×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 18 de janeiro de 2022

“A luta não é minha. Ela é histórica”, diz Padre Júlio Lancellotti

“A luta não é minha. Ela é histórica”, diz Padre Júlio LancellottiFoto: Rafael Stedile - Portal Brasil De Fato

“A luta não é minha. Ela é histórica”, diz Padre Júlio Lancellotti ao Programa Bem Viver

Bem Viver - Portal Brasil De Fato - 26/12/2021 - 12:17:44

Considerado profeta da luta social, o religioso dedica a vida aos moradores de rua e afirma manter viva a esperança

O neoliberalismo não é só um sistema econômico e político. Nós pensamos de maneira neoliberal

Padre Júlio Lancellotti, profeta da luta social, que dedica a vida aos direitos dos moradores de rua, mantém viva a esperança, nutrindo-a em um amplo contexto histórico e na relação afetiva e amorosa com as pessoas ao seu redor. “Temos que continuar lutando, não podemos perder o horizonte da luta”, disse em entrevista a edição de hoje (24) do Programa Bem Viver.

“Temos que continuar lutando, não podemos perder o horizonte da luta”, diz padre Julio - Foto: Rafael Stedile

“Nossa luta é histórica. Ela não é minha. A luta se faz na História. É a luta de Zumbi dos Palmares, de Antônio Conselheiro, da irmã Dorothy Stang e de Santo Dias. É uma luta que vai sendo construída”, afirmou durante a conversa, na qual falou sobre espiritualidade e solidariedade.

Há anos, Padre Julio se dedica a luta por direitos da população de rua, em especial na cidade de São Paulo. Entre seus trabalhos, ele arrecada e distribui alimentos a pessoas desempregadas todas as manhãs. A demanda aumentou consideravelmente nos últimos anos, após as crises sanitária, social e econômica enfrentadas no Brasil. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo menos 15 milhões de pessoas estão à procura de um emprego no país.

“O neoliberalismo não é só um sistema econômico e político, ele é uma epistemologia. Nós pensamos de maneira neoliberal, mesmo entre as pessoas mais necessitadas. Ninguém abre mão para o que tem mais necessidade. A necessidade se opõe a ética. Isso embrutece muito e desumaniza a todos, os que impõe essa lógica e os que são submetidos a ela”, disse.

Dá para ter encontros com segurança?

Com a proximidade das festas de fim de ano, muitas pessoas estão se perguntando se já é seguro sair de casa neste momento da pandemia e que medidas são importantes para garantir segurança e evitar contágios?

O Brasil de Fato mergulha nos dilemas entre sair ou não sair de casa neste momento e também destaca cuidados importantes para continuar se prevenindo da covid-19.

Vai visitar parentes distantes? Vale andar com o comprovante de vacinação. Muitos lugares estão exigindo o documento. Para quem perdeu o registro vale pegar a segunda via no local em que tomou a última dose da vacina.

Está pensando em ver pessoas na festa do Réveillon? Que tal fazer uma “quarenteninha” antes de encontrar com o grupo? Essa é uma forma de ter mais segurança de que você não vai levar o vírus para ninguém. Fazer testes também é uma opção importante para monitorar a saúde antes de fazer as malas.

Conhece alguém que ainda não se vacinou? Vale ajudar e indicar um posto de saúde. Algumas pessoas podem ter dificuldade de acesso à imunização dependendo do lugar em que moram. Neste caso, é fundamental se mobilizar e exigir medidas da Secretaria de Saúde do município.

Alimentos regionais nas festas

Quem ainda estiver em dúvida sobre o que preparar para as festas de fim de ano, o Bem Viver dá a dica: apostar nos alimentos regionais! Eles reúnem diversas vantagens, entre elas serem mais econômicos, já que não estão tão suscetíveis as variações da inflação e podem ser adquiridos diretamente das famílias agricultoras.

Com isso, há a tendência também de serem mais saudáveis, cultivados de forma orgânica, sem uso de venenos. Os alimentos não-regionais precisam de grandes deslocamentos, o que muitas vezes resulta no uso de conservantes e transgenia.

Uma boa dica é optar por comprar alimentos em feiras agroecológicas e da agricultura familiar que funcionem perto de casa. Outra opção é procurar a unidade do Armazém do Campo mais próxima. Confira lojas no site: armazemdocampo.com.br.

Confira como ouvir e acompanhar o Programa Bem Viver / Brasil de Fato

Sintonize

O programa vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11h às 12h, com reprise aos domingos, às 10h, na Rádio Brasil Atual. A sintonia é 98,9 FM na Grande São Paulo.

Em diferentes horários, de segunda a sexta-feira, o programa é transmitido na Rádio Super de Sorocaba (SP); Rádio Palermo (SP); Rádio Cantareira (SP); Rádio Interativa, de Senador Alexandre Costa (MA); Rádio Comunitária Malhada do Jatobá, de São João do Piauí (PI); Rádio Terra Livre (MST), de Abelardo Luz (SC); Rádio Timbira, de São Luís (MA); Rádio Terra Livre de Hulha Negra (RN), Rádio Camponesa, em Itapeva (SP), Rádio Onda FM, de Novo Cruzeiro (MG), Rádio Pife, de Brasília (DF), Rádio Cidade, de João Pessoa (PB), Rádio Palermo (SP), Rádio Torres Cidade (RS) e Rádio Cantareira (SP).

A programação também fica disponível na Rádio Brasil de Fato, das 11h às 12h, de segunda a sexta-feira. O programa Bem Viver também está nas plataformas: Spotify, Google Podcasts, Itunes, Pocket Casts e Deezer.

Assim como os demais conteúdos, o Brasil de Fato disponibiliza o programa Bem Viver de forma gratuita para rádios comunitárias, rádios-poste e outras emissoras que manifestarem interesse em veicular o conteúdo. Para fazer parte da nossa lista de distribuição, entre em contato pelo e-mail: radio@brasildefato.com.br.

Edição: Sarah Fernandes

Comentários para "“A luta não é minha. Ela é histórica”, diz Padre Júlio Lancellotti":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Defensoras públicas criam projeto para atender órfãos do feminicídio

Defensoras públicas criam projeto para atender órfãos do feminicídio

iniciativa foi contemplada com o Prêmio Innovare

Presidente promulga convenção interamericana contra o racismo

Presidente promulga convenção interamericana contra o racismo

Texto foi publicado no Diário Oficial da União

Juíza de Santa Catarina manda reduzir de jornada de mãe de criança com deficiência

Juíza de Santa Catarina manda reduzir de jornada de mãe de criança com deficiência

Segunda magistrada, “ela teve de buscar a tutela judicial para reduzir a jornada e poder ser mãe e trabalhadora ao mesmo tempo”.

Governo Bolsonaro quer aprofundar privatização da saúde indígena, alertam organizações

Governo Bolsonaro quer aprofundar privatização da saúde indígena, alertam organizações

Foto de criança Yanomami desnutrida virou símbolo da crise na assistência médica aos povos originários

Dignidade menstrual é um direito, regulamentação da Lei no DF é urgente

Dignidade menstrual é um direito, regulamentação da Lei no DF é urgente

É necessário que o Estado garanta políticas públicas que promovam a dignidade menstrual

Estudo da ONU revela falta de justiça para migrantes vítimas de abuso

Estudo da ONU revela falta de justiça para migrantes vítimas de abuso

Restrições impostas em resposta à Covid-19 podem ter levado funcionários de fronteira a exigir subornos mais altos

Unicef alerta para aumento das violações aos direitos das crianças no mundo

Unicef alerta para aumento das violações aos direitos das crianças no mundo

O Unicef reconhece que mesmo antes da pandemia, cerca de 1 bilhão de crianças no mundo já sofriam algum tipo de privação

Em meio às crises, movimentos populares comemoram retomada das ruas e vitória da vacinação

Em meio às crises, movimentos populares comemoram retomada das ruas e vitória da vacinação

Manifestantes em marcha na Avenida Conde da Boa Vista pelo Fora Bolsonaro -

Defensoria pública e movimentos populares promovem campanha de combate à pobreza menstrual

Defensoria pública e movimentos populares promovem campanha de combate à pobreza menstrual

No DF, Lei que prevê a distribuição gratuita de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade ainda não foi implantada.

Crise põe metade das crianças no Líbano sob risco de violência física e emocional

Crise põe metade das crianças no Líbano sob risco de violência física e emocional

Pelo menos 1 milhão de crianças no Líbano estão sob perigo de violência física e mental à medida que a crise do país se intensifica

"Bolsonaro nega a pandemia e nega a fome no país", diz assessora da FIAN Brasil

Protestos lembraram da alta dos alimentos no governo Bolsonaro