×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 19 de outubro de 2021

Em Brasília. Contratos do Detran estão sob investigação do Ministério Público e da Polícia Civil

Em Brasília. Contratos do Detran estão sob investigação do Ministério Público e da Polícia CivilFoto: Correio Braziliense

O Ministério Público do DF e Territórios e a Polícia Civil cumprem sete mandados de busca e apreensão para apurar supostas irregularidades em licitação para a modernização do sistema de semáforos. Um dos suspeitos é ex-diretor do órgão

Por Ana Maria Campos E Alexandre De Paula-correio Braziliense - 23/05/2019 - 08:07:43

A Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão na sede do Detran, de onde os agentes saíram com malote: apuração iniciada após suspensão de pregão a ser realizado em março.

A contratação de serviço de manutenção e modernização do sistema de semáforos pelo Departamento de Trânsito (Detran) tornou-se alvo de ação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e da Polícia Civil. As supostas irregularidades cometidas no processo levaram à queda do ex-diretor-geral do órgão Fabrício Moura e motivaram a apuração. Deflagrada ontem, a Operação Blitzkrieg — o nome faz referência a uma tática militar que consiste em usar forças móveis em ataques rápidos e de surpresa — cumpriu sete mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, expedidos pela 5ª Vara Criminal de Brasília, em repartições do Detran e nas residências de servidores públicos investigados.

Entre os alvos está Fabrício. Também são suspeitos o irmão dele, Felipe Moura; a ex-diretora adjunta do Detran Ana Cláudia Gnone de Oliveira; e o ex-diretor de Engenharia Dawton Roberto Batista Gaia, exonerado do cargo na terça-feira. As buscas foram realizadas no gabinete da direção-geral, na direção de Engenharia e na casa dos supostos envolvidos. Na sede do Detran, agentes da Polícia Civil e promotores chegaram ao prédio no início da manhã de ontem. Por volta das 10h, a Polícia Civil deixou o local levando um malote. Smartphones, computadores, mídias e documentos também foram apreendidos.

A ação é comandada, na Polícia Civil, pela Divisão de Repressão à Corrupção e aos Crimes Contra a Administração Pública (Dicap/Cecor), e, no MPDFT, pela Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social (Prodep).

Fabrício Moura atuou como diretor do Departamento de Trânsito até 9 de maio: sob investigação

Nova licitação

A investigação começou depois de o MPDFT receber denúncia embasada por documentos internos do Detran. A suspeita foi levantada quando a autarquia cancelou pregão pronto — que deveria ser realizado até 8 de março — e optou por uma nova contratação emergencial com a empresa Sitran para serviço de manutenção e modernização do sistema de semáforos.

Paralelamente, o Detran começou a tocar outro processo licitatório, mais amplo do que o inicial. A licitação cancelada pelo governo de Ibaneis Rocha havia sido aprovada pelo Tribunal de Contas do DF em dezembro de 2018, depois de diversos ajustes e de contestação de pregões anteriores. O órgão aprovou o termo de referência e autorizou a despesa em 28 de dezembro. E a minuta foi aprovada pela área jurídica do departamento em janeiro deste ano, sob a nova gestão.

O valor da licitação aprovada pela Corte era de R$ 7 milhões. Com as mudanças, o novo pregão alcançaria o valor de R$ 120 milhões, segundo estimativas de servidores do órgão. A direção do Detran, porém, não confirmou o custo final da nova concorrência, que será realizada pela Secretaria de Segurança Pública.

De acordo com a denúncia, apesar do edital aprovado pelo TCDF, o então diretor do Detran, Fabrício Moura, optou pelo contrato emergencial com a Sitran, contrariando a orientação de assessores e servidores do órgão. O corpo técnico do departamento contestava a escolha por outro contrato do tipo com a empresa.

Com isso, o Ministério Público questionou o departamento sobre a abertura de um contrato emergencial, sem licitação, se havia processo de concorrência pública pronto para publicação. Pediu também cópia do processo que levou à celebração do Contrato Emergencial nº 1/2019. Entre os documentos entregues ao MPDFT estão áudios de supostas conversas relacionadas à nova — e mais cara — licitação. De acordo com o órgão, as buscas de ontem visavam à obtenção de provas que subsidiarão as investigações em andamento.

Em nota, o Detran esclareceu, à época em que as denúncias começaram a circular, “que a necessidade de realização de licitação para os semáforos se dá em virtude de o atual parque semafórico das vias urbanas ter sido instalado há mais de 50 anos, apresentando instabilidades, principalmente em períodos de chuva”. Segundo a autarquia, “a licitação anterior tratava somente da manutenção dos equipamentos existentes e não contemplava a aquisição de novas tecnologias. Por essa razão, o planejamento da nova gestão é substituir todo o parque tecnológico semafórico do Distrito Federal como forma de garantir mais segurança e mobilidade à população”.


