescendentes.

Ikponwosa Ero terminou esta semana uma visita de 12 dias ao país, a convite do governo brasileiro; especialista recebeu compromissos de autoridades de que projeto de lei de 2012 sobre pessoas com albinismo, deve avançar.


ONU News/Reprodução

O governo brasileiro deve implementar medidas específicas para responder às necessidades das pessoas com albinismo, afirmou a relatora independente* das Nações Unidas para os direitos humanos sobre o tema.

Ikponwosa Ero terminou esta sexta-feira uma visita de 12 dias ao país, a convite do governo brasileiro. Ela visitou Brasília, Maceió, Salvador e São Paulo.

Ikponwosa Ero terminou esta sexta-feira uma visita de 12 dias ao país, a convite do governo brasileiro. Foto: OHCHR/Christine Wambaa

Políticas

Ero contou que “a invisibilidade do albinismo na implementação de políticas públicas faz com que a situação de saúde e exclusão seja igual a muitos países africanos e tropicais em desenvolvimento.”

Ela destacou outros fatores que dificultam a vida dessas pessoas, como preconceito generalizado, estigma, condições socioeconômicas e até fatores ambientais, como a exposição a altos níveis de raios ultravioletas.

Riscos

Embora não existam dados completos, a prevalência do albinismo é maior entre populações indígenas e afrodescendentes, incluindo comunidades quilombolas. Em certos quilombos, a prevalência pode chegar a proporções tão altas quanto seis casos em cada mil.

A relatora disse que estes brasileiros “estão presos nas entrelinhas, batalhando por visibilidade para desfrutar do direito à vida.” Ela destacou o acesso básico à saúde e deu o exemplo do protetor solar, um recurso importante para prevenir câncer de pele. As pessoas com albinismo são mil vezes mais suscetíveis a esta doença.

Segundo a especialista, a expectativa de vida para este grupo pode chegar a 33 anos, em função do câncer de pele, uma condição que pode ser facilmente prevenida.

A relatora afirmou que, apesar das dificuldades, o Projeto de Lei 7762/2014, que está no Congresso desde 2012, “pode finalmente avançar.” Ela disse que “sua implementação tem o potencial de salvar milhares de vidas.”

Exclusão

A especialista destacou ainda a vulnerabilidade e marginalização desta população. Segundo ela, “a maioria é pobre, discriminada”, visível, mas ao mesmo tempo invisível.

Ela contou que suas vidas “têm sido uma luta perdida por décadas.”

Ainda assim, a relatora afirmou que “contando com as promessas recebidas de representantes governamentais estaduais e federais” durante sua visita, ela está “otimista de que mudanças positivas estão por vir.”

Emprego

Outra conclusão da visita foi que apenas 10% desta população está formalmente empregada. A situação para moradores de zonas rurais e quilombos é pior. Essas dificuldades fazem com que a maioria dependa de benefícios de assistência social.

Ela elogiou o governo brasileiro pelas políticas abrangentes de assistência social, dizendo que “salvam muitas pessoas com albinismo da miséria absoluta”, mas afirmou que é preciso fazer mais.

Segundo a relatora, é preciso “garantir que crianças com albinismo sobrevivam a um ambiente difícil, concluam seus estudos, encontrem empregos e assumem um lugar na sociedade como qualquer outra pessoa.”


*Os relatores de direitos humanos têm mandato independente das Nações Unidas e não recebem salário pelo seu trabalho.

Comentários para "Relatora diz que pessoas com albinismo no Brasil vivem “perdidas nas entrelinhas”":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
UnB aprova título de Doutor Honoris Causa para o líder indígena Aílton Krenak

UnB aprova título de Doutor Honoris Causa para o líder indígena Aílton Krenak

Líder indígena e ambientalista Aílton Krenak receberá o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Brasília (UnB)

MST comercializa cesta de natal com produtos da reforma agrária

MST comercializa cesta de natal com produtos da reforma agrária

O período de entrega ou retirada das cestas será entre os dias 14 e 23 de dezembro.

Começa a 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Começa a 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro

Festival de Brasília do Cinema Brasileira será totalmente online e vai de 7 a 14 de dezembro; filmes poderão ser vistos de forma gratuita pela internet.

De olho na natureza, crianças participam do Natal no Cerrado

De olho na natureza, crianças participam do Natal no Cerrado

A ação contou com exposição de fotos, plantação de sementes e contação de história

Rede pública de ensino do DF amplia oferta de idiomas

Rede pública de ensino do DF amplia oferta de idiomas

Sofia de Souza, de 15 anos, pretende cursar alemão no Cemi Gama e conhecer a Alemanha

Grafite muda a paisagem da avenida W3 Sul

Grafite muda a paisagem da avenida W3 Sul

Douglas Retok conta que muitas vezes percorreu a W3 Sul em busca de um muro que servisse de suporte para sua arte

Artesãos brasilienses participam de feira em Belo Horizonte

Artesãos brasilienses participam de feira em Belo Horizonte

A artesã Tânia Rodrigues com a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça

Trânsito é liberado aos domingos e feriados na W3 Sul

Trânsito é liberado aos domingos e feriados na W3 Sul

A avenida volta a ter circulação de veículos

Museu da República no Distrito Federal exibe três mostras simultaneamente

Museu da República no Distrito Federal exibe três mostras simultaneamente

Cecília Lima, Raíssa Studart e Cléber Cardoso Xavier apresentam trabalhos produzidos durante residência artística em Olhos D’Água

Jardim Zoológico de Brasília recebe ursa ameaçada de extinção

Jardim Zoológico de Brasília recebe ursa ameaçada de extinção

Liz veio da Bahia especialmente para encontrar Ney. Expectativa é que o casal contribua para a preservação da espécie, ameaçada de extinção.

Natal no Cerrado une espírito festivo e meio ambiente

Natal no Cerrado une espírito festivo e meio ambiente

Ação de conscientização ambiental acontece, simultaneamente, nos parques ecológicos Sucupira e Riacho Fundo