×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de agosto de 2022

Saúde animal: Quimioterapia permite ao pet uma vida normal

Saúde animal: Quimioterapia permite ao pet uma vida normal

Foto: Ilustração Pixabay divulgação

Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, maior é a taxa de sucesso do tratamento

Redação Com Informações De Fabiana Cardoso - 05/07/2022 - 18:35:16

Receber o diagnóstico de que o pet está com câncer é bastante doloroso. Afinal, eles são membros da família e ainda existe muito estigma em relação à doença e ao tratamento. Nesta hora, é preciso manter a calma e confiar no seu médico-veterinário. “A oncologia veterinária evoluiu muito nos últimos 20 anos, tanto em termos de diagnóstico como de tratamento, impactando diretamente na sobrevida e qualidade de vida dos animais. É possível, sim, conseguir um bom controle da doença e, porque não a cura, em muitos pacientes”, atesta Juliana Vieira Cirillo, médica-veterinária com especialização em oncologia do Veros Hospital Veterinário.

Neoplasia

Quando uma célula normal do nosso corpo sofre mutações e perde o controle do processo de divisão celular, temos uma proliferação rápida e desordenada, caracterizando uma neoplasia. Quando esta neoplasia adquire a capacidade de invasão e disseminação para outros órgãos e tecidos, temos uma neoplasia maligna, ou seja, o câncer.

A droga quimioterápica é um agente citotóxico: ela é capaz de danificar o DNA da célula tumoral, impedindo que esta se multiplique. Mas agentes quimioterápicos não diferenciam células neoplásicas das saudáveis, e afetam qualquer célula que apresente alta taxa de proliferação, como por exemplo as células da medula-óssea, do trato gastrointestinal e do folículo piloso, resultando nos principais efeitos adversos da quimioterapia.

Essas drogas apresentam o mesmo mecanismo de ação tanto em pacientes veterinários como nos humanos. Mas a grande diferença está na dose utilizada, que é bem inferior nos pets, e por isso os tão temidos efeitos colaterais do tratamento acabam sendo muito mais brandos se comparados àqueles descritos em humanos.

Primeiros sinais

A manifestação mais visível da neoplasia são os tumores, ou seja, um aumento de volume formado por células que cresceram de forma desordenada. Ao primeiro sinal da presença de nódulos ou massas no corpo do pet, o tutor deve levá-lo imediatamente ao médico-veterinário. Porém, há casos em que o tumor ocorre em áreas mais difíceis de detectar, como a cavidade abdominal, torácica ou mesmo nos linfonodos (gânglios), e o tutor só vai perceber quando o animal manifestar algum sintoma específico, mudanças no comportamento ou então quadro de apatia, perda de apetite e de peso, a depender da localização da neoplasia.

“Quando isso acontece, a doença pode estar em um estágio mais avançado. Por isso, é altamente recomendado manter check-ups periódicos”. De acordo com a médica-veterinária, recomenda-se começar uma rotina de consultas a cada seis meses a partir dos 7 ou 8 anos de idade do animal. Em algumas raças, como o Golden Retriever, a recomendação é começar mais cedo, entre 3 ou 4 anos, já que estão sujeitas a apresentar neoplasia em uma fase mais precoce da vida.

No caso das neoplasias cutâneas, como, por exemplo, o carcinoma espinocelular, as manifestações clínicas são mais visíveis e normalmente aparecem em partes do corpo desprovidas de pelos, como abdômen, têmporas e plano nasal. Esta neoplasia está relacionada à exposição crônica ao sol, e inicialmente a pele pode ficar mais avermelhada e inflamada. A lesão pode evoluir para descamação cutânea e posteriormente para o carcinoma caso a região permaneça exposta à radiação ultravioleta.

Tratamento

“A radiografia torácica, por exemplo, pode revelar a presença de metástase pulmonar desde que a lesão tenha pelo menos 0,5 cm. Nódulos menores normalmente não são visualizados por meio deste exame, sendo necessários exames mais específicos, como uma tomografia torácica”, explica Juliana.

O ideal é que as sessões de quimioterapia sejam feitas em uma clínica ou hospital com infraestrutura adequada para a manipulação da droga pelo médico-veterinário. Embora existam drogas administradas por via oral, a maioria das quimioterapias são administradas por via intravenosa.

A sessão de quimioterapia em animais leva cerca de 30 a 60 minutos, dependendo da droga utilizada - bem diferente da aplicação em pacientes humanos, que às vezes pode levar de 4 a 6 horas. O pet não precisa ser sedado nem ficar internado, e salvo se o protocolo da clínica ou hospital veterinário não permitir, o tutor pode acompanhá-lo durante todo o processo.

A duração do tratamento vai depender do tipo de câncer e da agressividade do tumor. Para o linfoma multicêntrico de grandes células em cães, por exemplo, o protocolo de quimioterapia pode durar seis meses, com aplicações inicialmente semanais e posteriormente quinzenais. Já no caso da quimioterapia adjuvante (aquela realizada após o tratamento cirúrgico) para neoplasias sólidas, como uma neoplasia mamária, o intervalo entre as aplicações é de 21 dias, num total de quatro a seis sessões.

Efeitos colaterais

A boa notícia é que justamente por trabalhar com dosagem menor, os efeitos colaterais nos pets são menos frequentes e mais brandos. “Nos humanos, a incidência desses efeitos chega a quase 80%, enquanto nos pacientes veterinários varia de 10% a 40%”, esclarece Juliana. Ainda assim, o médico-veterinário pode adotar tratamentos preventivos, como a prescrição de medicação antiemética para evitar ou diminuir a incidência de náusea e vômitos, que estão entre os efeitos mais comuns.

Uma vez terminado o tratamento quimioterápico, inicia-se a fase dos acompanhamentos periódicos, pois pacientes oncológicos podem eventualmente apresentar quadro de metástase tardia ou recidiva (retorno) do próprio tumor. Juliana recomenda que no primeiro ano, dependendo do tipo de tumor, os check-ups sejam realizados a cada dois ou três meses, passando para cada quatro a seis meses no ano seguinte. “Após o término do tratamento devemos monitorar o paciente por meio de exames por um período mínimo de dois anos. Mas mesmo não havendo sinais de progressão da doença, eu prefiro continuar acompanhando pacientes oncológicos após este período, pelo menos a cada seis meses”.

Dá para evitar?

A neoplasia maligna é causada por múltiplos fatores, muitos deles ainda desconhecidos. O mais importante é que quanto mais cedo for diagnosticada e tratada, maior será a taxa de sucesso no controle da doença. Daí a importância de manter os exames periódicos em dia.

Mas isso não quer dizer que o tutor não possa tomar alguns cuidados para minimizar fatores de risco. Um muito relevante – e, segundo Juliana, pouco comentado – é a obesidade, um importante fator de risco no desenvolvimento do câncer tanto em pessoas como em animais, e que pode ser combatido com uma dieta balanceada, passeios, exercícios e brincadeiras para evitar o sedentarismo. No caso das neoplasias mamárias, a castração precoce de cadelas e gatas pode prevenir o desenvolvimento deste tumor, mas cada caso deve ser avaliado junto com o médico-veterinário a fim de definir a melhor conduta. Curiosamente, para os machos a castração não exerce efeito preventivo contra o desenvolvimento do câncer de próstata.

Qualquer que seja o caso, não hesite em procurar o médico-veterinário ao primeiro sinal de que seu pet possa estar sofrendo desse mal. Ele é o profissional mais indicado para fazer uma investigação criteriosa, chegar a um diagnóstico e indicar o tratamento adequado.

Sobre a fonte: Juliana Vieira Cirillo é médica-veterinária com especialização em oncologia do Veros Hospital Veterinário. Graduada pela Universidade Paulista em 2005, realizou aprimoramento em Oncologia Clínica e Cirúrgica pela École Nationale Vétérinaire d'Alfort, na França, em 2007. Tornou-se Mestre pelo Laboratório de Oncologia Experimental e Comparada do setor de Patologia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP em 2014, é coordenadora da supraespecialidade de Nutrição Oncológica pela Associação Brasileira de Oncologia Veterinária, consultora de produtos nutracêuticos para multinacionais e diplomada em Oncologia pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (2017). Tem grande experiência em Oncologia Clínica e Cirúrgica de pequenos animais.

Sobre o Veros: O Veros Hospital Veterinário é o maior complexo hospitalar de saúde animal do país. Com um investimento de R$ 50 milhões, a unidade tem capacidade de realizar cerca de 2 mil consultas e 700 cirurgias por mês, além de manter pacientes graves sob ventilação mecânica. O centro de diagnóstico por imagem é o mais completo do país, com as últimas versões de equipamentos de RX, eco e ultrassonografia, ressonância magnética de 1,5 Tesla, aparelho de tomografia de 16 canais e arco cirúrgico.


Serviços:

Endereço: Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4643, Jardim Paulista – São Paulo, SP.

Contato: contato@veros.vet

Horário de Atendimento: 24h

Marcação de consultas e exames:

Comentários para "Saúde animal: Quimioterapia permite ao pet uma vida normal":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Últimas Notícias
Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Toffoli chama de 'suicidas' empresários que teriam defendido golpe no WhatsApp

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Desigualdade emperrou chegada da vacina contra a Covid-19 em regiões mais pobres do Brasil

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

Número de candidaturas no DF é menor que em 2018

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

“Trabalho para o ACNUR porque acredito no que estou dizendo”

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

Vale prevê mais 13 anos para eliminar barragens como Brumadinho

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

STF veta lei mais branda a condenados, mas admite em processos não julgados

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Canadian planeja fábrica de US$ 9 bilhões na China para fabricação de polissilício

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Cochilos diurnos frequentes aumentariam risco de hipertensão e AVC

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Atenção! A Varíola do Macaco é completamente diferente da Covid-19

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Campanha Agosto Lilás e os 16 anos da Lei Maria da Penha

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Vocês não estão sós: Vitória brasileira no Festival de Locarno tem recado para artistas do país

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Debate insosso: Correio Braziliense e TV Brasília se esforçaram, mas o elenco não ajudou

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

Justiça Federal cancela liminar e maior porta-aviões do Brasil não poderá voltar ao país

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

RD Congo: Uso de fake news está causando mortes, diz comandante da Missão

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Internacionalização do PCC: Como enfrentar o avanço do 'profissionalismo de gestão' da facção?

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Datafolha: Lula tem 51% dos votos válidos contra 35% de Bolsonaro

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

Adeus aos sacoleiros: O Brasil virou o Paraguai dos paraguaios?

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

“Vandalismo”: Senado aprova projeto que altera área da Floresta Nacional de Brasília

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Para evitar rejeição, candidatos omitem partido na propaganda

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Recenseadores do IBGE denunciam ameaças e violência em entrevistas do Censo 2022

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro

Vereador Gabriel Monteiro é cassado pela Câmara do Rio por quebra de decoro