×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de janeiro de 2022

Precisamos garantir as necessidades de mulheres e meninas enquanto lutamos contra a covid-19

Precisamos garantir as necessidades de mulheres e meninas enquanto lutamos contra a covid-19Foto: ONU Brasil

Diretora executiva do UNFPA, dra. Natália Kanem.

Lauren Anders Brown/unfpa - 28/03/2020 - 12:35:49

Em artigo, a diretora-executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Dra. Natalia Kanem, afirma que a cada dia que passa, a escalada da crise da COVID-19 e suas consequências vão ficando ainda mais aparentes e alarmantes.

“Nós não devemos esquecer que há pessoas que estão sobre grande risco em consequência da crise: As mulheres grávidas, que precisam de atendimento pré-natal, mas estão incertas se é ou não seguro ir à clínica. As mulheres em relacionamentos abusivos presas em casa por não conseguir vislumbrar um futuro e temendo por sua segurança. As dez milhares de pessoas em campos refugiados, que estão contando os dias até a chegada do coronavírus, e aquelas para as quais o distanciamento social simplesmente não é uma opção. As pessoas idosas, muitas das quais estão presas no isolamento, estão famintas por interação social e estão particularmente vulneráveis a ficarem seriamente doentes”.

Por Dra. Natalia Kanem*

A cada dia que passa, a escalada da crise da COVID-19 e suas consequências vão ficando ainda mais aparentes e alarmantes.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) que trabalha com saúde sexual e reprodutiva, é solidária a todos aqueles respondendo ao novo coronavírus: das equipes médicas e voluntários bravamente cuidando dos doentes, aos motoristas de ônibus e cuidadores que estão na linha de frente. E nós lamentamos o número crescente daqueles que perderam seus familiares na maior crise de saúde global em um século.

A COVID-19 está testando a comunidade internacional. Ainda assim, o trabalho do UNFPA com governos, parceiros, agências da ONU e doadores continua – e está aumentando. Existem planos de continuidade do trabalho em todos os níveis, e nosso compromisso em servir aos mais vulneráveis está mais forte do que nunca.

Como na maioria das crises, essa pandemia causou uma severa perturbação no acesso a serviços de saúde sexual e reprodutiva salvadores de vida, e prejudicou a habilidade das autoridades responderem à violência de gênero, justamente em um momento em que mulheres e meninas precisam mais desse serviço. O UNFPA está trabalhando com governos e parceiros para priorizar as necessidades de mulheres e meninas, alinhado com nossos objetivos de acabar com a necessidade não satisfeita de planejamento reprodutivo e contracepção, as mortes maternas evitáveis e acabar com a violência de gênero e práticas nocivas contra mulheres e meninas até 2030.

Precisamos de doação para financiarmos as ações em resposta à COVID-19 com foco nos países cujos sistemas de saúde público e de apoio social são fracos, incluindo países em situações frágeis e em emergências humanitárias. Estamos projetando um custo de US$ 187,5 milhões para 2020. Os esforços do UNFPA vão focar em fortalecer sistemas de saúde, adquirindo e entregando insumos essenciais para proteger profissionais de saúde, garantindo acesso à saúde sexual e reprodutiva e a serviços contra a violência baseada em gênero, e promovendo comunicação de risco e engajamento comunitário.

Agora é um momento para solidariedade, determinação e abnegação. Nós não devemos esquecer que há pessoas que talvez nós não vejamos imediatamente, mas que estão sobre grande risco em consequência da crise:

As mulheres grávidas, que precisam de atendimento pré-natal, mas estão incertas se é ou não seguro ir à clínica.

As mulheres em relacionamentos abusivos presas em casa por não conseguir vislumbrar um futuro e temendo por sua segurança.

As dez milhares de pessoas em campos refugiados, que estão contando os dias até a chegada do coronavírus, e aquelas para as quais o distanciamento social simplesmente não é uma opção.

As pessoas idosas, muitas das quais estão presas no isolamento, estão famintas por interação social e estão particularmente vulneráveis a ficarem seriamente doentes.

O UNFPA está fornecendo material de suporte para sistemas de saúde afetados e protegendo profissionais de saúde e parteiras. Na China, Irã e Filipinas, por exemplo, nós distribuímos itens essenciais de higiene, entre outros, para os mais vulneráveis, e equipamentos de proteção individual para trabalhadores de saúde. Em Moldova, nós lançamos um painel online para o sistema de saúde que mostra o número de casos atuais, desagregados por localização, sexo, idade e status da gravidez.

Mas nós precisamos fazer muito mais para garantir que as necessidades mais íntimas, e no entanto essenciais, de mulheres e meninas sejam atendidas enquanto lutamos contra a COVID-19 durante os desafiadores meses à frente. O UNFPA descreveu o que precisamos fazer em vários documentos guia publicados no site do UNFPA sobre esses tópicos.

Esse flagelo global requer uma resposta global. Nós instamos a comunidade internacional a vir em ajuda a todos os afetados pela crise: ambos aqueles com COVID-19 e aqueles que estão presos no isolamento, tendo negados os serviços aos quais desesperadamente precisam. Por favor, unam-se a nós na defesa da dignidade e saúde de mulheres e meninas quando elas mais precisam de nós.

* Diretora executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Comentários para "Precisamos garantir as necessidades de mulheres e meninas enquanto lutamos contra a covid-19":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Quem quiser seguir o mesmo caminho da diarista Maria da Conceição pode se matricular no programa, que abrirá vagas remanescentes em fevereiro

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

Yidri foi uma das mulheres empreendedoras beneficiadas em Roraima pelo Programa Conjunto LEAP

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é composta por 38 países membros e por 8 países parceiros, grupo do qual o Brasil faz parte

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Unfpa administra operações dentro das instalações de saúde no maior acampamento acolhendo cidadãos da Síria

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Segundo Natália, o direito de resposta "evidencia as mentiras contadas no programa e mostra a necessidade urgente de enfrentar a intolerância e o preconceito. A recusa em divulgá-la é uma confirmação daquilo que foi dito"

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

Mulheres da comunidade Aratu, em João Pessoa, aguardam por alimentos durante ação de solidariedade em 1° de maio de 2021.

NYT traz perfil de Luiza Trajano destacando antirracismo e ascensão política

NYT traz perfil de Luiza Trajano destacando antirracismo e ascensão política

A reportagem cita que Luiza Trajano fez movimentos

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa:

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa: "Pago imposto para ver meu filho morto?"

"Ninguém sabe a dor que estou passando", disse Ana Clara Santos, mãe de Kevin Lucas, de seis anos

Constituinte do Chile elege pesquisadora de saúde pública como nova presidenta

Constituinte do Chile elege pesquisadora de saúde pública como nova presidenta

Da esquerda para a direita: a ex-presidenta Elisa Loncón e a nova mandatária: María Elisa Quinteros

Secretaria de Cultura do DF libera para download o catálogo da Mulher Negra

Secretaria de Cultura do DF libera para download o catálogo da Mulher Negra

Ação homenageia a trajetória artística de 30 agentes culturais do DF

Entidades criam ferramentas para mulheres com deficiência denunciarem violência doméstica

Entidades criam ferramentas para mulheres com deficiência denunciarem violência doméstica

Apenas 27% das mulheres que responderam à pesquisa disseram nunca ter sofrido ou vivenciado situações violência