×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 26 de outubro de 2021

Apenas 34% dos refugiados conseguem frequentar o ensino secundário

Apenas 34% dos refugiados conseguem frequentar o ensino secundárioFoto: UNHCR/ Ramiro Aguilar Villamar

Emily, refugiada venezuelana, usa o computador em sua casa, no Equador

Agência Onu News De Noticias - 08/09/2021 - 10:29:00

Relatório do Acnur revela desafios dos jovens do grupo que tentam continuar aprendendo, apesar dos impactos da Covid-19; agência faz um apelo à comunidade internacional para reverter índices muito baixos de matrícula nas universidades.

Dois terços das crianças refugiadas talvez nunca conseguirão frequentar o ensino secundário, alerta a Agência da ONU para Refugiados, Acnur.

Nesta terça-feira, a entidade lançou seu Relatório de Educação 2021, focando nos desafios enfrentados por uma geração de refugiados que tentam aprender, apesar dos impactos da pandemia de Covid-19.

Agências da ONU, como Acnur, têm apoiado refugiados e migrantes da Venezuela durante pandemia de Covid-19

Acnur/Felipe Irnaldo

Agências da ONU, como Acnur, têm apoiado refugiados e migrantes da Venezuela durante pandemia de Covid-19

Progressos ameaçados

O Acnur também pede um esforço internacional maior para combater os “índices criticamente baixos” de matrícula nas escolas e nas universidades. O alto comissário da ONU para Refugiados declarou que “progressos conquistados recentemente sobre entrada de crianças e de jovens nas escolas estão sob ameaça”.

Segundo Filippo Grandi, combater este desafio requer um esforço em massa e coordenado, e é uma tarefa que não se pode deixar escapar.

O Acnur fez um levantamento em 40 países e descobriu que entre 2019 e 2020, apenas 34% dos adolescentes refugiados estavam frequentando o ensino secundário.

Refugiada do Congo, Henriette Kiwele Kiyambi vive em um assentamento do Mali, onde beneficia de um apoio do Acnur para sua educação

Acnur/Tina Ghelli

Refugiada do Congo, Henriette Kiwele Kiyambi vive em um assentamento do Mali, onde beneficia de um apoio do Acnur para sua educação

Fase importante

O relatório destaca que esta fase do ensino é uma época de “crescimento, desenvolvimento e oportunidades”, e ajuda até a aumentar as perspectivas de emprego e a independência.

Mas sem um grande aumento no acesso ao ensino secundário, ficará difícil alcançar a meta estipulada pelo Acnur, que é de ter 15% dos jovens refugiados no ensino superior até 2030.

A agência lembra que os países que hospedam um grande número de refugiados precisam de apoio para conseguir fornecer material escolar e investimentos em tecnologia para reduzir as divisões digitais.

Faculdade

O Acnur destaca ainda que a Covid-19 afetou bastante a vida das crianças, mas o relatório aponta que para os menores refugiados que já enfrentavam obstáculos para ir à escola, a pandemia “pode destruir todas as esperanças que têm conseguir acesso à educação.”

O relatório mostra também que 68% das crianças refugiadas estavam matriculadas na escola primária, entre 2019 e 2020.

Já a participação no ensino superior era de 5%, um aumento de dois pontos. Na avaliação do Acnur, esse crescimento representa “uma mudança transformadora para milhares de refugiados” e traz “esperança aos jovens refugiados”. Mas a agência destaca que a taxa é muito baixa na comparação com índices globais.

Comentários para "Apenas 34% dos refugiados conseguem frequentar o ensino secundário":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Projeto de Lei sobre pobreza menstrual deve voltar a ser debatido no Congresso

Projeto de Lei sobre pobreza menstrual deve voltar a ser debatido no Congresso

Segundo a Unicef, mais de 4 milhões delas não têm acesso a itens mínimos de cuidados menstruais nas instituições escolares

Combate à intolerância religiosa reforça liberdade de crenças

Combate à intolerância religiosa reforça liberdade de crenças

Dia distrital de luta será marcado pela realização do 4º Diálogos com o Comitê Distrital da Diversidade Religiosa, vinculado à Sejus

Campanha

Campanha "Natal Sem Fome" começou em todo o país

Cada R$1 doado para a campanha

Comissão Interamericana de DH se reúne e ouve denúncia de ataque a povos originários no Brasil

Comissão Interamericana de DH se reúne e ouve denúncia de ataque a povos originários no Brasil

Com a pandemia, a reunião da Comissão foi realizada em ambiente virtual

Roçado Solidário do MST une campo e cidade contra a fome na Região Metropolitana do Recife

Roçado Solidário do MST une campo e cidade contra a fome na Região Metropolitana do Recife

Iniciativa convida voluntários para conhecer como é a produção de alimentos em assentamentos da Reforma Agrária

MST vence prêmio internacional por atuação na garantia de condições dignas para a população

MST vence prêmio internacional por atuação na garantia de condições dignas para a população

Cerimônia de premiação, organizada pela OIT, será realizada virtualmente na próxima sexta-feira (22)

Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza ressalta que é preciso fazer ajustes

Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza ressalta que é preciso fazer ajustes

ONU pede maior inclusão das vozes das pessoas que vivem na pobreza

No grupo de risco, pessoas com HIV têm menos acesso a vacinas contra Covid-19

No grupo de risco, pessoas com HIV têm menos acesso a vacinas contra Covid-19

Iniciativa quer arrecadar até US$ 5 milhões para o período entre 2021 e 2022

Agressões contra crianças e adolescentes no Brasil chegam a quase 120 mil

Agressões contra crianças e adolescentes no Brasil chegam a quase 120 mil

Em 2020, foram registradas mais de 150 mil denúncias

Desigualdade cresce mais no Brasil do que em outros países, aponta FGV

Desigualdade cresce mais no Brasil do que em outros países, aponta FGV

'Meu filho esqueceu as letras'

Acesso ao meio ambiente saudável é declarado um direito humano

Acesso ao meio ambiente saudável é declarado um direito humano

Árvores são plantadas na República Democrática do Congo para ajudar a combater a mudança climática.