×
ContextoExato

Contexto Exato

Brasil - Brasília - Distrito Federal - 30 de junho de 2022

Mácron cede mais e cancela imposto sobre combustível para evitar novos protestos

Mácron cede mais e cancela imposto sobre combustível para evitar novos protestosFoto:

O premiê não deixou claro se o reajuste poderia ser adicionado eventualmente em uma emenda ao orçamento durante o ano que vem. A concessão custará € 2 bilhões (cerca de R$ 8,7 bilhões) aos cofres públicos.

Da Reddação / Do Estadão Conteúdo / Foto élysée / Présidence De La République / Fotos Públicas - 06/12/2018 - 11:35:34

O governo francês decidiu nesta quarta-feira, 5, abandonar o imposto sobre combustível que previamente tinha sido suspenso por seis meses após reivindicação dos protestos nas ruas do país que ganham novas adesões a cada dia. O premiê francês, Edouard Philippe, comunicou aos parlamentares a decisão do presidente Emmanuel Macron de retirar a previsão de aumento do orçamento de 2019 para tentar o diálogo com os manifestantes.

O premiê não deixou claro se o reajuste poderia ser adicionado eventualmente em uma emenda ao orçamento durante o ano que vem. A concessão custará € 2 bilhões (cerca de R$ 8,7 bilhões) aos cofres públicos.

O presidente também congelou as discussões que teria sobre reajustes dos preços de alimentos, mas nada parecia aplacar o ímpeto da mobilização. Sindicatos de produtores rurais e caminhoneiros anunciaram adesão à ela.

Os protestos dos "coletes amarelos" começaram como resposta a um plano do governo de elevar taxas de combustível para desestimular o uso de carros e fazer uma transição para energia limpa. O porta-voz do governo, Benjamin Griveaux, deixou aberta hoje a porta para um possível restabelecimento do Imposto sobre Fortuna (ISF), uma das reivindicações mais frequentes dos manifestantes.

Nos últimos dias, o movimento tornou-se mais heterogêneo. Estudantes colocaram fogo em colégios para protestar contra o novo sistema de seleção para as universidades; pequenos comerciantes bloquearam estradas contra os altos impostos; pensionistas foram para as ruas contra o que chamaram de elitismo do presidente. Nas últimas adesões, o maior sindicato de agricultores da França anunciou atos para a próxima semana depois que o sindicato dos caminhoneiros conclamou a categoria para uma grande greve a partir de domingo.

Os sindicatos na França não vinham, até então, desempenhando um papel importante do movimento espontâneo, mas agora tentam capitalizar o crescente descontentamento popular. Em um comunicado conjunto, dois sindicatos de caminhoneiros instaram esses profissionais a iniciar na noite de domingo um protesto contra um corte nos pagamentos das horas extras e pediram uma reunião urgente com o ministro dos Transportes.

O sindicato dos agricultores FNSEA disse que lutará para ajudar os produtores rurais a melhorar seus rendimentos, ainda que não oficialmente participe do movimento "coletes amarelos", que leva esse nome em referência aos coletes que os motoristas são obrigados a manter em seus carros.

A polícia francesa liberou a maioria dos depósitos de combustível que os manifestantes haviam bloqueado, mas em grande parte da França ainda faltava o produto nas bombas.

Manifestantes também tomaram cabines de pedágio nas estradas do país, permitindo que motoristas passassem sem pagar, para pressionar por demandas que vão do aumento de salários e pensões à dissolução da Assembleia Nacional, o Parlamento francês.

Na Universidade Tolbiac, centro de Paris, estudantes tomaram o prédio e as aulas foram canceladas. "Nós precisamos de impostos, o problema é que eles não são propriamente redistribuídos", disse o manifestante Thomas Tricottet à TV BFM. "Obviamente, nós temos de lutar contra isso."

Um estudante foi ferido durante os protestos em frente a uma escola em Saint-Jean-de-Braye, no norte da França. Segundo a TV BFM, ele foi atingido na cabeça por uma bala de borracha, o que não foi confirmado imediatamente por autoridades.

Vários colégios de Ensino Médio estavam bloqueados ontem, pelo terceiro dia consecutivo, em uma mobilização contra a reforma educacional do governo. A associação de estudantes secundaristas FIDL pediu um ato "amplo e geral" para hoje e exigiu a renúncia do ministro da Educação.

Éric Drouet, um porta-voz dos "coletes amarelos", convocou os franceses a se reunirem no sábado perto de pontos importantes da capital francesa como a Avenida Champs-Élysées, Arco do Triunfo, ou Palácio da Concórdia ou em frente à Assembleia Nacional.

