×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?

Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?Foto: Pedro França/Agência Senado

“Estou afirmando que nós teremos mais. É importante que o Parlamento acompanhe essa situação”, disse Marubo

Redação Rede Brasil Atual - Portal Brasil De Fato - 23/06/2022 - 06:50:32

Diretoria da Univaja está “marcada” para morrer, alerta ativista em audiêncie: “Isso não é vida”

“Que país é esse que nós estamos vivendo, excelências? Quantos mais Brunos e quantos mais Doms têm que morrer? É público e notório que a diretoria da Univaja toda está marcada com a mesma marca que Bruno e o Dom. Temos que andar com segurança, temos que andar com carro blindado. Isso não é vida, nós não estamos em um país em guerra.” O desabafo é do procurador jurídico da União dos Povos Indígenas do Vale do Javari ( Univaja ), Eliesio Marubo, em depoimento na audiência pública conjunta das comissões de Direitos Humanos (CDH) e Temporária sobre a Criminalidade na Região Norte do Senado, nesta quarta-feira (22). O tema central da reunião – convocada por iniciativa do senador Humberto Costa (PT-PE), presidente do colegiado – foi a violência na Amazônia.

Redação Rede Brasil Atual

Marubo pediu à Polícia Federal que faça uma investigação mais ampla sobre os assassinatos do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo. Ele afirmou que, além de a diretoria da Univaja estar “marcada” e ameaçada de morte, a tensão e a violência se intensificaram a partir de 2019. Não por acaso, foi o primeiro ano do atual governo de Jair Bolsonaro.

“O que o MP fez com as denúncias?”

Segundo Marubo, a atuação da Univaja é pautada pelo interesse das comunidades da região, já que o Estado vem atuando de forma omissa. “Gostaria muito de ouvir o que a Funai tem a dizer. O que o Ministério Público fez com tantas denúncias que temos feito?”, questionou.

O dirigente se mostrou pessimista. “Certamente teremos mais casos na região”, alertou. “Trouxemos nossas preocupações que não foram ouvidas e o resultado foi esse: essa catástrofe que nós tivemos no Javari e certamente teremos mais. Eu estou afirmando que nós teremos mais. É importante que essa Casa atue! É importante que o Parlamento acompanhe essa situação”, pediu.

É unânime a denúncia pelos representantes de entidades indigenistas de que os assassinatos de Bruno e Dom não foram fatos isolados, mas fazem parte de um cenário de criminalidade na região amazônica, em especial no Vale do Javari, que não para de crescer. Segundo o presidente do Indigenistas Associados (INA), Fernando Vianna, há um quadro de invasão de pessoas “que ingressam nas terras para atividades ilegais”.

“Junto com os crimes ambientais mais costumeiros, como pesca e caça ilícitas, há articulações com forças do crime muito mais complexas, com conexões com o narcotráfico internacional e o comércio de armas”, disse Vianna. Ele afirmou ainda que a atual diretoria da Funai não está comprometida com direitos indígenas, mas com grupos econômicos interessados na posse de terras e nos recursos naturais.

Premonição

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), entre as denúncias feitas pela Univaja há um ofício de abril em que já há informações sobre pesca ilegal naquela região da Amazônia com a participação de um homem conhecido como Pelado, que foi agora apontado como um dos assassinos de Bruno e Dom.

“Esse ofício é quase uma premonição. Dá informações sobre quem faz a atividade ilegal, onde mora, como atua e que está armado. Não demorou 60 dias, mataram Bruno e Dom”, disse o senador. “Deixaram ocorrer esses homicídio, no mínimo, com a prevaricação criminosa do Estado brasileiro”, acrescentou

Comentários para "Univaja em audiência no Senado: ‘Quantos Brunos e quantos Doms têm que morrer?":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Embora tímida, reaproximação do Brasil com a Venezuela é 'muito positiva', aponta cientista político

Um interesse claro reside na suavização do discurso norte-americano em relação à Venezuela: o petróleo.

STF se manterá vigilante em prol das eleições, diz presidente da Corte

STF se manterá vigilante em prol das eleições, diz presidente da Corte

Tribunal entra em recesso e retoma julgamentos normais em agosto

Fernández diz que, durante Cúpula das Américas, Bolsonaro pediu sua ajuda para libertar Jeanine Añez

Fernández diz que, durante Cúpula das Américas, Bolsonaro pediu sua ajuda para libertar Jeanine Añez

Jeanine Añez foi sentenciada a dez anos de prisão no dia 10 deste mês por golpe de Estado efetuado na Bolívia em 2019.

Com muita corrupção e sem Deus no coração, Bolsonaro precisa pagar pelos crimes que comete

Com muita corrupção e sem Deus no coração, Bolsonaro precisa pagar pelos crimes que comete

É chegada a hora de Bolsonaro pagar por todos os crimes que comete contra o povo brasileiro

Nova fase da Operação 'Luz da Infância' prende 66 pessoas em flagrante

Nova fase da Operação 'Luz da Infância' prende 66 pessoas em flagrante

Houve prisões nos estados de Alagoas (1), Bahia (1), Espírito Santo (2), Maranhão (1), Pará (3), Paraíba (1), Paraná (2), Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (14).

Frente Parlamentar de Educação pede que TCU investigue supostos desvios no FNDE

Frente Parlamentar de Educação pede que TCU investigue supostos desvios no FNDE

Os parlamentares pedem também a abertura de procedimentos disciplinares caso se comprove o rombo nas contas do órgão

STF deixa 'Revisão da Vida Toda' próxima de ser aprovada

STF deixa 'Revisão da Vida Toda' próxima de ser aprovada

Em efeitos práticos, os ministros ainda precisam decidir, numa sessão administrativa, o que fazer com os julgamentos destacados depois de todos os votos proferidos no plenário virtual

Fuga de unicórnios? Sem arco-íris em tempos nebulosos de crise, startups repensam atuação no Brasil

Fuga de unicórnios? Sem arco-íris em tempos nebulosos de crise, startups repensam atuação no Brasil

Se em 2021 o Brasil recepcionou diversas companhias de tecnologiaoriundas da Colômbia, Peru e México, neste ano o cenário mudou.

Barroso prorroga suspensão de ordens de despejo para depois das eleições

Barroso prorroga suspensão de ordens de despejo para depois das eleições

Segundo o ministro, na retomada do cumprimento das ordens judiciais será preciso assegurar que as desocupações coletivas 'sejam realizadas com o pleno respeito à dignidade das famílias desapossadas'.

Roraima aprova lei de três artigos que proíbe destruição de maquinário do garimpo ilegal

Roraima aprova lei de três artigos que proíbe destruição de maquinário do garimpo ilegal

Autor do projeto defende "direito de propriedade" de mineradores; MPF diz que texto é "claramente inconstitucional"

Supremo Tribunal Federal pede a deputados

Supremo Tribunal Federal pede a deputados "atenção" ao votar veto sobre plenário virtual

Derrubada pode levar a colapso no funcionamento do tribunal, diz Fux