Ibaneis cobra rigidez

Ontem, o Detran informou, em nota, que acompanha a operação conduzida pelo MPDFT e pela Polícia Civil. “A atual direção-geral do Detran está à disposição para colaborar com a investigação”, explica o texto. “A determinação do governador Ibaneis Rocha é de realizar uma apuração total dos fatos; por isso, a atual direção do Detran convidou um delegado da Polícia Federal para assumir a Corregedoria do órgão”, completa.

O chefe do Executivo local comentou a operação em agenda pública ontem. Ibaneis afirmou que os fatos devem ser apurados, e que o MP e a Polícia Civil cumprem o “trabalho deles”. O governador reiterou, no entanto, a confiança no ex-diretor do órgão Fabrício Moura. “O Fabrício é uma pessoa que ainda detém a minha confiança. Se fez algum procedimento errado, talvez seja por infantilidade, porque não tinha costume com o cargo. Foi buscar ali amparo, pelo que eu ouvi das conversas, com o irmão, que é um profissional que parece que conhece a matéria. A apuração tem de ser feita até para tranquilizá-lo e sua família”, justificou.


Transparência

O governador disse que exigirá mais rigidez da nova direção. “Eu acho que deixei isso bem claro para o Alírio Neto (a cobrança), tanto que escolhi (para a direção-geral) um delegado experiente e com vida pública”, justificou. “Eu quero tratar o órgão com a transparência que se faz necessária”, complementou. A reportagem não localizou a defesa dos investigados.


Memória

Contrato sob investigação

Em novembro de 2018, auditoria da Controladoria-Geral do DF encontrou possíveis irregularidades em outro contrato do Detran com a mesma empresa, a Sitran. O órgão identificou problemas na prestação de serviços de monitoramento e gestão das informações de tráfego e fiscalização eletrônica. Segundo o texto, depois de vencer a licitação, a Sitran informou que haveria a necessidade de utilização de equipamentos mais caros. “Apesar de o edital do pregão prever que, em casos excepcionais, seria permitida a utilização de laços indutivos, esta circunstância estaria condicionada à efetiva demonstração dos eventuais fatos impeditivos”, diz o relatório. A auditoria concluiu que não havia a necessidade de optar pelos equipamentos com custo maior. A substituição, segundo a Controladoria, ocasionou um pagamento de R$ 1.036.610,86 a mais para a Sitran.


» Colaborou Juliana Andrade

Comentários para "Em Brasília. Contratos do Detran estão sob investigação do Ministério Público e da Polícia Civil":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Campanha da ONU chama atenção para direitos das crianças refugiadas

Quase 1 milhão de crianças nasceram como refugiadas entre 2018 e 2020

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

Mulher acusada de homofobia em padaria de SP é condenada a indenizar balconista

"Ainda que a ré seja incapaz, sobre o que não produziu sequer começo de prova, tal condição não afasta sua responsabilidade pelos prejuízos a que der causa", observou a juíza.

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

Distribuição de absorventes faz cair evasão escolar

A "pobreza menstrual" era um tema de pouca repercussão na época e não motivava projetos de lei como hoje, a exemplo do vetado nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro. E passava longe de ser associado ao cotidiano de meninas.

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Fachin manda União distribuir testes de covid e máscaras N95 entre quilombolas

Em decisões anteriores, Fachin já havia determinado à União que apresentasse as medidas sanitárias relativas à covid-19 nas comunidades quilombolas

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Coletivo vai mapear cultura LGBTQI+ do Distrito Federal

Prazo para repostas ao mapeamento é até 17 de dezembro - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Dia Internacional promove educação e maior consciência da não-violência

Selo emitido pela Administração Postal da ONU com uma pintura de Mahatma Gandhi de Ferdie Pacheco em Comemoração do Dia Internacional da Não-Violência

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

ONU quer agir rápido em favor da igualdade de gêneros na liderança global

Apenas 18 mulheres discursaram nos debates de alto nível da Assembleia Geral em 2021

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados LGBTQIA+ no Brasil enfrentam discriminação, violência e desemprego

Refugiados venezuelanos são registrados na Polícia Fedral de Boa Vista para emissão e regularização de documentos.

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

Senador Contarato dá aula a quem não merece um segundo de fama

O Zé Ninguém

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Em 2020, recusa à doação de órgãos por parentes ficou em 37,8%

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

Pesquisa revela que maioria dos brasileiros tem intenção de doar órgãos, mas não avisa a família

“Seja doador de órgãos e avise sua família” se estenderá por todo ano de 2021. Uma doação pode salvar até oito vidas