×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 20 de janeiro de 2022

Empresária agredida por policiais militares em Curitiba relata momentos de horror

Empresária agredida por policiais militares em Curitiba relata momentos de horrorFoto: Giorgia Prates

“Achei que iriam fazer algo pior comigo, foi uma sensação terrível

Gabriel Carriconde - Portal Brasil De Fato Curitiba (pr) - 05/12/2021 - 13:12:53

Sthephany foi agredida por policiais em sua hamburgueria; caso ganhou repercussão pela violência

Imagine mais um dia de trabalho em seu estabelecimento, com a tranquilidade que nada de ruim possa ocorrer. Apesar da pandemia e das fiscalizações aos estabelecimentos, as documentações em ordem seriam uma garantia.

No entanto, ao final desse dia, a garantia de segurança da Polícia Militar não seria sinônimo de ordem e segurança. Esse foi um pouco do sentimento relatado ao Brasil de Fato Paraná pela empresária Sthephany Rodrigues, dona de uma hamburgueria na Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

Na madrugada de 23 de outubro, após uma reclamação de som alto na região da lanchonete, membros da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) foram ao local com a Polícia Militar.

:: Operação da PM mata morador e deixa jovem grávida ferida em ocupação de Campo Magro no Paraná ::

A empresária, na ocasião, chegou a ser multada em 30 mil reais porque, de acordo com a Aifu, estaria atendendo acima da capacidade de público permitida.

Sthephany teve que fechar o local e mandar os clientes embora. Posteriormente, ao filmar policiais abordarem um jovem que fumava narguilé na própria residência e cobrar os PMs por conta da truculência, a empresária foi agredida e imobilizada.

A ação da polícia foi filmada por familiares e moradores da região e amplamente divulgada nas redes sociais.

Sthephany conta, emocionada, que após o ataque, o próprio agressor a levou para uma unidade de saúde e que, ainda presa na viatura, ouviu policiais combinando depoimentos após descobrirem que o vídeo que gravara tinha viralizado.

“Achei que iriam fazer algo pior comigo, foi uma sensação terrível, eu os ouvia conversarem de como poderiam combinar a versão que iriam falar na delegacia. Ouvia os meus próprios gritos enquanto eles viam o vídeo”, conta.

A empresária foi liberada apenas de madrugada. Ela ainda relata que, após as agressões, percebeu que várias outras abordagens têm sido feitas próximas à hamburgueria, e que ainda sente muito medo.

:: Jovem é morto com mais de 15 tiros durante operação policial em Curitiba (PR) ::

“A gente sabe que tem muito movimento na região, mas o movimento da hamburgueria caiu em quase 90% no salão, as pessoas têm medo de serem revistadas. Ainda sinto muito, e com a sensação até de estar sendo seguida”, relata.

À época, o governador Ratinho Junior (PSD) chegou a confessar que a ação foi exagerada.

“É claro que o Governo do Paraná, a Secretaria de Segurança Pública e o próprio comando da Polícia Militar não admitem esse tipo de abordagem. Nós temos 25 mil homens e mulheres trabalhando na PM, todos bem treinados, e infelizmente um ou outro policial acaba tendo um excesso que não está dentro daquilo que é treinado, que é do dia a dia”, pontuou.

Investigação lenta

Para o advogado de Sthephany, Igor Ogar, a polícia vem sendo vagarosa em punir os envolvidos. Ele teme que os responsáveis sejam perdoados. “Esse procedimento está sendo apurado por meio de inquérito, no qual não foi tomada nenhuma medida para aprofundar as investigações. As imagens são claras, e me parece que há uma tentativa de 'passar a mão na cabeça' desses policiais”, critica.

:: Moradores da Portelinha fazem novo ato por justiça a jovem morto em operação policial no PR ::

Para o especialista em criminologia João Henrique Arco-Verde, é nítido o excesso dos policiais. “O que se precisa, neste momento, é apurar de forma limpa e garantindo os direitos de defesa de todos os envolvidos, mas apurar de maneira veemente cada ação realizada naquele dia. O próprio governador afirmou que a ação viola a conduta policial”, afirma.

À época, a PM afirmou, em nota, que “vai apurar as circunstâncias do fato (que é um fato isolado) citado na reportagem, no entanto vale ressaltar que, conforme consta em boletim de ocorrência, o policial militar foi agredido e, por isso, precisou usar de força gradativa para conter a mulher, que, inclusive, tentou impedir o encaminhamento de outra pessoa durante a ação policial.”

A reportagem do Brasil de Fato Paraná pediu esclarecimentos à assessoria de imprensa da PM-PR sobre o suposto aumento de abordagens policiais perto da hamburgueria e como está o andamento do inquérito. Até o fechamento desta matéria, não houve resposta.

Fonte: BdF Paraná

Edição: Frédi Vasconcelos e Lia Bianchini

Comentários para "Empresária agredida por policiais militares em Curitiba relata momentos de horror":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Bachelet: “Decisões sobre a paz sem refletir vozes, realidades e direitos das mulheres não são sustentáveis”

Bachelet: “Decisões sobre a paz sem refletir vozes, realidades e direitos das mulheres não são sustentáveis”

Bachelet apontou ainda o efeito negativo da violência baseada no gênero e do uso da violência sexual como tática de guerra

Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Estudante de 62 anos formada na EJA inicia o ano na UnB

Quem quiser seguir o mesmo caminho da diarista Maria da Conceição pode se matricular no programa, que abrirá vagas remanescentes em fevereiro

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

“Temos capacidade para fazer, somos empreendedoras e muito valentes”, afirma venezuelana

Yidri foi uma das mulheres empreendedoras beneficiadas em Roraima pelo Programa Conjunto LEAP

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

OCDE mostra como a desigualdade de gênero afeta brasileiras

A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é composta por 38 países membros e por 8 países parceiros, grupo do qual o Brasil faz parte

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Maior acampamento de refugiados sírios sem mortes maternas após 14 mil partos

Unfpa administra operações dentro das instalações de saúde no maior acampamento acolhendo cidadãos da Síria

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Natália Bonavides vai recorrer ao Judiciário por direito de resposta a Ratinho

Segundo Natália, o direito de resposta "evidencia as mentiras contadas no programa e mostra a necessidade urgente de enfrentar a intolerância e o preconceito. A recusa em divulgá-la é uma confirmação daquilo que foi dito"

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

O trabalho das mulheres no enfrentamento às desigualdades sociais que pioraram com a pandemia

Mulheres da comunidade Aratu, em João Pessoa, aguardam por alimentos durante ação de solidariedade em 1° de maio de 2021.

NYT traz perfil de Luiza Trajano destacando antirracismo e ascensão política

NYT traz perfil de Luiza Trajano destacando antirracismo e ascensão política

A reportagem cita que Luiza Trajano fez movimentos

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa:

Mãe de criança baleada na Baixada Fluminense desabafa: "Pago imposto para ver meu filho morto?"

"Ninguém sabe a dor que estou passando", disse Ana Clara Santos, mãe de Kevin Lucas, de seis anos

Constituinte do Chile elege pesquisadora de saúde pública como nova presidenta

Constituinte do Chile elege pesquisadora de saúde pública como nova presidenta

Da esquerda para a direita: a ex-presidenta Elisa Loncón e a nova mandatária: María Elisa Quinteros

Secretaria de Cultura do DF libera para download o catálogo da Mulher Negra

Secretaria de Cultura do DF libera para download o catálogo da Mulher Negra

Ação homenageia a trajetória artística de 30 agentes culturais do DF