×
ContextoExato

Celina Leão. Espaço no GDF ou mandato

Celina Leão. Espaço no GDF ou mandatoFoto:

Não agora. Mais para a frente, especialmente se ela conseguir a absolvição na denúncia da Operação Drácon.

Por Ana Maria Campos - Correio Braziliensse - 06/01/2019 - 10:34:19

Espaço no governo ou mandato

Há uma aposta no meio político de que a deputada Celina Leão (PP), eleita federal, possa assumir um cargo no governo Ibaneis Rocha. Não agora. Mais para a frente, especialmente se ela conseguir a absolvição na denúncia da Operação Drácon. Se isso ocorrer, Tadeu Filippelli (MDB), primeiro suplente, pode virar deputado federal. Esse é o sonho do emedebista, mas Celina parece bem animada com as perspectivas do mandato na Câmara.

Na primeira instância

Com as novas regras para foro especial, que foram restringidas pelo STF, a denúncia da Operação Drácon vai baixar para a primeira instância. O processo que tramita perante o Conselho Especial do Tribunal de Justiça do DF será agora analisado pela oitava vara criminal de Brasília. Deve ter uma sentença mais rápida. Pode ser uma boa ou má notícia para os réus.

Primeira inauguração de Ibaneis

Antes mesmo de tomar posse, o governador Ibaneis Rocha vai inaugurar hoje, às 9h30, a primeira obra: a reforma do banheiro da rodoviária do Gama, feita com dinheiro do próprio bolso. São 400 metros de piso. A história começou numa visita ao local, durante a campanha. Ibaneis ficou impressionado com a situação e prometeu fazer a reforma. Agora, vai cumprir outra promessa, também custeada com recursos próprios: a restauração do teto da Feira do Guará.

Delegado Adval Cardoso será o chefe do sistema penitenciário

Titular da 18ª Delegacia de Polícia (DP), em Brazlândia, o delegado Adval Cardoso de Matos foi escolhido pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) para o cargo de subsecretário do Sistema Penitenciário (Sesipe). Adjunto da direção-geral, em 2010, quando o titular era o delegado Pedro Cardoso, Adval já foi corregedor-geral. Estreou na Polícia Civil há 32 anos, como agente penitenciário. Depois, foi agente de polícia e é delegado há 20 anos. Seria o nome da preferência do deputado Laerte Bessa (PR/DF) para o comando da Polícia Civil do DF. No governo Ibaneis, a Sesipe permanece sob o comando da Secretaria de Segurança Pública. A missão é importante, levando-se em conta que a Papuda abriga presos ilustres, como o ex-senador Luiz Estevão e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, e que regalias foram apontadas nos últimos anos.

Espaço no governo ou mandato

Há uma aposta no meio político de que a deputada Celina Leão (PP), eleita federal, possa assumir um cargo no governo Ibaneis Rocha. Não agora. Mais para a frente, especialmente se ela conseguir a absolvição na denúncia da Operação Drácon. Se isso ocorrer, Tadeu Filippelli (MDB), primeiro suplente, pode virar deputado federal. Esse é o sonho do emedebista, mas Celina parece bem animada com as perspectivas do mandato na Câmara.

Dia de festa

Nasceu ontem Aurora, a caçula do deputado Cláudio Abrantes (PDT). Justamente no dia do aniversário dele, que completou 50 anos. É o segundo filho do distrital, que já tem Benjamin, de quatro anos. De manhã, ele recebeu uma ligação do governador eleito Ibaneis Rocha que o parabenizou. Em breve, sairá o convite oficial para que Abrantes assuma a liderança do governo na Câmara Legislativa. O distrital, no entanto, trabalha para ser presidente da Casa, mesmo sabendo que Rafael Prudente (MDB) é o favorito na disputa.

Ismael Alexandrino: “Bão e bunito”

Alguém está usando o nome do presidente do Instituto Hospital de Base, Ismael Alexandrino, para um golpe por telefone. Como ele está de mudança para Goiânia, onde assumirá a secretaria de Saúde do governo de Goiás, alguém montou um perfil de WhatsApp com a foto do médico, usando o prefixo 62, e está enviando uma mensagem para vários de seus amigos pedindo dinheiro. A história é que ele teria capotado o carro perto de Petrolina e precisaria de ajuda. Mas Ismael adverte: “Estou em Brasília, acabei de chegar em casa, e estou 'bão e bunito'. Não tem acidente algum”.


À QUEIMA-ROUPA

Wilson de Paula, atual secretário de Fazenda do DF

Que balanço faz da Administração Rollemberg na área das finanças?

Acredito que um dos grandes legados desta gestão é ter retirado o Distrito Federal da falência iminente. Hoje poderíamos estar em uma situação de caos nas finanças públicas semelhante aos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás. Não fosse a determinação da equipe econômica de reequilibrar as contas desde o primeiro dia de Governo, acredito que as tantas conquistas – e foram muitas, em um cenário nacional de crises política e econômica, não seriam alcançadas.

Quais foram os principais avanços?

Foram diversos. Mas, trazendo para o lado econômico, vou citar o trabalho de reduzir e otimizar os gastos públicos; o crescimento da receita tributária entre 2014 e 2017, de cerca de 24% (nominal); a reformulação da previdência local e a instituição da Previdência Complementar; a captação de recursos e a modernização da Gestão Fiscal do DF, pautada pela mudança de postura de um Fisco menos repressor para um mais colaborativo. Um grande destaque também foi o aperfeiçoamento dos canais de atendimento da Secretaria com a ampliação dos serviços fazendários nos postos do Na Hora, a migração de 100% dos serviços voltados à pessoa física para o Atendimento Virtual e a renovação dos canais digitais do órgão.

O que gostaria de ter executado e não foi possível tirar do papel nesse período?

Conseguimos avançar bastante na agenda de entregas, mas gostaria de ter simplificado mais o cumprimento das obrigações fiscais; de ter eliminado procedimentos burocráticos e algumas exigências previstas na legislação, além de obrigações acessórias que entendo como desnecessárias e dar posse aos futuros servidores concursados da Fazenda/DF (o edital do certame deverá ser publicado no fim de janeiro).

Que conselho daria ao seu sucessor?

Primeiramente, desejar boa sorte ao meu sucessor e à equipe do novo governo. Torço pelo bem de Brasília e pela melhoria da qualidade de vida da população. Sugiro apenas que persiga incansavelmente o equilíbrio fiscal do DF para que não tenhamos que sofrer, novamente, com a sombra das crises vividas por todos nos últimos anos.

Comentários para "Celina Leão. Espaço no GDF ou mandato":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório