×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 17 de maio de 2022

"Que seja transparente”, diz Erika Hilton sobre regulamentação do Fundo de Combate à Fome

Foto: Afonso Braga/Câmara Municipal de São Paulo

Em entrevista ao Brasil de Fato, Hilton afirmou que a importância da legislação é “gigantesca”

Caroline Oliveira - Brasil De Fato | São Paulo (sp) - 28/01/2022 - 08:51:30

Fundo foi aprovado pelo prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, mas ainda passará por regulamentação

Nesta terça-feira (25), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), sancionou o projeto de lei que criou o Fundo Municipal de Combate à Fome, de autoria da vereadora Erika Hilton (PSOL).

De acordo com a legislação, os recursos do fundo devem ser aplicados “em programas e ações de garantia à nutrição e à segurança alimentar, dirigidas para melhoria da qualidade de vida, incluindo ações de proteção à criança e ao adolescente e ações de incentivo à agricultura familiar ”.

:: Especial | Fome no Brasil: a luta de famílias brasileiras para garantir comida na mesa ::

Também devem provir de dotações orçamentárias específicas; doações, auxílios, subvenções e legados, de qualquer natureza, de pessoas físicas ou jurídicas do País ou do exterior; e outras receitas que ainda serão definidas em regulamento.

Em entrevista ao Brasil de Fato, Hilton afirmou que a importância da legislação é “gigantesca”. Ainda mais em um momento no qual “a pandemia e as desigualdades trouxeram uma maior insegurança alimentar, colocaram mais gente na zona da fome”.

:: Brasil com fome: pandemia e desmonte do Estado agravam drama dos trabalhadores ::

A vereadora diz que o momento atual demanda políticas de curto prazo com foco em segurança alimentar e nutricional, mas programas de efeitos de médio e longo prazo não podem ficar de fora do radar do poder público. Em suas palavras, o Fundo Municipal de Combate à Fome vem para cumprir em parte tal função. “Essa legislação pretende reparar a desigualdade, tirar as pessoas da fome e pensar nesse combate a longo prazo”, afirma.

Regulamentação

A legislação ainda passará por um processo de regulamentação para a definição, por exemplo, de movimentação de recursos e prestação contas. Hilton espera que tal processo seja transparente e tenha participação ativa dos movimentos populares e do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (Comusan).

“É importante que haja a participação do Conselho Municipal de Segurança Nutricional, dos movimentos de população em situação de rua, da sociedade e dos legisladores. Eu espero que seja um processo extremamente transparente e com profunda e ampla participação popular e dos conselhos responsáveis pela regulamentação dessa legislação”, afirma Hilton.

:: “Bolsonaro não tem como prioridade a segurança alimentar", diz presidenta de conselho do Ceará ::

Parte da regulamentação passa pela necessidade de garantir que o Estado seja responsável pela garantia de um valor mínimo a fim de que o fundo seja exclusivamente dependente de doações do setor privado. Isso significa, nas palavras de Hilton, “fazer com que os recursos orçamentários estejam previstos, seja nessa ou nas próximas gestões, porque o combate à fome é uma obrigação dos governos, de todos nós, e é preciso que haja previsto no orçamento da cidade recursos”. Para isso, a vereadora considera que fiscalização e cobrança constantes são a fórmula.

Insegurança Alimentar

Dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN), presentes no Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, mostram que apenas 44,8% dos domicílios brasileiros têm garantia de acesso à segurança alimentar, enquanto 9% deles representam Insegurança Alimentar Grave, o que significa ocorrência de fome. A situação foi pior entre os moradores da área rural, onde a IA grave é presente em 12% dos domicílios brasileiros.

Níveis de insegurança alimentar no Brasil / Rede PENSSAN

“Esse é um cenário muito triste, que se coloca em um dos momentos mais difíceis da nossa história, seja na conjuntura política, econômica ou sanitária. A aprovação desta lei manda o recado de que existem mandatos organizados com os movimentos atuando na contramão dos desmontes de políticas de garantia da vida, de que nós estamos com um olhar atento e construtivo para enfrentar todos os desafios que a miséria, o desemprego e a pobreza têm colocado diante de nós”, afirma Hilton.

“Nós não podemos viver em um mundo onde existam pessoas passando fome, e esta legislação diz que é preciso um compromisso do poder público, que é preciso ter legislações sérias e políticas públicas que dê resposta à população que está enfrentando a fome e a miséria. ”

Edição: Vivian Virissimo

Comentários para ""Que seja transparente”, diz Erika Hilton sobre regulamentação do Fundo de Combate à Fome":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório

"Democracia latino-americana está envenenada", afirma ex-presidente uruguaio Pepe Mujica

Em evento no Uruguai, o político aposentado cobrou uma união da população para barrar governos autoritários

Dia Internacional das Famílias destaca impacto da urbanização sobre os lares

Dia Internacional das Famílias destaca impacto da urbanização sobre os lares

A ONU marca em 15 de maio o Dia Internacional das Famílias com foco na urbanização e como melhorar a vida das pessoas nas cidades

Coreia do Norte confirma 21 novas mortes suspeitas de Covid-19

Coreia do Norte confirma 21 novas mortes suspeitas de Covid-19

Apesar das medidas restritivas para evitar a circulação de pessoas entre cidades, as descrições da mídia estatal norte-coreana indicam que a população não está confinada.

Espera de entrevista para visto norte-americano chega a 354 dias em SP

Espera de entrevista para visto norte-americano chega a 354 dias em SP

Nos demais consulados no país a demora é menor

"Sem Caribe, não há América": campanha busca visibilizar a necessidade da integração regional

Economista haitiano propõe uma "pedagogia das revoluções" como estratégia contra o domínio imperialista em toda a região

Filmes, livros e contos são recursos para quem quer saber mais sobre o Japão

Filmes, livros e contos são recursos para quem quer saber mais sobre o Japão

Conhecer alguns termos e palavras principais na língua japonesa também é uma forma de saber mais sobre o país, além de ajudar a se sentir mais próximo da cultura

Profissionais de MSF seguem detidos injustamente há 4 meses em Camarões

Profissionais de MSF seguem detidos injustamente há 4 meses em Camarões

Organização pede libertação imediata de enfermeira e motorista presos após socorrerem ferido

Norma internacional previne acidentes e incidência de doenças no trabalho

Norma internacional previne acidentes e incidência de doenças no trabalho

Campanha Abril Verde busca estimular a notificação de acidentes e doenças ocupacionais no país.

EUA: Republicanos ameaçam isenção fiscal da Disney por oposição a leis anti-LGBT

EUA: Republicanos ameaçam isenção fiscal da Disney por oposição a leis anti-LGBT

Alguns republicanos temem que as iniciativas possam sair pela culatra com eleitores moderados, que não concordam com uma agenda anti-LGBT.

OMS continua investigando causas de hepatite aguda em crianças na Europa

OMS continua investigando causas de hepatite aguda em crianças na Europa

Criança recebe vacina contra hepatite B, porém casos recentes não foram associados aos vírus tradicionais.

Macron é o 1º presidente reeleito na França em 20 anos; Le Pen reconhece derrota

Macron é o 1º presidente reeleito na França em 20 anos; Le Pen reconhece derrota

Cinco anos atrás, Macron conquistou uma vitória expressiva também sobre Marine. Na ocasião, ele se tornou o mais jovem presidente francês.