×
ContextoExato

Caça à baleia, o Japão, confusões, e a Antártica

Caça à baleia, o Japão, confusões, e a AntárticaFoto:

Caça à baleia, o Japão, que nunca parou de caçá-las, e a boa nova para a Antártica

Estadão Conteúdo - 04/01/2019 - 20:56:35

Os derradeiros momentos de 2018 assistiram uma grande confusão da mídia tupiniquim. Basta ver algumas manchetes para perceber. Por motivos óbvios, não daremos a fonte destas manchetes. Quem quiser, que pesquise na net. Nossa intenção não é apontar erros, ou ridicularizar quem quer que seja. Nossa intenção é explicar ao público o que de fato aconteceu com relação ao ‘país do sol nascente’, e a caça à baleia.

As manchetes erradas, sobre o Japão e a caça à baleia, na mídia

Por que o Japão decidiu voltar a caçar baleias apesar de proibição internacional, era uma delas. Por que Japão quer voltar a caçar baleias apesar de proibição, outra. Foram dezenas, entre outras, Japão retoma caça comercial de baleiasPor que Japão quer voltar a caçar baleias apesar da proibição internacionalJapão anuncia retomada da caça comercial de baleias, e variações. Todos os veículos, jornais, sites, revistas, portais, embarcaram na mesma confusão.

Colocando os pingos nos ‘IS’: o Japão jamais parou de caçar baleias

Em 1986 os países membros da Comissão Internacional da BaleiaIWC, (International Whale Commission), decidiram por uma moratória da caça para que os estoques se recuperassem. O Japão, também membro do grupo, teve que aceitar o voto da maioria mas, desde então, passou a lutar pelo fim dela, e a volta à caça com cotas para cada país. Enquanto debatia, o Japão passou a caçar os cetáceos “para objetivos científicos.”  O país apenas trocou o nome da atividade, mas continuou a matar baleias em todos os oceanos do planeta. Não só o Japão, mas Noruega, Islândia, e Dinamarca também.

ilustração de caça a baleia e comissão baleeira internacional

Ilustração: korea times

O que aconteceu agora?

Como já dissemos, uma confusão. Acontece que o Japão cansou de esperar uma mudança por parte da IWC. Faz anos que o país ameaça sair do grupo mas, na hora H, recua. Agora os nipônicos resolveram chutar o pau da barraca. Anunciaram a decisão de deixar o órgão. Yoshihide Sugasecretário geral do Governo do Japão, afirmou que o país procura meios de promover a caça de baleias de maneira sustentável por mais de 30 anos, mas sem sucesso nas negociações com os países contrários à medida. De acordo com ele, o Japão caçará baleias apenas em suas águas territoriais e zonas econômicas exclusivas, sem avanços para o Oceano Antártico no Hemisfério Sul.

Hemisfério Sul, finalmente livre da caça!

Aí está, grifada, a boa nova: a partir de agora o Japão caçará baleias apenas em suas águas territoriais, e ZEEs, sem avanços para o Oceano Antártico. Isso quer dizer que a grande notícia – o Continente Branco, reservado à ciência e à pesquisa, finalmente poupado deste absurdo – não foi dada corretamente pela mídia tradicional. Temos que comemorar, como disse o ambientalista José Truda Palazzo Jr., “a saída deles da IWC com o abandono da caça no Hemisfério Sul significa que as nossas baleias, e todas as espécies e populações ao sul do Equador, que são utilizadas unicamente de maneira não-letal para o turismo de observação e pesquisa científica, estarão efetivamente protegidas. Bora abrir mais champanhe!”

Ilustração de abertura: korea times.

Conheça o legado ambiental do Governo Temer

O Mar Sem Fim quer a sua colaboração. Não é possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e, com a sua ajuda, podemos melhorar ainda mais o nosso conteúdo. Saiba como colaborar com o Mar Sem Fim.

Comentários para "Caça à baleia, o Japão, confusões, e a Antártica":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório