×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 02 de julho de 2022

Agnelo Queiroz: Afinal, quem trama para derrubá-lo?

Agnelo Queiroz: Afinal, quem trama para derrubá-lo?Foto:

Editorial

Edson Sombra / Redação - 14/06/2012 - 15:39:15

Ontem o governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz em espaço gratuito de televisão perdeu a oportunidade de dizer para todo o país os nomes dos integrantes da organização criminosa que, segundo ele, tentam “derrubá-lo”. A oportunidade perdida pelo governador seja talvez por desconhecimento da verdade. ...


Quando Agnelo diz que há arapongagem no DF, ele tem razão. O governador realmente teve a privacidade do seu sigilo invadida: seu chefe da Casa Militar, tenente coronel Rogerio Leão, que, em entrevista a revista Veja, chegou a assumir ter ordenado a quebra de sigilos de autoridades e jornalistas, também foi alvo do submundo da arapongagem (leia aqui ).


A questão é que o ocorrido não é privilégio de Agnelo, nem muito menos do seu chefe da Casa Militar. Também não é verdadeira a informação passada a alguns veículos de comunicação do Distrito Federal e de circulação nacional que partiram de blogs a autoria da ação desses criminosos que, segundo o governador, habitam a esgotosfera da arapongagem.


Informações com provas documentais que tem o titular deste blog dão conta que um grupo de arapongas invadiu a privacidade de diversas outras autoridades e a do titular deste blog. Dentre as autoridades que tiveram a sua privacidade violada estão também os deputados federais Carlos Leréia (PSDB-GO) e Fernando Francischini (PSDB-PR), além do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO).


Com as provas obtidas temos a convicção de que há duas versões para uma mesma história abastecendo a imprensa: uma, a verdadeira, e a outra, completamente fantasiosa, que tenta incriminar inocentes ao ser repassada para a sociedade. Daí vem a pergunta: o por quê? E a serviço de quem estão os transeuntes que, segundo Agnelo, sobrevivem no submundo da arapongagem?

O conteúdo do material enviado ao titular deste blog dá conta de que, além deste jornalista, o editor da revista QuidNovi, Mino Pedrosa, também está sendo vítima dos mercenários aos quais Agnelo tanto se refere.


Curioso é pensar que o aparato de alta tecnologia da área de Segurança Pública do DF e a competente polícia de nossa cidade até agora não conseguiram revelar os nomes e os comandantes das verdadeiras organizações criminosas compostas algumas por agentes públicos de diversas áreas e colocá-los na cadeia.


Ao relatar estes fatos, prestamos mais uma vez o dever de informar e alertar as autoridades, independentemente do governante que esteja no comando do Buriti. Essa é a nossa obrigação.


A sociedade do Distrito Federal não aguenta mais conviver com a sensação do medo. Os mercenários que transitam livremente nos corredores de palácios, ministérios e estatais do Distrito Federal vendendo serviços de arapongagem não merecem transitar no meio da sociedade.

Basta!

Comentários para "Agnelo Queiroz: Afinal, quem trama para derrubá-lo?":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Amazônia e Cerrado registraram recordes no número de queimadas, aponta Inpe

Amazônia e Cerrado registraram recordes no número de queimadas, aponta Inpe

Os dados são do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, órgão ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

Reservatórios têm melhor patamar desde 2012, indicam dados do ONS

Reservatórios têm melhor patamar desde 2012, indicam dados do ONS

O controle de vazão teve como foco as bacias do Rio Grande e do Rio Paraná, consideradas a "caixa d'água do Brasil

Brasil é um dos 10 piores países do mundo para se trabalhar, revela pesquisa

Brasil é um dos 10 piores países do mundo para se trabalhar, revela pesquisa

O Brasil ficou na faixa cinco, a pior do ranking, ao lado de Bangladesh, Belarus, Colômbia, Egito, Filipinas, Mianmar, Guatemala e Suazilândia.

Fiocruz alerta que novas pandemias podem surgir de vírus da Amazônia

Fiocruz alerta que novas pandemias podem surgir de vírus da Amazônia

Os locais de maior risco de surtos são as cidades amazônicas remotas junto a áreas de desmatamento.

Cinquenta sem-terra se formam em Medicina Veterinária no RS nesta sexta

Cinquenta sem-terra se formam em Medicina Veterinária no RS nesta sexta

Essa é a terceira turma especial ofertada pelo Programa Pronera, resultado da luta do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Criminalização e preconceito, a dura realidade das pessoas em situação de rua

Criminalização e preconceito, a dura realidade das pessoas em situação de rua

38,2% da população em situação de vulnerabilidade foram para a rua desde o início da pandemia

Exposição dá visibilidade a mulheres que convivem com doenças raras e deficiência

Exposição dá visibilidade a mulheres que convivem com doenças raras e deficiência

O titular da Secretaria destacou que momentos como este servem para dar luz às necessidades e aos desafios vividos por este público.

Violência faz IBGE buscar apoio da PF para coletar dados na Amazônia

Violência faz IBGE buscar apoio da PF para coletar dados na Amazônia

Mais de 200 mil trabalhadores recrutados pelo IBGE devem ir a campo coletar as informações de cerca de 76 milhões de lares

Brasil é o 89º em ranking da liberdade de expressão medido em 161 países, diz ONG

Brasil é o 89º em ranking da liberdade de expressão medido em 161 países, diz ONG

A queda de braço entre o presidente e o Judiciário também é tomada pela ONG Artigo 19 como um ponto crítico no caso brasileiro

Inovação brasileira para reduzir pobreza menstrual é premiada na Europa

Inovação brasileira para reduzir pobreza menstrual é premiada na Europa

O design que Rafaella criou gerou um produto ambientalmente sustentável, socialmente acessível e economicamente viável

Pará investiga morte e mais 3 casos de 'doença da urina preta'

Pará investiga morte e mais 3 casos de 'doença da urina preta'

Os pacientes apresentaram sintomas como dor muscular e abdominal intensas e urina escura após a ingestão do peixe