Recluso

Acusado pelos manifestantes de ser o "presidente dos ricos" e um estranho para os trabalhadores, as ações de Macron têm feito pouco para mudar essa percepção desde que ele retornou de uma viagem para a Argentina, no fim de semana, onde participou da cúpula do G-20.

Ele tem se recusado a falar publicamente sobre os protestos e permanecido a maior parte do tempo na residência oficial. Na noite de terça-feira, ele foi vaiado ao visitar um prédio do governo que foi destruído por manifestantes no fim de semana.

Um dos líderes dos protestos, Christophe Chalencon, disse ontem temer que haja mais mortes se os protestos de sábado forem adiante e pediu que Macron se manifeste. Os atos das últimas três semanas deixaram 4 mortos e mais de 400 feridos. Segundo Chalencon, Macron precisa admitir que cometeu um erro. Ontem, apenas o porta-voz do presidente falou, pedindo calma aos envolvidos.

Comentários para "Mácron cede mais e cancela imposto sobre combustível para evitar novos protestos":

Deixe aqui seu comentário

Preencha os campos abaixo:
obrigatório
obrigatório
Desenvolvimento de energia renovável impulsiona China por metas de carbono

Desenvolvimento de energia renovável impulsiona China por metas de carbono

Até o final de maio deste ano, a capacidade instalada de energia renovável do país atingiu um novo recorde, ultrapassando 1,1 bilhão de quilowatts, observou o relatório.

G7 quer investir US$ 600 bilhões em programa mundial para conter avanço chinês

G7 quer investir US$ 600 bilhões em programa mundial para conter avanço chinês

No campo tecnológico, a iniciativa contempla o desenvolvimento e a expansão da tecnologia das comunicações e a informação trabalhando com "provedores confiáveis", que forneçam 5G e 6G, conforme apontou a Casa Branca.

Abuso de entorpecentes e tráfico têm impacto sobre crises humanitárias e de saúde

Abuso de entorpecentes e tráfico têm impacto sobre crises humanitárias e de saúde

Drogas ilegais apreendidas.

Suprema Corte dos EUA suspende legalização do aborto

Suprema Corte dos EUA suspende legalização do aborto

Decisão foi tomada por seis votos a três e abre margem para que estados possam vetar o procedimento.

China pede solidariedade e abertura à medida que o mundo enfrenta mudanças

China pede solidariedade e abertura à medida que o mundo enfrenta mudanças

A comunidade internacional deve defender a Carta das Nações Unidas e se esforçar para manter a paz em um mundo volátil, disse ele.

Vitória de Gustavo Petro fortalece avanço da esquerda na América do Sul

Vitória de Gustavo Petro fortalece avanço da esquerda na América do Sul

Segundo analistas, trata-se de uma "mudança de maré" provocada pelo descontentamento com governantes anteriores.

Major Carvalho, apelidado de 'Pablo Escobar' brasileiro, é preso na Hungria

Major Carvalho, apelidado de 'Pablo Escobar' brasileiro, é preso na Hungria

A Polícia Federal brasileira informou que a prisão decorreu das investigações desenvolvidas no âmbito da Operação Enterprise

Itamaraty parabeniza Gustavo Petro por vitória eleitoral na Colômbia

Itamaraty parabeniza Gustavo Petro por vitória eleitoral na Colômbia

Jair Bolsonaro na abertura do Fórum de Investimentos Brasil 2022, em 14 de junho de 2022 © Alan Santos / Palácio do Planalto / CCBY 2.0

222 milhões de crianças afetadas pela crise precisam urgentemente de assistência educacional

222 milhões de crianças afetadas pela crise precisam urgentemente de assistência educacional

A Educação Não Pode Esperar

Ball Corporation avança em investimentos na América do Sul com nova fábrica de latas de alumínio no Peru

Ball Corporation avança em investimentos na América do Sul com nova fábrica de latas de alumínio no Peru

A empresa, líder global em embalagens sustentáveis de alumínio, anunciou abertura que vai gerar mais de 100 empregos diretos e 300 indiretos.

ACNUR solicita apoio urgente para ajudar quase 16 mil pessoas forçadas a se deslocar em Burkina Faso

ACNUR solicita apoio urgente para ajudar quase 16 mil pessoas forçadas a se deslocar em Burkina Faso

Milhares de burquinenses que se deslocaram pelo massacre em Seytenga encontraram segurança além da fronteira com o Níger.