×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

João de Deus apresenta duas versões para cada denúncia e nega crimes

João de Deus apresenta duas versões para cada denúncia e nega crimesFoto:

Ao todo, 15 mulheres foram ouvidas pela Polícia Civil. Apesar de João de Deus negar as acusações das vítimas, o delegado afirma que os relatos de abusos durante atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, são muito contundentes.

Estada Conteúdo - 17/12/2018 - 23:28:59

A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira, 17, novos detalhes do depoimento do médium João de Deus , suspeito de abusar sexualmente de mais de 300 mulheres . Segundo o delegado-geral, André Fernandes, o interrogatório resultou em sete páginas.

João de Deus apresentou duas versões para cada denúncia e negou os crimes. "Ele apresenta a versão de cada fato e não confessa a prática destas ações. Durante o depoimento, o comportamento dele foi de negação das acusações, agindo de forma natural, respondeu a todas as perguntas e compreendeu as acusações a ele imputadas. Ele afirma que todos que iriam naquela casa era de forma voluntária, espontânea, que os atendimentos eram coletivos e que não havia estes abusos", disse André Fernandes.

Ao todo, 15 mulheres foram ouvidas pela Polícia Civil. Apesar de João de Deus negar as acusações das vítimas, o delegado afirma que os relatos de abusos durante atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, são muito contundentes. "O interrogatório não consegue superar as denúncias, as oitivas das mulheres que narraram de forma tão segura e detalhada o que viveram. Somado com outras provas que a polícia terá até o fim das investigações, o Poder Judiciário terá vastas informações", declarou.

O depoimento ocorreu na Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Goiânia . Ele respondeu às perguntas dos delegados por mais de três horas, mas o delegado-geral não detalhou o conteúdo do interrogatório. "Trata-se de informação sensível, é um caso delicado. Mas ele apresentou versões, explicações para os casos", completou.

João de Deus deve ser ouvido novamente. "Vamos confrontar o que ele falou com as provas que temos e com os depoimentos colhidos e analisar tudo. Devemos ouvir ele uma segunda vez, mas primeiro precisamos fazer esses comparativos", explicou.

O delegado Waldemir Pereira, conhecido como Branco, também acompanhou o depoimento de João de Deus e disse que ele se manteve tranquilo na maior parte do tempo. No entanto, segundo ele, ao falar de uma vítima de quem se lembrava o médium se mostrou nervoso. Com a prisão do médium, a Polícia Civil acredita que mais vítimas devem surgir. O delegado explicou que deve se encontrar nesta segunda-feira, com o Ministério Público, que também atua na força-tarefa para apurar os casos.

Defesa

O advogado Alberto Toron, que defende o médium, disse que tem "sérias dúvidas sobre os depoimentos incriminatórios" . "Tivemos acesso a parte dos depoimentos e sem fotos das vítimas, então alguns casos ele não se lembra. E tem relatos de mulheres que dizem ter sido abusadas e voltaram lá outras vezes. Então, é preciso escrutinar tudo com calma para que não haja um linchamento", explicou. O defensor disse ainda que o médium alega inocência e que acredita que isso é uma armação contra ele. "O senhor João acha que tem gente que o quer destruir", completou.

Toron informou que deve entrar com um pedido de habeas corpus nesta segunda-feira também pedindo, se necessário, que seja concedida a prisão domiciliar do médium. Sobre a movimentação de R$ 35 milhões nas contas de João de Deus, o advogado explicou que não houve nenhum saque. "Não houve nenhuma movimentação. Ele simplesmente baixou as suas aplicações para fazer frente às necessidades dele . Ele se apresentou dando mostras claras de que respeita a Justiça e o Poder Judiciário e por isso está à disposição", explicou.

Prisão

O médium João de Deus teve sua prisão decretada na sexta-feira, 14, a pedido da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual de Goiás ( MP-GO ). No domingo, 16, ele se entregou à polícia em uma estrada de terra em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal. Ele foi trazido para Goiânia e, após prestar depoimento, encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito.

