×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 29 de janeiro de 2022

Associação repudia ameaça de Bolsonaro a prefeituras e estados que adotarem medidas restritivas

Associação repudia ameaça de Bolsonaro a prefeituras e estados que adotarem medidas restritivasFoto: Divulgação

Bolsonaro voltou a ameaçar estados e municípios que adotarem medidas restritivas para conter aumento da covid-19

Brasil De Fato | Porto Alegre (rs) - 14/01/2022 - 16:07:26

Presidente deveria articular resposta nacional à covid-19 e não ameaçar autoridades com bloqueio de receitas, diz nota

A Associação Brasileira de Municípios (ABM) divulgou uma nota, nesta quinta-feira (13), em que repudia a afirmação do presidente Jair Bolsonaro (PL), em entrevista à imprensa na segunda-feira (10), de que não irá repassar recursos financeiros para o enfrentamento da crise em saúde pública a prefeituras ou estados que adotarem medida restritiva no combate à covid-19.

A entidade critica que, agora que a crise sanitária volta a ameaçar a população, o presidente deveria estar articulando uma resposta nacional com os entes da Federação "para estancar o mais rapidamente possível a contaminação da nova variante do vírus da covid, e não ameaçar as autoridades com bloqueio de receitas."

Leia também: Média de casos da covid no país quadriplica em 10 dias e passa de 20 mil; mortos somam 619 mil

A nota, assinada pelo presidente da ABM, o prefeito de São Leopoldo (RS), Ary Vanazzy (PT), também indica três medidas que julga como prioritárias no atual momento: iniciar a vacinação de crianças imediatamente; lançar uma Campanha Nacional de Reforço da Vacinação para terceira dose; convocar uma reunião Federativa para articular um Plano de Ação que o momento exige.

Confira a nota na íntegra:

ABM repudia fala de Bolsonaro contra municípios e estados

A Associação Brasileira de Municípios (ABM) repudia com veemência a postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, que voltou ameaçar Municípios e Estados, dizendo que não ajudará financeiramente ao ente da Federação que adotar medida restritiva de combate ao vírus, afirmação veiculada em entrevista a uma emissora de comunicação, no último dia 10 de janeiro.

Como autoridade máxima da Nação, agora, que a crise sanitária ameaça voltar, o presidente da República, deveria estar articulando uma resposta nacional, com Prefeituras e Governos de Estados, para estancar o mais rapidamente possível a contaminação da nova variante do vírus da Covid, e não ameaçar as autoridades com bloqueio de receitas.

Prefeituras e Governos Estaduais foram os principais atores federativos no enfrentamento da crise sanitária, provocada pela Covid-19, nos dois últimos anos. A despeito da ausência da União na articulação de uma política pública comum, coesa e unificadora de combate ao vírus, foram os entes sub nacionais que se colocaram na linha de frente, adotando medidas de prevenção e saneadores responsáveis, respaldadas tecnicamente pela ciência.

É lamentável que no terceiro ano de combate à propagação do vírus, o Governo Federal não tenha entendido o seu papel, a responsabilidade e o protagonismo dos municípios brasileiros no enfrentamento da Covid-19.

Assim, a ABM entende que o governo Federal deveria priorizar três ações na conjuntura:

1 – Iniciar a vacinação de crianças imediatamente;

2 – Lançar uma Campanha Nacional de Reforço da Vacinação para terceira dose;

3 – Convocação de uma reunião Federativa para articular um Plano de Ação que o momento exige.

Ary Vanazzi

Presidente da ABM

Brasília, 13 de janeiro de 2022

Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira

Comentários para "Associação repudia ameaça de Bolsonaro a prefeituras e estados que adotarem medidas restritivas":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Setor químico vai à Justiça por isenção fiscal prometida por Bolsonaro

Setor químico vai à Justiça por isenção fiscal prometida por Bolsonaro

Criado em 2013, o Reiq tinha o propósito de gerar maior competitividade ao setor químico brasileiro, com a isenção de 3 65% do PIS e Cofins sobre a compra de matérias-primas básicas.

Moraes nega recurso de Bolsonaro, e impasse sobre depoimento à PF continua

Moraes nega recurso de Bolsonaro, e impasse sobre depoimento à PF continua

Depois de Bolsonaro não comparecer na sede da Polícia Federal, Moraes voltou a ordenar depoimento presencial; na foto, os dois em evento em Brasília, em 2019 -

Sergio Moro quer retomar itens do pacote anticrime em reforma do Judiciário

Sergio Moro quer retomar itens do pacote anticrime em reforma do Judiciário

Plano prevê restrições no acesso à Justiça gratuita

Secretários de Saúde pedem revogação de portaria sobre o kit covid

Secretários de Saúde pedem revogação de portaria sobre o kit covid

Texto cita possibilidade de uso de ivermectina e hidroxicloroquina

Associação pede suspensão de ato do Incra que libera obras em terras quilombolas

Associação pede suspensão de ato do Incra que libera obras em terras quilombolas

As terras quilombolas não foram as únicas afetadas pelas novas normas impostas pelo Incra. Na última semana de 2022, o órgão ligado ao Ministério da Agricultura também abriu os assentamentos agrários do País.

Absorventes, patentes e Eletrobras: Entenda os vetos que o Congresso vai analisar pós-recesso

Absorventes, patentes e Eletrobras: Entenda os vetos que o Congresso vai analisar pós-recesso

Para derrubar os vetos no Congresso, parlamentares precisam reunir a maioria absoluta dos votos nas duas Casas

Brasil cai para 96º lugar em ranking de corrupção da Transparência Internacional

Brasil cai para 96º lugar em ranking de corrupção da Transparência Internacional

A nota representa o terceiro pior resultado nos últimos dez anos.

Escritor e influenciador Olavo de Carvalho morre 8 dias após contrair Covid-19

Escritor e influenciador Olavo de Carvalho morre 8 dias após contrair Covid-19

Olavo de Carvalho, um escritor e influenciador bolsonarista, faleceu aos 74 anos, segundo divulgação em suas redes sociais.

Educação e Trabalho concentram cortes de Bolsonaro; veja quanto cada ministério perde em 2022

Educação e Trabalho concentram cortes de Bolsonaro; veja quanto cada ministério perde em 2022

Decisão foi publicada nesta segunda-feira (24) no Diário Oficial da União

Ministro diz que não foi informado de recurso contra nota da Conitec

Ministro diz que não foi informado de recurso contra nota da Conitec

Queiroga antecipou que análise será transparente e impessoal

Lewandowski suspende parte de decreto de Bolsonaro que reduz proteção de cavernas

Lewandowski suspende parte de decreto de Bolsonaro que reduz proteção de cavernas

No despacho, Lewandowski defende a suspensão do ato presidencial diante do "risco de danos irreversíveis às cavidades naturais subterrâneas e suas áreas de influência"