×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022

TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Brasil não tolera 'aventuras autoritárias'

Estadão Conteúdo - 17/05/2022 - 17:14:35

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, anunciou nesta terça-feira, 17, que a Corte não desistiu de contar com representantes europeus na observação das eleições 2022, tendo a expectativa de trazer ao País mais de 100 autoridades internacionais para atuarem como observadores durante o período de campanha em outubro. Para atingir sucesso na empreitada, o TSE firmou parceria com o Instituto Internacional para Democracia e Assistência Eleitoral (Idea Internacional), que coordena a criação de uma rede de observações formada, especialmente, por representantes europeus.

A estratégia de criar uma rede de observadores internacionais surge após o recuo do TSE no convite às autoridades da União Europeia para atuarem em missão de observação antes, durante e depois das eleições. Como mostrou o Estadão, fontes na diplomacia europeia disseram que o convite para uma missão exploratória foi retirado por causa de "reservas expressas pelo governo brasileiro".

O Ministério das Relações Exteriores realizou contraofensiva imediata à movimentação do tribunal e disse que o eventual convite à comunidade europeia destoa do modo de funcionamento convencional das missões de observação. A pasta não recebeu com satisfação o movimento da Justiça Eleitoral de trazer observadores, segundo uma fonte do TSE. Em nota, o Itamaraty disse "não ser da tradição do Brasil ser avaliado por organização internacional da qual não faz parte".

Durante evento no TSE, nesta terça-feira, 17, sobre democracia e eleições na América Latina, Fachin disse que, neste ano, "o Brasil olha para o mundo e o mundo democrático olha para o Brasil". Segundo o ministro-presidente, os acontecimentos do País "influenciam o cenário global", assim como os eventos internacionais impactam o Brasil. O magistrado citou a "estapafúrdia invasão do Capitólio (nos Estados Unidos, em janeiro de 2021), os ataques ao Instituto Eleitoral do México e as ameaças de morte sofridas por autoridades eleitorais do Peru, como exemplos de fatos que se refletem no País.

Como mostrou o Estadão, o TSE preparou uma ofensiva internacional para trazer delegações estrangeiras ao País em outubro, numa tentativa de chancelar os resultados das urnas eletrônicas. A Justiça Eleitoral pretende trazer ao território nacional observadores consolidados como a Organização dos Estados Americanos (OEA) e o Carter Center, organização fundada pelo ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter na área dos direitos humanos, dentre outros.

Brasil não tolera 'aventuras autoritárias'

Ainda durante o evento no TSE, nesta terça-feira, 17, Fachin voltou a responder aos ataques que partem do Poder Executivo e afirmou que o "Brasil não mais aquece aventuras autoritárias". As declarações foram feitas um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro (PL) ligar o momento atual do País aos eventos ocorridos durante a ditadura militar e citar a possibilidade de eleições "conturbadas" neste ano.

"O mundo observa com atenção o processo eleitoral brasileiro. Somos hoje uma vitrine para os analistas internacionais e cabe à sociedade brasileira garantir que levemos aos nossos vizinhos uma mensagem de estabilidade, paz, segurança e de que o Brasil não mais aquece aventuras autoritárias", disse o presidente do TSE.

Fachin ainda citou as recentes "conturbações ocasionadas pela contagem manual de votos impressos" e as disputas em torno do resultado das eleições presidenciais no Equador e no Peru como casos que ligam todos os países latino-americanos. "É um alerta para a possibilidade de regressão a que estamos sujeitos e que pode infiltrar-se em nosso ambiente nacional, o que, a rigor, infelizmente já ocorreu", disse o presidente da corte eleitoral.


fonte: Estadão Conteudo


Comentários para "TSE criará rede com 100 observadores internacionais nas eleições 2022":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
“Estado brasileiro foi sequestrado e Funai virou instrumento de ataque aos povos indígenas”, diz Erika Kokay

“Estado brasileiro foi sequestrado e Funai virou instrumento de ataque aos povos indígenas”, diz Erika Kokay

Segundo a parlamentar, o governo Bolsonaro tem ""compromisso com as boiadas" .e "está corroendo o estado". "A Funai hoje é uma instituição anti-indigenista.”, frisou

Caso Pedro Guimarães pode apressar a adoção de novas regras nos bancos

Caso Pedro Guimarães pode apressar a adoção de novas regras nos bancos

As mudanças em estudo incluem a exigência de que toda denúncia de assédio sexual seja protocolada com o superior hierárquico do assediador

Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Um interesse claro reside na suavização do discurso norte-americano em relação à Venezuela: o petróleo.

STF se manterá vigilante em prol das eleições, diz presidente da Corte

STF se manterá vigilante em prol das eleições, diz presidente da Corte

Tribunal entra em recesso e retoma julgamentos normais em agosto

Fernández diz que, durante Cúpula das Américas, Bolsonaro pediu sua ajuda para libertar Jeanine Añez

Fernández diz que, durante Cúpula das Américas, Bolsonaro pediu sua ajuda para libertar Jeanine Añez

Jeanine Añez foi sentenciada a dez anos de prisão no dia 10 deste mês por golpe de Estado efetuado na Bolívia em 2019.

Com muita corrupção e sem Deus no coração, Bolsonaro precisa pagar pelos crimes que comete

Com muita corrupção e sem Deus no coração, Bolsonaro precisa pagar pelos crimes que comete

É chegada a hora de Bolsonaro pagar por todos os crimes que comete contra o povo brasileiro

Nova fase da Operação 'Luz da Infância' prende 66 pessoas em flagrante

Nova fase da Operação 'Luz da Infância' prende 66 pessoas em flagrante

Houve prisões nos estados de Alagoas (1), Bahia (1), Espírito Santo (2), Maranhão (1), Pará (3), Paraíba (1), Paraná (2), Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (14).

Frente Parlamentar de Educação pede que TCU investigue supostos desvios no FNDE

Frente Parlamentar de Educação pede que TCU investigue supostos desvios no FNDE

Os parlamentares pedem também a abertura de procedimentos disciplinares caso se comprove o rombo nas contas do órgão

STF deixa 'Revisão da Vida Toda' próxima de ser aprovada

STF deixa 'Revisão da Vida Toda' próxima de ser aprovada

Em efeitos práticos, os ministros ainda precisam decidir, numa sessão administrativa, o que fazer com os julgamentos destacados depois de todos os votos proferidos no plenário virtual

Fuga de unicórnios? Sem arco-íris em tempos nebulosos de crise, startups repensam atuação no Brasil

Fuga de unicórnios? Sem arco-íris em tempos nebulosos de crise, startups repensam atuação no Brasil

Se em 2021 o Brasil recepcionou diversas companhias de tecnologiaoriundas da Colômbia, Peru e México, neste ano o cenário mudou.

Barroso prorroga suspensão de ordens de despejo para depois das eleições

Barroso prorroga suspensão de ordens de despejo para depois das eleições

Segundo o ministro, na retomada do cumprimento das ordens judiciais será preciso assegurar que as desocupações coletivas 'sejam realizadas com o pleno respeito à dignidade das famílias desapossadas'.