O líder religioso dormiu em uma cela de 16 m² no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia na Região Metropolitana da capital. De acordo com a assessoria de imprensa da Diretoria-Geral de Adminisitração Penitenciária (DGAP), o religioso passou bem a noite, dormiu junto com outros três presos e comeu pão com manteiga e achocolatado nesta manhã. O órgão informou ainda que João de Deus está recebendo todos os medicamentos que ele faz uso contínua.

Comentários para "João de Deus apresenta duas versões para cada denúncia e nega crimes":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Professora Marina Dias e o sonho paralímpico da paraescalada

Professora Marina Dias e o sonho paralímpico da paraescalada

Professora foi 1ª brasileira a competir e ganhar medalha no exterior

Atriz brasileira se aproxima do seu sonho ao explorar mais na China

Atriz brasileira se aproxima do seu sonho ao explorar mais na China

A brasileira de 39 anos foi para Nanjing, na China, em 2014 para aprender chinês porque queria trabalhar como tradutora depois de voltar ao Brasil.

Klara Castanho: Entrega à adoção é legal e gestante tem direito ao sigilo

Klara Castanho: Entrega à adoção é legal e gestante tem direito ao sigilo

Gestante tem direito de não exercer maternidade, dizem especialistas

Luiza Trajano: A pandemia acelerou o processo de igualdade para a mulher

Luiza Trajano: A pandemia acelerou o processo de igualdade para a mulher

Segundo a empresária, a pandemia foi responsável por acelerar o processo de transformação nas companhias.

Gravidez após os 40 anos: o que toda mulher deve saber

Gravidez após os 40 anos: o que toda mulher deve saber

Realidade no Brasil, Europa e EUA, o adiamento da maternidade não é isento de riscos. Médica ginecologista da clínica Origen BH fala sobre o envelhecimento ovariano e o desafio de equilibrá-lo com as aspirações femininas e as transformações sociais da atualidade

Elas batalham pela inclusão de mais mulheres na astronomia

Elas batalham pela inclusão de mais mulheres na astronomia

A proposta inicial de acompanhar as garotas de forma próxima se manteve. “Fazemos o acompanhamento individual de cada menina, auxiliando nas atividades e interagindo”

Quem é Francia Márquez, a primeira mulher negra vice-presidenta na Colômbia?

Quem é Francia Márquez, a primeira mulher negra vice-presidenta na Colômbia?

Francia Elena Márquez Mina foi a mulher mais votada na história das eleições colombianas

'Meu repúdio por qualquer discriminação', diz Xuxa sobre homofobia de religiosos

'Meu repúdio por qualquer discriminação', diz Xuxa sobre homofobia de religiosos

A loira afirmou que está indignada com os discursos e por ver que existem pessoas que apoiam esse pensamento.

Relacionamentos abusivos: o que você precisa saber para mudar esse padrão e se libertar

Relacionamentos abusivos: o que você precisa saber para mudar esse padrão e se libertar

Uma em cada três mulheres sofre violência ao longo da vida, de acordo com relatório divulgado pela OMS. Entenda como o autoconhecimento pode ser um dos caminhos para evitar que os relacionamentos cheguem a este ponto

“A ressignificação da velhice é imprescindível”, destaca juíza do TJ do DF em lançamento de cartilha sobre a pessoa idosa

“A ressignificação da velhice é imprescindível”, destaca juíza do TJ do DF em lançamento de cartilha sobre a pessoa idosa

Conheça a Cartilha Quem Nunca? - Reflexões sobre o preconceito em razão da idade.

'Errei e não há justificativa', diz Talitha Morete após ser acusada de racismo no 'É de Casa'

'Errei e não há justificativa', diz Talitha Morete após ser acusada de racismo no 'É de Casa'

No final do programa, Talitha passou o prato para a convidada e pediu para que ela servisse todos que estavam no estúdio.